Deliciosa troca de casais

Meu nome é Cintia e sou casada com Nereu. Subitamente num dia, Nereu meu marido, chegou da faculdade e se aproximou de mim na cozinha. Chegando por trás, me abraçou e começou a enfiar as mãos dentro da minha blusa e sutiã, procurando meus seios, apalpando e apertando-os levemente meus biquinhos já duros de tesão

Ele sempre chegava em casa com este nível de tesão, o que me fez corresponder às suas investidas imediatamente. Empinei minha bunda e comecei a rebolar, roçando meu rabo contra a pélvis dele, percebendo o volume enorme dentro de suas calças.

Os meus movimentos estavam deixando-o completamente louco. Não demorou e senti suas mãos nas minhas coxas, levantando minha saia e abaixando minha calcinha. Comecei a sentir um calor muito gostoso e me apoiei na mesa da cozinha, afastando bem minhas pernas e soltando gemidos de prazer.

Logo os dedos do meu Nereu estavam explorando os lábios da minha buceta e massageando meu clitóris.
– Hummmmm! Você está muito molhada, amor! — disse ele beijando minhas costas.

E eu estava mesmo molhada. Minha xoxota pedia ansiosamente para ser penetrada.

Ali mesmo, na mesa da cozinha, fechei meus olhos para me deliciar ainda mais com a situação e percebi que ele estava abaixando suas calças e a cueca. Não deu tempo de pensar, ele me colocou em cima da mesa.
E logo começou a estimular minha bucetinha e então ele enfiou todo o seu pênis dentro de mim, sem dó nem piedade.

– Ohhhhhhhhhhhhh! Devagarrrrr! – gritei quando senti seu cacete grosso, enorme e quente me enchendo toda.

Meu tesão estava lá em cima, mas o dele estava muito mais. Parecia um animal me fodendo. Ele beijava minha nuca, me segurava firme pela cintura e metia sem dó, tirando o pau quase todo e enfiando novamente, com força.

Não demorou muito e percebi que ele não aguentaria muito mais tempo.

– Ahhhhhhh! Vou gozar!!!!!!!! – disse ele gemendo. E eu dizia… vem…goza comigo….goza comigo….vou gozar também…..

Jatos de esperma quentinho foram despejados no fundo da minha buceta enquanto Nereu me apertava contra o corpo dele. Saiu tanto esperma daquele cacete que tive a impressão que não caberia mais na minha buceta. Tivemos um maravilhoso orgasmo juntos. Essas trepadas rápidas também me fazem muito bem.
Mais tarde jantamos juntos, assistimos a um filme e nos preparamos para dormir. Como é de costume, durmo somente de calcinha ou peladinha. Meu Nereu foi ao banheiro e ao retornar saltou em cima de mim novamente.

Nereu parecia um tarado.

Chupou meus seios demoradamente, beijou e lambeu minha buceta e brincou muito com sua linguá no grelhinho. Fizemos um meia nove muito gostoso, no qual eu mamava seu pau cada vez mais duro e ele chupava minha xoxota e lambia deliciosamente meu cuzinho.

Finalmente me penetrou com aquela vara dura como rocha em várias posições muito excitantes. E mais uma vez eu atingi o orgasmo repetidas vezes.Deitados e entrelaçados um no outro, cansados e esgotados, me atrevi a lhe perguntar:

– O que aconteceu com você hoje? Chegou em casa tão excitado. Nereu sorriu, me deu um beijo na boca, hesitou um pouco e resolveu explicar.
– O Thiago, aquele colega de trabalho, me convidou para ir até a casa dele depois que almoçamos.
– E… eu questionei…. e….?
– E assistimos um filme pornô muito interessante. Era a história de homens que trocavam de mulheres.
Enquanto me explicava, reparei que Nereu ia ficando cada vez mais excitado.
– No fim – continuou Nereu – o Thiago me disse que ele e Ana estão procurando um casal para fazer o mesmo.

Percebi, enfim, o motivo da tanta excitação. Ana, a mulher do Thiago era uma mulher bonita. Com seus quase um metro e setenta de altura, seios bem desenvolvidos e a não muito grande, mas bem redonda e empinada, ela chamava a atenção de todos os homens por onde passava.
Fiquei muito excitada com a ideia. O Thiago era um homem muito bonito, simpático, bom de conversar. Eu já havia reparado, de forma discreta, por várias vezes um volume no meio das pernas dele, principalmente quando ele olhava para mim.

Eu era pouco mais baixa que a Ana, mas meus seios eram maiores e rabo também era muito superior ao dela. Modéstia a parte, minha bunda é maravilhosa. Não deve ter homem que não queira comê-la.
– E a ideia desta experiência lhe agrada? – perguntei sorrindo ao Nereu.

