Trai o meu marido e não me arrependo

Olá pessoal! Me chamo Nathalia e esse é o meu primeiro conto. Espero que gostem, pois essa história de fato aconteceu comigo e eu senti essa vontade de compartilhar esse pedacinho da minha lokura que venho tendo.
Sou casada, bancaria, tenho 25 anos, branca, cabelo longo liso preto, 1.65 altura, seios durinho e uma bunda empinada bem deliciosa, barriga lisinha, pois gosto de malhar, minha boca é carnuda e minha bucetinha quase raspadinha. Meu marido (Pedro), tem 1.80, branco, cabelo liso e malhado.

Eu e Pedro nos damos super bem, não tenho o que reclamar dele, ele realiza todos os meus desejos, e sempre me deixou bem a vontade para tomar minhas próprias decisões.

Tudo começou quando reencontrei alguns amigos de colégio e fizemos um grupo no zap. Todos já casados, sem filhos, só o Filipe que ainda namorava. De todos o único que eu mantinha mais contato, que eu mais conversava pelo zap, era com o Felipe. Me identifico com ele porque ele tem um estilo maloqueiro como eu, meio loko, adora curti uma boa noitada, e de vez em quando marcamos de sair para beber em casal, ou irmos em balada, eu, Pedro, Felipe e a Julia (Namorada do Felipe), onde no decorrer do tempo que saíamos acabei ficando amiga da Julia e o Pedro do Filipe.

Certa vez em um feriadão prolongado, decidimos em alugar uma casa de praia pelo Airbnb, no final saiu barato para todos, todos acharão uma boa ideia, foi uma maneira até de nos reencontrar novamente. Filipe e eu começamos agitar e ver uma casa top.

Saímos todos na sexta, chegamos quase a noite, e todos cansados tendo que descarregar as malas.No Sábado a noite decidimos fazer uma festinha, queimar uma carne. Os homens saíram para comprar as bebidas e nós mulheres fomos para a cozinha.

Preparamos tudo, os homens acendeu a churrasqueira e a festa começou. Felipe botou o som alto do carro dele, aquele funk da hora, e só dava bebida. Eu estava de shortinho jeans branco bem curto, (esse que estou vestida na foto), usando um cropped com a barriguinha de fora, de salto alto 16cm transado na frente, pois amo usar salto de shortinho, e bem maquiada, os olhos bem marcados, com bastante rímel para dar aquela levantada e volume nos sílios e aquele delineador para fazer aquele gatinho que eu amo, com os meus cabelões soltos batendo na cintura, quase na bunda. Adoro dançar funk, descia até o chão com um latão de Brahma na mão, depois já estava misturando cerveja, vodka e Red Label, acendia um cigarro um atrás do outro, não conseguia parava de fumar, (Sou fumante) sempre estava com um cigarro aceso no dedo. Pedro me abraçava por trás e dançávamos juntos, eu esfregava a minha bunda no pau dele, sentia ele duro sobre a calça. Até que foi entrando madrugada a dentro, o fogo da churrasqueira foi ficando só em brasa, a musica já estava baixa e tocando sertanejo, e geral bêbado já, tudo indo dormir. Pedro chegou pra mim e disse que estava com muito sono e iria dormir, ele sempre foi mais fraco por bebida.

No final estava só eu dançando e bebendo feita uma loka, não estava bêbada. Enquanto bebia me deu uma vontade loka de fumar, mas meu cigarro já tinha acabado, até que vi o Felipe sentando fumando com uma garrafa de Bacardi do lado. Fui até ele, pois da galera só nós dois que fumava.Ele diz: – Ué, ainda acordada?!Eu digo: Sim, pelo visto, só sobrou a gente.Perguntei a ele sobre a Julia e ele me disse que ela já tinha ido dormir, estava bem bêbada. Disse a ele o mesmo do Pedro.

Falei com ele que estava loka pra fumar e pedi um cigarro, ele me diz que o cigarro que ele tava fumando era o último, mas dividiu comigo. Aproveitamos e começamos a beber novamente, detonamos a garrafa de Bacardi. Digo que a quele cigarro foi o cigarro mais longo que a gente já havia fumado, pois conversa vai conversa vem, percebo Felipe já alterado, me elogiando e mechando de linda. Felipe estava sem camisa e acho que eu estava ficando fora se si tbm, pois as coisas que Felipe já estava falando pra mim em meu ouvido estava me excitando. Felipe põe sua mão na minha perna e começa a alisar, eu não o proíbo e deixo ver no que ia acontecer. Eu já estava fora de mim. Não resisto e ponho minha mão sobre a perna dele.
Felipe pega e segura no botão do meu short, achei que ele fosse querer desabotoá-lo, mas só ficou segurando. Passo minha mão por cima da bermuda dele e sinto seu cassete duro e grosso latejando na minha mão. Felipe me beija de repente e o correspondo sem medo. Ao se passar alguns minutos nos beijando, caio em sí e digo a ele que iria ver se não tem ninguém inda acordado. Vou até o meu quarto e Pedro estava dormindo no decimo sono, fui verificar a Julia e ela tbm estava apagada. Acasa estava toda em silêncio, todos estavam dormindo, arriados. Voltei para fora e continuei beijando Felipe, não sabia o que estava acontecendo comigo, pois eu nunca havia traído o Pedro, nunca tive motivos para traí-lo, mas aconteceu e eu não pude evitar.

