Me apaixonei por uma amiga do trabalho

A história que vou contar é verdadeira! Nos tempos de adolescência, na escola, eu, César, conheci a Cristina! Nos víamos, tínhamos alguns amigos em comum, mas só isso! O tempo passou, eu me casei, tive 2 filhos, fui morar em outra cidade!

Algum tempo depois voltei pra minha cidade e tive uma oportunidade de emprego na mesma empresa onde a Cristina trabalhava! Não trabalhávamos no mesmo setor, mas quando tinha oportunidade, conversávamos… sobre o trabalho, lembrávamos dos tempos da escola… e com isso criamos um laço de amizade! Alguns anos se passaram, Cristina se casou, e ambos recebemos a proposta pra fazer parte de um projeto numa outra empresa! Ambos aceitaram! Nessa outra empresa, passamos a trabalhar bem próximos… e com isso conversávamos bastante, sobre tudo… porém, não passava de amizade!

Cristina ficou grávida, acompanhei de perto a gravidez dela… me lembro do momento em que estávamos trabalhando e ela disse: Minha bolsa rompeu!!! Fiquei assustado, não sabia o que fazer! Mas ela estava muito tranquila… deu tudo certo no parto e ela teve um lindo bebê!

A Cristina era e é muito bonita… e muito gostosa, as vezes eu brincava dizendo algumas coisas mais picantes sobre ela, sobre nós… mas ficava só na brincadeira! Passado mais algum tempo, nossa amizade sempre em alta… eu comecei a sentir algo a mais… no começo achava que podia ser só tesão… ou uma certa carência da minha parte… mas esse sentimento foi crescendo… foi crescendo… foi tomando uma proporção inimaginável. Eu tentava me enganar, dizendo pra mim mesmo que era um flerte, ou algo passageiro! Mas que sentimento tão grande e intenso é esse que não passa nunca!

Achava tudo aquilo estranho, pois como conversávamos bastante, e sobre tudo… tudo mesmo, ela sabia de muitas coisas da minha vida, do meu passado, das minhas aventuras… e eu sabia de muitas coisas dela! Diante de tudo aquilo, eu não tive escolha, precisava dizer a ela o que se passava comigo! Comecei com uma mensagem aqui… outra ali… comecei bem devagar a me expor, usando a inspiração que ela (Cristina) e tudo aquilo que eu estava sentindo me causavam!

No começo ela parecia não acreditar muito em mim… mas aos poucos ela foi se dando conta de que eu não iria brincar com uma coisa tão séria, ainda mais porque ambos tinham o seu cônjuge, filhos, enfim… eu não iria, de forma alguma, prejudicar a vida dela se o que eu estivesse sentindo não fosse tão sério! Um belo dia… próximo o final do expediente, percebi que o pneu da minha moto estava furado! Perguntei a Cristina se seria possível que ela me desse carona… já que ela iria pro mesmo rumo que eu.

Ela gentilmente disse que sim! No caminho conversamos um pouco… eu estava meio sem jeito, ela percebeu mas disfarçou e quando chegamos no local que eu iria descer… fui lentamente em direção ao rosto dela pra dar um beijo… ela suavemente virou o rosto pro meu lado e nossos lábios se tocaram!!! Ahhhh… me lembro do meu corpo ficar trêmulo, meu coração disparado, uma sensação incrível… eu segurei o rosto dela pra não desgrudar daquele beijo e ela correspondeu!

Foi um beijo rápido… ficamos totalmente sem jeito, ela até gaguejou na hora de despedir, rsrsrs! Saí do carro com um sorriso largo… feliz pelo que tinha acabado de acontecer! O dia seguinte era feriado… passei o dia todo lembrando daquele beijo e desejando que muitos outros beijos acontecessem! Após o feriado, de volta ao trabalho, quando a vi pela manhã ela me olhou… sorriu maliciosamente… e me perguntou: Passou bem? Naquele dia fiz questão de não consertar o pneu da moto, só pra ter o pretexto de pedir carona novamente… e Cristina, gentilmente, concedeu!

No caminho, pedi pra ela virar numa determinada rua e indiquei um lugar mais tranquilo pra ele estacionar! Ela mau parou o carro eu fui em direção a ela e a beijei! Dessa vez foi um beijo mais longo… conversamos um pouco e logo saímos dali e ela me deixou em casa!

Na empresa, tínhamos que disfarçar, mas eu confesso que não conseguia… conversávamos pelo Skype e também por email, já que ainda não tinha o WhatsApp. Nossas mensagens foram se intensificando, foram ficando cada vez mais calientes!

Poucos dias depois dei ideia de um lugar, não tão secreto (rsrsrs) pra gente se encontrar! Cristina topou! Iríamos nos encontrar no nosso horário de almoço! Nesse encontro nos beijamos muito gostoso… mas como o tempo tava muito curto, ficamos só nos amassos… só na vontade! Mas combinamos de nos ver e aumentar esse tempo pro outro dia!