Ele não falou nada. Apenas sorriu e acenou a cabeça afirmativamente.

Nessa noite, Nereu estava muito assanhado e mais tarado do que nunca. Lambeu e chupou minha buceta mais uma vez e depois fez penetração profunda, uma das formas que ele mais gostava. Me pegar de quatro segurando meus longos cabelos e batendo na minha bunda.

Quando adormecemos, tínhamos combinado fazermos uma festa à quatro.

Não demoraram muito dias para que nos reuníssemos: eu Cintia, o Nereu, o Thiago e a Ana. Combinamos de nos encontrar em uma sexta à noite para um jantar em nossa casa e agimos com a maior naturalidade possível, sem tabus.

O dia da festa chegou

Quando o Thiago e Ana chegaram, abrimos a porta e os cumprimentamos normalmente. Após as conversas iniciais, eu e a Ana fomos para a cozinha preparar o jantar enquanto os homens ficaram encarregados de preparar a mesa.

– Posso lhe dar um beijo? – a Ana perguntou enquanto estávamos na cozinha.

O meu “sim” saiu tão baixinho que fiquei com receio de ela não ter ouvido. Fiquei trêmula e sem saber o que fazer.

Ela foi chegando, me abraçou calmamente e começou a roçar os lábios dela nos meus, bem lentamente, dando selinhos.

Finalmente sua língua forçou meus lábios e eu os abri. Era o primeiro beijo com uma mulher. Quando sua língua invadiu a minha boca eu me derreti toda e em pouco tempo comecei a corresponder, colocando as mãos na cintura dela e colando o corpo dela ao meu.

– Você é muito bonita, sabia? – disse Ana (à Cintia) ao concluirmos nosso longo e apaixonado beijo.
Mas a minha primeira experiência com outra mulher estava apenas começando. Em seguida Ana colocou uma das mãos em meus seios e começou a me acariciar. Meus biquinhos ficaram super duros, eretos de tesão.

Depois, sem nenhum aviso, levantou minha saia e procurou minha bucetinha. Afastei as pernas um pouco para facilitar seu trabalho. Eu já estava tão excitada que minha calcinha já estava toda molhadinha, super encharcada.

– Acho que Thiago vai gostar muito de você – disse ela enquanto seus dedos massageavam o meu grelho por cima da minha calcinha.
– Você também vai deixar o Nereu delirando de tesão.
Cintia disse: Sinto que voce Ana está muito excitada – respondi, tentando retribuir o elogio.
– Estou mesmo – disse Ana– abrindo sua calça e descendo-a até a altura das coxas, junto com sua calcinha
– Ana me pediu que passasse minha mão na sua xoxota e percebi estava pegando fogo – Ana com um sorriso cheio de vontade me beijou novamente

Neste momento Thiago e Nereu entraram na cozinha e pegaram nos beijando freneticamente. Estávamos nos braços uma da outra, nos beijando e nos acariciando mutuamente entre as pernas.

– Uau! – disse o Thiago – já começaram!
Meio sem graça e surpreendidas com a chegada deles, nos separamos imediatamente.
– Hummmm! Que delícia – disse Nereu, cheio de tesão – por que pararam? Nunca tinha visto minha Cintia se pegando com outra.
– Você terá tempo de ver novamente – respondeu Ana dirigindo-se ao meu Nereu e dando-lhe um beijo nos lábios
– sua tarefa, disse Ana, agora é apagar o fogo que da sua Cintia que é um tesão e tem um boca e língua fabulosa e gulosa que me acendeu um tesão terrível em mim.
– E eu quero colocar logo as mãos nestes seios enormes e encher a mão nessa bunda maravilhosa da Cintia! – disse Thiago se aproximando e já começando acariciar e a mordiscar os bicos dos meus seios da Cintia.
Fomos todos para a sala em seguida. A Ana tirou sua calça e calcinha e se sentou de pernas abertas no sofá. Depois, pediu ao Nereu que se ajoelhasse e chupasse sua buceta até ela gozar. Nereu olhou para mim, e eu sorri e acenei que sim…pode chupar a buceta de Ana.

Por sua vez, Thiago, , pegou minha mão e levou até o seu cacete, por cima da calça. “Olha como estou excitado!“, disse ele.

Desta vez, eu quem olhei para meu Nereu pedindo sua concordância. E ele apenas sorriu. Apertei a rôla de Thiago e percebi que era realmente grande e estava bastante dura.

– Tire sua roupa – disse eu – quero sentir seu pau na minha mão.– Vai sentir na sua mão e em todo o seu corpo – respondeu o Thiago sorrindo e tirando toda a roupa.

Contudo, o pau de Thiago era grande mas não tão grosso quanto do meu amado Nereu.

