O começo

Estava meio triste aquele dia. Sozinha como sempre sem ter com quem conversar.
Afinal ele havia conseguido me afastar de todo as amigas com suas proibições, vigilâncias e “exigência de dedicação exclusiva”.

Resolvi tentar conversa no site que meu terapeuta havia indicado. Não que não houvesse pessoas para se conversar neste site, contudo meu uso sistemático de metáforas dificultava a comunicação e era maçante ter que parar a conversa para explicá-las cada vez que usava.

Ora você pode estar se perguntando: Não era melhor não usá-las? Sim e não.

Sou tímida, comedida, pouco habituada a falar de sexo. As metáforas são a forma de falar do assunto sem confrontá-lo de frente.

Bom mas voltando àquele dia entre na sala e um falava, outro cumprimentava, mas não estava respondendo por causa dos nomes usados: grosseiros e chulos, na haver…

Então vi um com nome bem simples e despretensioso. Que resolvi responder. A conversa começou simples perguntas de onde morávamos, ficha técnica (é assim que costumo chamar a descrição peso, altura, cor, cabelos, olhos e medidas corporais). Pedi a ficha técnica dele e delirei no íntimo quando disse ter 1,84 x98 kg. ”Um homem grande!”

Passei a minha ficha técnica: 1,67 de altura x 75 kg, olhos, pele e cabelos negros e eu disse sou gordinha. Esperei

com certa apreensão ele responder porque mulher negra e gordinha… Já estava acostumada à rejeição desde que engordei: meu marido quase não me procura e quando o faz é de uma forma apressada só “para cumpri tabela”,

como dizem.

Ele respondeu que quem gosta de mulher magra é mulher, e que amava negras.

Diante da resposta passei mais detalhes da ficha técnica para que não houvesse dúvidas de que eu era de fato gordinha: busto 92, quadril 110, cintura 85.

Isso fez a conversa esquentar mais. E diferente dos outras vezes que entrei no site antes, ele entendia minhas metáforas respondia de acordo e usava a mesma terminologia para se referir ao assunto. Fiquei encantada!

Ele perguntou se poderia descrever uma parte especifica do corpo. Respondi se você quiser…
Tamanho mediano, grosso e com uma cabeça que parece um morangão.

Salivei nessa hora!

Perguntei então a idade e ele me disse 38.

Ihhhh! Tenho 45. Respondi. Ele disse que não se importava com isso e se havia problema para mim. Respondi que era uma diferença significativa embora admitisse que um homem de 1,84 com um morangão de quebra, me

deixavam bem empolgada.

Trocamos telefones e resolvemos sair da sala para ter uma conversa mais fluida.

Rate this post