E assim aconteceu… porém, foi um desastre pra mim… eu desejava tanto aquela mulher, mas tanto, e na hora H, fiquei tão nervoso, ansioso e broxei! Que sensação horrível, que vergonha! Eu nunca havia passado por uma situação assim! Confesso que me senti tão inútil aquele dia, tão derrotado. Foi aí que descobri porque a disfunção erétil aterroriza tanto os homens!

Massss… Cristina levou com bom humor toda aquela situação constrangedora e com o passar dos dias e nossos encontros cada vez mais calientes, fui adquirindo confiança e decidi que não ia fazer nada com o intuito de impressioná-la… eu sabia do meu potencial… era só ser eu mesmo! Mas Cristina começou a se afastar de mim, me tratava com indiferença, fingia que nada tinha acontecido… fiquei perdido, sem chão! Ela mal me olhava, não tinha nos lábios aquele sorriso malicioso que me enlouquecia!

Eu tinha que manter o controle pra que ninguém na empresa percebesse, tinha que fingir que estava tudo bem mas por dentro uma interrogação gigante: Porque ela se afastou? Porque não me dizia nada? Será que não fui homem suficiente pra ela? Um bom tempo se passou, com tudo isso eu evitava falar com ela até mesmo sobre os assuntos da empresa! Um belo dia,

Cristina, que tinha e talvez ainda tenha muita dificuldade em expressar o que sente, voltou a conversar sobre o que sentíamos um pelo outro, dizia que havia se afastado pois não era certo o que estávamos fazendo, ela se sentia muito mal com toda aquela situação e infelizmente ela havia adotado o silêncio como resposta! Mas também dizia que sentia minha falta, dizia que eu era muito especial na vida dela e combinamos de voltar a nos encontrar no nosso cantinho nada secreto!

E assim nos encontramos… beijei ela loucamente, abraçava ela com força, puxava seus longos cabelos cacheados de forma que seu pescoço ficasse bem livre pra eu poder beijar… dar umas mordidinhas… com isso ela começou a gemer baixinho… mordia os lábios… bem devagarinho fui tirando sua blusa… deixando seus seios à mostra… comecei a chupar os seios dela com vontade… ela se contorcia e gemia baixinho… enquanto eu chupava ela cada vez com mais vontade… senti meu corpo estremecer quando ela colocou a língua na minha orelha!!!

Fiquei louco de tesão…. sentia sua respiração ofegante… comecei a tirar a sua calça, fui até os pés dela e comecei a beijá-los… eu sempre gostei de pés… mas os dela provocavam em mim uma tara além do normal!

Eu mordia levemente a sola do pé, chupava todo o pezinho dela… até conheci uma pinta que ela tem no dedinho! Fui subindo beijando suas coxas, abri bem as pernas dela e vi que sua calcinha já estava encharcada… passei a mão levemente naquela bucetinha linda, dei vários beijos no entorno dela e comecei a chupar!

Aí sim Cristina começou a gemer com vontade… se contorcia… como era deliciosa sua bucetinha, suculenta, enquanto passava a língua no seu clitóris, penetrei ela com o dedo… e a outra mão comecei a acariciar o bico do seu seio!

Que sensação deliciosa… aquela mulher que eu desejava tanto estava ali… nas minhas mãos, um corpo lindo, que eu adorava comer primeiro com os olhos… toda nua… toda minha (pelo menos naquele instante)! Fiquei chupando ela por alguns minutos e depois virei ela de quatro, com aquela bunda branquinha, os lábios rosadinhos, escorrendo o seu mel… comecei a lamber seu cuzinho… e enquanto eu lambia, penetrei a bucetinha dela com o dedão enquanto acariciava o seu clitóris com o dedo médio!

Ahhhh… os gemidos dela soavam como música pra mim! Minha vontade era possuir aquela mulher todo dia… toda hora… todo instante… satisfazê-la por completo! De repente Cristina começa a se contorcer mais forte e goza feito louca! Naquele momento de êxtase total, Cristina se levanta e me joga na cama, me olha com desejo… pega no meu pau e começa a chupá-lo com vontade… eu seguro ela pelos cabelos e aquele movimento da sua boca engolindo meu cacete me deixa louco! Deixando meu cacete bem molhadinho ela se senta sobre ele e começa um vai e vem frenético!

Me lembro da expressão de desejo estampada no rosto dela enquanto sentia meu pau penetrar sua buceta! Uau… ela rebolava, quicava com vontade, mordia os lábios… suas mãos apoiadas no meu peito… os cabelos longos e cacheados escorriam e cobriam parte dos seus seios… seios que eu apertava e ela gemia com vontade, enquanto seu corpo se embalava em cima do meu!