Ouvi um gemido atrás de mim. Era a Ana que continuava a se deliciar com a boca do Nereu. Por sinal, Nereu tem uma lingua maravilhosa. Sabe chupar como ninguém. Ana já tinha tirado o resto de sua roupa e estava acariciando seus seios enquanto Nereu continuava a lamber e chupar sua xoxota linda e depiladinha.

Comecei a tirar minha roupa também. Quando olhei para o Thiago, ele já estava completamente nú, observando meu corpo à medida que minhas últimas peças de roupa iam parar no chão.

– Uau! Seu corpo é delicioso! – disse Thiago quando fiquei completamente nua.
Olhei para o pau dele e parecia dobrar de tamanho a cada segundo. Caí de joelhos e me preparei para mamá-lo. .

Comecei pela cabeça daquele pênis, massageie as bolas e finalmente comecei a chupá-lo.Mamei de forma gulosa. Enfiando tudo na minha boca.

– Ohhhh! Ahhhhh! Eu sempre imaginei que você era realmente boa para chupar um cacete, sua safadinha – ouvi o Thiago sussurrar entre gemidos. Bem que o Nereu me confidenciou que voce é maravilhosa no boquete.
Comecei a punhetar seu pau enquanto o chupava, o que o fez se afastar de mim.
– Ohhh! Caramba! Quase gozei – disse ele rindo e se deitando no chão. Em seguida me deitei ao seu lado.
Ele então começou a acariciar e lamber os biquinhos dos meus seios. Logo se sentou em cima de mim e posicionou seu pênis entre s seios avantajados.
– Fode pau com essas tetas gostosas! Fode! – pediu ele.
Coloquei as mãos em meus seios, os apertei contra seu cacete e ele imediatamente começou um vai-e-vem bem gostoso. Que “espanhola” gostosa nós dois estávamos fazendo.

Meu marido Nereu também adora quando faço isso com ele.

Olhei para o Nereu e a Ana. Ele estava metendo nela de “cachorrinho”, justamente do jeito que ele mais gosta. Pelas expressões no rosto dela, pude ver que não demoraria muito até ela gozar como uma louca.

Nereu devia tê-la excitado bem mesmo antes de penetrá-la. Eu sabia como ele era bom com a linguá e com os dedos. Se eu já estava excitada, vê-los fodendo daquela forma me deixou ainda mais. Minha vagina ainda não tinha sido tocada pelo Thiago, mas eu a sentia completamente molhada.

Eu não iria aguentar muito mais sem enchê-la totalmente de porra. E o que eu precisava dentro dela, um cacete grande e grosso, que estava justamente entre meus seios, jorrando esperma na direção do rosto.
– Ahhhh! Caceteeee! – gritou o Thiago gozando e disparando seu líquido quente no meu pescoço. Os jatos foram tão fortes que algumas gotas foram parar na minha boca, olhos e cabelos.
A Ana e Nereu também começaram a gemer desesperadamente, com ela sentada em cima dele, subindo e descendo naquela vara gostosa e maravilhosa que Nereu tem.
Por incrível que possa parecer, eu era a única que não tinha gozado ainda. E eu precisava muito de um orgasmo. Já estava ficando tonta, desesperada de tanto tesão. No entanto, eu sabia que algo bom estava reservado para mim.
– Chupa pau novamente! Até ele ficar duro outra vez – disse o Thiago levando seu pênis semi-ereto até a minha boca, após eu limpar, com minha blusa, seu esperma do pescoço e rosto – agora você vai receber o que você merece.

Comecei a chupar o cacete dele, com algumas gotas de sêmen ainda saindo daquele membro enorme. Aos poucos foi ficando duro e delicioso. De joelhos na sua frente e as pernas um pouco afastadas, mal percebi quando um rosto foi surgindo por baixo de mim e uma língua atrevida começou a invadir minha buceta.
Era a Ana, me lambendo e beijando toda a região da minha buceta. Parecia uma gatinha bebendo leite. E o leite era minha bucetinha rosada e molhadinha. Abri mais as pernas e praticamente me sentei no rosto dela. Me abandonei ao prazer.

Quando combinei com Nereu de fazer esta festa à quatro, nunca imaginei mamar um cacete e ao mesmo tempo me deliciar com uma outra mulher chupando minha buceta. Mas as minhas surpresas ainda não acabariam ali.

Nereu veio por trás e meteu fundo e gostoso no meu cuzinho…..Assim, tinha o cacetão do meu Nereu no meu cuzinho, a lingua de Ana chupando minha xota e eu gulosamente chupando o cacete de Thiago. Foi delirante.
Quando Thiago sentiu que estava pronto, duro como uma rocha, deitou-se no chão e pediu para eu cavalgá-lo.Gemi ao sentir o pênis dele se encaixando na minha buceta à medida que eu descia corpo.
Cavalguei deliciosamente no pau do Thiago enquanto ele apertava e beijava meus seios, que balançavam na sua frente. Nereu agora ficou na minha frente, e comecei a chupá-lo enquanto cavalgava Ana, alternava beijos nos meios seios e no cacete de Nereu.

