Noite de Sorte

Não estava numa boa fase, a garota que namorava tinha me dado um fora, motivo: conflito de interesses, ela queria casar, eu, namorar, visto que, tinha apenas 22 anos e queria me divertir. Meu nome é George Luiz, tenho 1.67 m, 75 kg, muito saudável, de bem com a vida e praticante de atividades físicas.
Bem, mas vamos voltar para o fato que ocorreu quando estava terminando faculdade.
Fui convidado para uma festa, não conhecia muito o pessoal que tinha organizado, mas mesmo assim, resolvi ir para me distrair.

O local era uma casa imensa de dois andares, a música era de boa qualidade, tinha muita menina bonita e eu estava literalmente na pista. Tomei algumas bebidas que me fizeram ter vontade de ir ao banheiro, porém, a fila estava grande e como tava muito apertado, resolvi procurar outro. Subi umas escadas e logo avistei um wc disponível.

Entrei, fiz a minha necessidade, lavei as mãos e saí. Ao fechar a porta, escutei um barulho diferente, fui ver do que se tratava.

Tinha um quarto com a luz acesa e era de lá que esta vindo todo o som, percebi que se tratavam de gemidos. Fui por um lado que dava acesso a uma janela aberta com cortinas, consegui segurar uma e levemente a afastei.

Até hoje não me esqueço do que vi, três caras traçando uma gata, acho que estavam numa tp (tripla penetração) a bunda, xoxota e boca penetradas simultaneamente.

Não dava para ver muito bem o rosto de garota, porém, era muito gostosa. De imediato, fiquei de pau duro, aliás, duríssimo, que logo tirei da calça e comecei a me masturbar com aquela cena de filme de sacanagem ao vivo, a cores e a poucos metros.

Numa movimentação que fizeram, pude ver o rosto da mulher que estava sendo comida, ou estava comendo os caras, era Fabiana, uma gostosona que quase namorei com ela (dei uns beijos nela, numa carona da faculdade para sua casa) mas tinha aparecido a ex, com quem fiquei.
Ela, Fabiana, era muito, muito gostosa muito mesmo, pernão, bundão espetacular e seios sensacionais, era o que se chama de corpo de pilão.

Não acreditava no que estava vendo, se me contassem, não acreditaria. Estava ali a uns cinco ou dez minutos (continuava no “cinco contra um”). Ela mamava, chupava e lambia o pau de um dos caras com muita vontade, com muito gosto. As vezes parecia que ia até o fundo, realizando o que chamam de garganta profunda. Enquanto os outros dois lhe davam estocadas firmes. Num desses momentos, fizeram rodízio, o que estava com o pau na boca dela, retirou e colocou bem no centro de sua imensa bunda, o que penetrava o imenso rabo,, colocou na bucetinha (agora, acho que seria bucetao dela), e o que penetrava a xoxotona colocou na boca, acredito que ela bebeu muita porta.

Mudaram de posição, mas mesmo assim, continuavam num ritmo forte, uma vez que mantinham uma sincronia impressionante.

Acho que já estavam terminando. Discretamente, saí lentamente, sem concluir o serviço que tinha iniciado e para não dar pistas, entrei no wc e dei um tempinho.

Escutei uns passos apressados no corredor que dava acesso ao quarto e onde terminava na escada.
Imaginei que todos já tivessem saído, então, já tinha lavado o rosto, (fazia um calor terrível), mas o pau continuava duríssimo, estava terminando de enxugar a face com a toalha. Abri a porta e saí, ao fecha-la, senti um abraço forte por trás, e percebi que era Fabiana, seus peitos tocaram minhas costas, fiquei muito surpreso.

Estava um pouco confuso, porém, resolvi mergulhar de cabeça. Me voltei para ela e dei um grande e apertado abraço. Ela deve ter sentido meu pau também dando o ar da graça, acho que por isso me deu um beijo na boca, o que retribui prontamente. Fabi estava incrível e era impossível resistir aos seus encantos. Ficamos ali curtindo aquele momento só nosso. Já estava totalmente excitado e com o beijo, mais ainda. Acredito que ela ainda queria muito mais e sorte minha que estava no lugar certo e na hora certa. Depois de alguns minutos nos beijando, eu falei para irmos a um local mais tranquilo, ela concordou de imediato. Saímos e fomos até o carro.

