Anal planejado

Estávamos passando um fim de semana num hotel, cidade tranqüila, tudo perfeito. Acordei e vi que os primeiros raios de sol entravam pela persiana que dava pra varanda. Ela ainda dormia. Deitada de bruços do meu lado. O lençol torneava a silhueta daquela bunda morena com marquinhas de biquíni.

A abracei de lado e automaticamente meu pau começou a se esfregar ali. Não resisti e dei uma levantada rápida no lençol, pra poder ver o corpo por inteiro. Ai meu deus! Que visão era aquela. Que mulher! Estava totalmente nua. Ainda reflexo do sexo que fizéramos antes de dormirmos. As costas lisinhas e aquela bunda redonda, tudo tostado de sol. Exceto a faixinha branca em forma de “V” que o biquíni deixara na bunda.
Meu deus! Não vou resistir. Antes de pensar isso, já tinha afastado o lençol e me deitado sobre aquelas costas. O pau já bem duro se encaixando entre a bunda e a buceta. Hummmmm Nessa hora ela começou a acordar. Só virou um pouco a cabeça, e murmurou:
– Não come meu cuzinho a seco não!
– Não?
Perguntei mais pra ter alguma dica. Na verdade fiquei meio sem entender. A seco mesmo eu não como bunda nenhuma. Sempre lubrifico antes de penetrar. Isso é básico. Ainda meio sonolenta, ela deu a dica que eu precisava:
– Faz alguma coisa antes… faz uma massagem safada!
Hummmm agora sim está perfeito! Fui até as minhas coisas e peguei um acessório que eu tinha levado pensando em um momento como esse, que seria perfeito agora. Um gel 2 em 1. Gel massageador e lubrificante em um só produto. Passei um fio do gel sobre a coluna dela, e comecei a massagear suas costas. Ela começou a se contorcer e murmurar baixinho.

Passei um pouco mais de gel mais próximo ao pescoço. Espalhei pelos ombros e braços. Hummmm Ela também parecia estar gostando. A essa altura já estava bem acordada. Embora ainda se mantivesse de olhos fechados e apenas murmurando ao invés de falar. Massageei bem os braços, descendo até as mãos, espalmadas ao lado do corpo. Ela começou a gemer baixinho… hmmmmm
Voltei pelos braços até as costas de novo. Passei mais um pouco de gel e comecei a massagear toda da extensão da coluna. Juntava as mãos no centro e passava até as laterais das costas. Descendo, faixa por faixa, vértebra por vértebra, até chegar no começo da bunda. Aiaiaiai e que bunda!

Lambuzei com mais gel bem no meio da marquinha de biquíni, que deixava aquela bunda ainda mais maravilhosa. Comecei a fazer movimentos circulares com as duas mãos, uma em cada lado, preenchendo bem todos os espaços. Aí ela já gemia mesmo. A bunda ficou brilhando, lisinha… ai meu deus, que visão! Comecei a segurar cada lado da bunda com as duas mãos, de maneira que uma passeava pela lateral, e a outra descia bem pelo meio, esfregando e lambuzando o cuzinho, que agora de seco já não tinha nada. Hmmmmm ele estava era preparado pra receber meu pau com prazer!

Passei mais gel ali no meinho, pra lambuzar de vez! Não resisti e comecei a enfiar os dedos um pouquinho no cuzinho dela. Ela além de gemer começou a rebolar! Aiaiaiai está pronta. Coloquei a camisinha, passei gel no pau, que já estava duríssimo, e me aproximei daquele buraquinho delicioso. Hmmmmm
Me deitei em cima dela e encostei a cabeça do pau na entradinha do cuzinho. Ela deu uma reboladinha e eu senti a deixa pra começar a penetrar. Ajeitei no lugar certo e fui enfiando devagarinho. Ela foi gemendo de tesão. O que me fez ir até o fundo, até sentir a sensação maravilhosa de sentir o pau inteiro dentro daquela bunda, que agora estava encaixada perfeitamente no meu colo.

Ao sentir o pau inteiro dentro do cuzinho, ela começou a rebolar de novo. Que mulher! Passei a mão pelo seu quadril e fui deslizando pela frente, até chegar no clitóris. Molhadíssimo! Comecei a mexer nele e ela começou a rebolar e gemer ainda mais. Ai que tesão! Automaticamente aumentei o ritmo das estocadas. Ela ficou ofegante, Vi que ia gozar. Continuei firme até que ela deu um gemido mais alto! Aaahhhh Não resisti e gozei também, explodindo dentro daquela bunda deliciosa! Ahhhhhh

Ainda ficamos um tempo ali, eu deitado por cima dela, o pau ainda dentro da sua bunda, latejando e perdendo a rigidez aos poucos. Aiaiaiaiai que mulher gostosa! Dei uma respirada funda perto do seu ouvido, ela respondeu com um gemido baixinho, como que satisfeita. Ao ver a bisnaga de gel ao lado, na cama, disse:
– Ah, você veio com a intenção de comer meu cuzinho mesmo, hein?
– Não podia?
– hummmm… podia!
E já pensei: não é que o planejado às vezes dá certo! kkkkkkk

Rate this post