Como era possível desejar alguém tanto assim? Mulher as vezes diz que homem é tudo igual… em partes eu concordo… eu tive a minha fase de querer pegar um monte de mulher, sair fazendo farra até esfolar o cacete, rsrsrs… mas o que eu sentia por aquela mulher me fazia desejar somente ela! E não era apenas o desejo sexual… nós tínhamos uma sintonia tão gostosa, e associada a tudo o que eu sentia por ela, me fazia querer compartilhar cada momento com ela, cada alegria, cada sorriso, e também as dificuldades… queria superar cada obstáculo ao lado dela!

Naquele frenesi coloquei Cristina de quatro, enfiei meu pau com vontade na sua bucetinha… os lábios daquela delícia de buceta abrigavam meu cacete.

Cristina estava com o rosto sobre a cama, as mãos cravadas no lençol, fui aumentando a intensidade das estocadas e ela gemia tão gostoso! Aquele instante era como se existisse somente nós dois… e o desejo ardente que nos unia! Minha vontade era de que o mundo parasse e ficássemos somente nós dois ali, entrelaçados, nus, exalando amor, tesão! Nossos encontros continuavam cada vez mais intensos, a sintonia entre nós só crescia, as vezes eu brincava com ela perguntando se ela queria na cama o César romântico e gentil ou o César insano e selvagem? Ela sempre dizia que queria muito dos dois!

Na empresa eu tinha que me controlar, mas algumas vezes nos provocávamos. Ela me olhava com aquele olhar de desejo… eu instantaneamente correspondia! Ela via, nitidamente estampado em meu rosto o tesão que ela provocava em mim… e a cachorra adorava toda aquela magia que nos unia! Me lembro que um dia ela estava em sua mesa, trabalhando normalmente, cheguei atrás dela e enfiei minha mão por dentro da blusinha que ela vestia e fui em direção ao seu seio, apertava o biquinho que já estava durinho… ela se segurava na cadeira e sua respiração ficava ofegante… instantes depois ela foi até uma sala de reunião… e eu fui em seguida… ao entrar na sala fui em direção a ela e a beijei… ela se abaixou, abriu o zíper da minha calça e começou a chupar meu pau… áhhhh, que delícia!

Ela chupava com vontade… me levava ao delírio! Com receio de que fôssemos descobertos ficamos poucos instantes ali sem poder dar sequência no nosso desejo! Numa outra ocasião, estávamos no final do expediente e fiquei responsável por fechar a empresa…

Cristina demorou um pouco mais e por fim, estávamos só nós dois na empresa. Ao perceber que ela estava descendo as escadas fui em direção a ela e a agarrei, levantei a sua blusa e comecei a chupar os seus seios… rapidamente desabotoei a sua calça e comecei a acariciar sua bucetinha! Ela abriu minha calça, começou a me masturbar e em seguida se abaixou e começou um boquete delicioso! Infelizmente não podíamos ficar ali por muito tempo… então eu a levantei e coloquei ela com o rosto virado pra parede e pedi que empinasse aquela bunda gostosa pra mim!

Meti com vontade na bucetinha dela enquanto puxava os seus cabelos com uma mão e a outra apertava o seu seio! Ahhh como ela gemia gostoso! Passado um tempo, Cristina novamente começou a se afastar de mim. Pelo menos dessa vez, ainda que por carta, teve a decência de explicar os motivos do seu afastamento!

Eu conhecia muito sobre a vida dela, sabia de alguns problemas de família que ela enfrentava, por muitas e muitas vezes me coloquei totalmente a disposição dela pra ajudá-la no que fosse preciso, mas ela se manteve distante! Passado alguns meses, a empresa passava por um processo de reestruturação e Cristina acabou sendo dispensada! No momento em que veio se despedir de mim, nos abraçamos longamente, choramos muito, eu principalmente! Foi um dia muito, muito difícil! Dias depois escrevi mais uma de muitas cartas que escrevi pra ela, quase implorei pra que ela não desistisse de nós… mas foi em vão!

Cristina se afastou de vez de mim! Só me restou aceitar que se cumprisse a vontade dela. Depois disso passei a evitar tudo a respeito dela. Não porque eu não a queira, muito pelo contrário, não tem um dia sequer que eu não pense nela, nas filhas dela, pois tenho também um amor imenso pelas filhas dela! Não tem um dia sequer que eu não deseje ela ao meu lado, partilhando juntos cada momento de nossas vidas! Ao escrever esse relato, um misto de sentimentos tomam conta de mim!

Dúvidas: Porque gostar e desejar alguém tanto assim, muitas vezes ser correspondido com tanta intensidade e todo esse sentimento ser em vão? Senti alegria, tesão, por lembrar dos momentos maravilhosos que passamos e sei que ainda poderíamos passar e também uma tristeza enorme por não conseguir lidar com a falta que essa mulher faz na minha vida! Talvez um dia eu entenda e aceite que tenha sido melhor assim…

Rate this post