A carne falou mais alto e eu cedi. Até que de repente senti a sua mão alisando a minha barriga, quando percebi, meu short já estava desabotoado com o zíper abaixado. Nossa que tesão que fiquei quando eu vi aquilo. Peguei ele pela mão e fomos para a lavanderia. Deixamos a luz de fora acessa e a da lavanderia apagada, pois caso alguém chegasse escutaríamos e daria tempo de nós sair. Mas não estava tão escuro não, dava para enxerga, pois na lavanderia estava meia luz. Sentia seu beijo pelo meu pescoço, ele arrancou minha blusinha e deixou meus seios de fora e começou a chupa-lo sem parar, meus bicos já estavam bem duros de tanto tesão.

Desabotoei a bermuda dele e coloquei o pau dele para fora e comecei a chupar com vontade, fazendo garganta profunda, e olhava fazendo aquela cara de safada, até que o pau dele ficou todo molhado com a minha baba. Coloquei ele sentado em um banquinho e olhava para quele pau duro e ereto, sentei no colo dele. Não arranquei o meu shortinho, com ele todo desabotoado mesmo, pus ele de lado e sentei, sentia a pica dele entrando na minha bucetinha. Que loucura, estava transando sem camisinha, mas naquele momento já não estava pensando em mais nada, só queria receber leite. Apesar do que eu tomava anticoncepcional para não engravidar, então foi suave. Ele chupava meus seios enquanto ao mesmo tempo eu cavalgava no colo dele. Ele dava tapas na minha bunda, puxava meus cabelos. Meu tesão foi aumentando e disse para ele me dar tapa na cara e começar a me xingar. Ouvia ele me chamando de vadia, vagabunda, de puta, piranha… de tudo e ainda dando tapas na minha cara.

Sentia sua língua passando pelos bicos dos meus seios e seu pau grosso me socando, estava doida, eu estava quase gozando quando ele me disse que não estava mais aguentando e iria gozar. Então eu disse para ele jogar bastante leite dentro de mim. Foi ai que senti sua porra entrando bem quente e não aguentei e comecei a gozar tbm. Logo após minhas pernas já estavam bambas. Abotoei meu shortinho, coloquei a blusa e fomos dormir. Demos beijo um no outro de boa noite e fomos dormir, naquele momento eu só queria acender um cigarro para relaxar. Estava sem forças para tomar um banho e deitei perto de Pedro, abracei ele de conchinha com a minha buceta toda suja de porra e fedendo a sexo, mas ele nem se quer acordou.
No outro dia, fui logo tomar um banho, e ao sair do banheiro com a toalha em minha cabeça, me deparo como Felipe na minha frente querendo entrar no banheiro. Fiquei sem graça, não sabia como olhar para ele. Assim que ele saiu do banheiro ele me chama para ir com ele na rua comprar maço de cigarro. Falo com Pedro que eu iria sair para comprar cigarro Felipe, afinal só nós dois que fuma, e saio. Entro no carro e no caminho ele relembra de tudo que aconteceu com a gente, achei que ele não lembrava de nada, mas ele disse do nosso momento em cada detalhe, foi ai que eu pude vê o quanto ele estava sóbrio. Paramos perto da praia, começamos a fumar e conversar, nos beijamos novamente e voltamos.

Hoje ainda mantenho contato com Felipe, quando ele está perto do meu trabalho ele me chama para almoçar e a gente acaba indo pro motel. Julia nem desconfia de nada, ainda continuamos amigas e o Felipe do Pedro, ambos não desconfiam do nosso relacionamento.

Se eu te falar que não estou arrependida, com certeza não. Felipe é meu amante, Pedro sempre carinhoso, estou pensando em terminar com Pedro, para não continuar machuca-lo assim, ele não merece isso. Quero falar toda a verdade para ele, mas Felipe não quer que eu faça isso, se não Julia termina com ele, pois afinal ele ainda quer continuar com Julia e tbm comigo. Mas digo para ele que dessa forma, vamos poder ficar juntos. Sei que vai ser duro pro Pedro, mais a gente supera. Por isso fiz esse conto. Mas estou vivendo boas aventuras com Felipe, ta sendo tudo proibido e está sendo muito gostoso.

Já atendi o telefonema de Pedro, enquanto eu estava cavalgando no colo de Felipe no motel, depois pedi para Felipe ligar para Julia e ele ligou enquanto ele comia meu cu. Comecei a gemer alto. kk’ Foi muito bom. Mas isso fica para um outro conto.

Beijokas meus amores!Desculpa por alguma falha, é o meu primeiro conto, espero que gostem

Rate this post