No meu pensamento, era a Fabi que estava lá, naquele quarto, com três caras fodendo, mas ela aparentava que não. Fiquei muito confuso, porém, deixei para lá e apenas queria curtir o momento

Entramos e nos dirigimos para um motel.

Fabi estava com muito fogo, durante o percurso, não para de me beijar e alisar o meu pau que estava duríssimo, ela não resistiu e começou a chupa-lo com muita volúpia e gula. Devido ao tamanho, não conseguia engolir todo, mas só a metade, mesmo assim, queria enfiar tudo até a garganta. Sentia aquela boca deliciosa mamando no meu cacete, com a língua, lambendo tudo, só aumentava o meu tesão, tanto que tentei não gozar, porém, não consegui segurar e gozei fartamente leitinho quente naquela boca deliciosa. Ela engoliu tudo, deixou meu pau bem limpinho. Mesmo assim, ele não baixava, continuava ereto e duro, ela passou a me masturbar, enquanto me beijava.

Chegando ao motel, entramos no quarto, tiramos nossas roupas, ela estava com uma calcinha fio dental, que mostrava sua enorme bunda. O que me deixava de água na boca para beijar mordiscar, lamber e penetrar aquele bundao delicioso. Fomos para banheira de hidromassagem, lá nos beijamos, pude chupar muito aqueles deliciosos seios, mamava muito nos bicos e aureolas que eram médias e do rosa, o que me deixava mais louco de tesão.

Passei sabonete líquido nas pernas e fui subindo até chegar a região pubiana. Chegando a sua deliciosa buceta, passei a masturba-la, passando meus dedos no clitóris, ela ia a loucura, até não consegui segurar e gozou.

Depois desse delicioso banho, saímos e peguei uma toalha e a sequei por completa, e ela fez o mesmo mim.

Já devidamente enxutos, a coloquei na cama e passei a chupar sua buceta gostosa. Eu iniciei lambendo, depois chupando aquela rachinha de sabor delicioso, até o meu nariz, passei na fenda de Fabi (esfreguei muito), para sempre ter aquele cheiro de fêmea. Não demorou para que ela gozasse outra vez. Não parei, continuei com aquela sessão de tortura em Fabi, até ela gozar novamente. Minha boca estava grudrada naquela xota deliciosa.

Ela me pediu para que a penetrasse com o meu pau grande, duro e grosso em sua buceta. Então, depois de implorar, eu empurrei meu cacete na grutinha dela, que apesar de estar muito excitada, houve uma certa dificuldade em entrar. Estranhei, pois para quem havia feito uma dp, deveria estar mais fácil.
Fui me deliciando com cada segundo em que o meu pau a penetrava. Aquela mulher era sensacionalmente deliciosa. Não demorou muito para gozar abundantemente. Ficamos ali, juntinhos, abraçadinhos.
Adormecemos, quando acordei, já estava excitado de novo, comecei a beijar aquele corpo delicioso, ela também já estava no clima e iniciamos mais uma gostosa sessão de sexo.

Terminamos e fomos tomar banho juntos, depois tomamos café.

Estávamos nos vestindo, quando o telefone celular dela tocou, era a irmã perguntando onde ela estava. Fabi informou o local, sua irmã pediu para dar uma passada onde ela se encontrava para pegá-la.
Ao chegar no ponto informado, eu não acreditei no que vi, ela era gêmea de Fabi, seu nome era Fabíola e era ela que estava no quarto com os três caras.

Depois descobri que ela fez sexo a três para se vingar do namorado, que estava com outra.

E na festa, Fabi me viu e queria falar comigo, como me viu subindo as escadas me seguiu, só que, por ter entrado no wc, me perdeu de vista e foi a minha procura. Segundo ela, ainda rodou um pouco, até que me encontrou (os passos que escutei quando estava no banheiro pela segunda vez).

Namorei por muito tempo com ela, quase me casei, mas ambos precisaram viajar e perdi o contato. E por se gêmea, as vezes, era Fabíola que vinha, se passando por Fabiana, fizemos sexo muitas vezes, que ficará para outra oportunidade.

Rate this post