Mudei de posição. Agora deitada em cima do Thiago e chupando a Ana, senti agora duas mãos na minha bunda, abrindo e massageando minhas nádegas. Era Nereu que suavemente ele começou a passar a lingua no meu cú, deixando um rastro de cuspe por onde sua boca passava.

Facilmente adivinhei que iria ser enrabada. Outra novidade para mim. Ser fodida na buceta e no cú ao mesmo tempo ia ser demais para a minha pessoa. Minha primeira DP (dupla penetração). “Que delícia”, pensei me arrepiando toda. Mas não tive coragem… quem sabe numa próxima…..Ana até tentou me convencer que seria delicioso…..mas seria demais pra mim….precisava me preparar….ter meu cuzinho e minha buceta mais larguinha.

Mas a sensação de fer fudida por Thiago, chupando a buceta da Ana e meu amor meu lambendo o cuzinho foi fascinante.

Nereu não aguentou…..me posicionou de quatro e com o carinho de sempre penetrou meu cuzinho….socando gostoso e bem fundo… num vai e vem delicioso que só ele sabe fazer…..enquanto Nereu me comia o cú……Nereu castigava meu rabinho sem dó. Gritei e gritei. Parecia uma sirene. E só não gritei mais porque Thiago enfiou seu cacete em minha boca que começou a chupá-lo. Ana, não se conteve e chupava minha buceta, meu cuzinho com o cacete socado do Nereu.

Gozei….Gozei….Gozei…. muito…….quase desmaiei de tanto gozar e o melhor gozamos todos juntos……Nereu encheu meu cú de tanta porra que escorria pela minhas coxas…..que Ana gulasamente chupava e lambia meu cú, minha xota e a porra do Nereu……e Thiago me encheu a boca de tanta porra que quase engasguei……Ana….mais que depressa veio me beijar se lambuzando na minha boca cheia da porra de Thiago.

Meu Nereu, apesar de ter gozado como louco no meu cuzinho…..ainda estava meio duro…..então Thiago propôs, que Ana e eu, juntas, chupassem o cacete de Nereu até gozar para sentirem também o gosto da porra. E assim fizemos. Ana e eu chupamos meu Nereu até ele gozar novamente….e como gozou….e nos duas nos deliciamos num beijo cheio de de sua porra….quentinha….e deliciosa….Adoro o gosto da porra do meu Nereu.

Assim, depois de tanto prazer, estávamos os quatros todos deitados no chão, cansados e suados. Eu me sentia completamente saciada, como nunca havia sentido antes. Foi uma experiência nossa incrível.
Nós, as mulheres, estávamos no meio com os homens nas extremidades, cada um ao lado da mulher do outro. Não demorou muito para que a sessão de beijos, abraços e carinho iniciasse novamente. E novamente fui alvo das atenções da Ana, que não só me beijava como também acariciava meus seios e brincava com seus dedos na minha bucetinha toda inchada de tanto sexo.

Nereu foi o primeiro a interromper aquele momento, dizendo que tinha fome e que seria melhor irmos jantar. Todos concordamos. Mas, antes do jantar precisávamos tomar banho. Havia esperma em todo o corpo e o cheiro de sexo estava em todas as partes.]Foi um banho delicioso a quatro…..a oito mãos……

Após o jantar fomos ver um pouco de televisão. Os homens só de cuecas e as mulheres só de calcinha. Enquanto assistia-mos a um filme, íamos falando e nos tocando uns aos outros. Em um determinado momento, Nereu meteu a mão entre as pernas da Ana, puxou sua calcinha para o lado e procurou seu grelhinho, começando a esfregá-lo lentamente.Não demorou muito pra brincadeira começar novamente! Ela de imediato abriu suas pernas, facilitando a tarefa. A Ana me puxou para perto dela, procurou meus lábios e me beijou. Na verdade ela não me beijou, nós nos beijamos, porque eu correspondia feito uma louca aos beijos e mordidinhas que ela dava nos meus lábios.

Em seguida ela me perguntou:

-Cintia, por que você não chupa minha buceta? Eu iria adorar.Isso era algo que eu nunca tinha feito ainda. Mas a experiência me agradou muito. Foi o reinício de toda uma série de prazeres que tinham sido interrompidos para jantarmos.

Depois daquele fim de semana, eu e o Nereu tivemos outras experiências: nós e outros casais ou apenas uma amiga ou um amigo nosso. Mas isso são outras histórias que talvez um dia eu conte.
Se gostaram mandem seus comentários….somos da baixada santista…[email protected]

Rate this post