A crentinha virgem parte 1

Olha eu aqui de novo! Me chamo Lucas, hoje tenho 25 anos, sou moreno, magro, 1,70 de altura, 60 kg, não sou nenhum galã, mas tenho um bom papo e uma pegada muito firme! é o quinto conto que escrevo (tenho vários, caso gostem) peço desculpas qualquer coisa…

Eu já conhecia essa novinha (Bia), ela era amiga da minha namorada, mas a gente nunca se falou, ou não passava de cumprimentos. Ela era uma mulatinha bonita, 1,60m de altura, cabelos bem cacheadinhos, lábios carnudos, magrinha, tinha uma bundinha empinadinha, peitos bem pequenos e uma enorme pose de santinha (e era, só havia tido um relacionamento de uns 5 meses com o mesmo cara que tirou seu BV eficado com um outro rapaz).

Começamos conversa quando minha namorada ficou sem celular e usava essa amiga e o whats para manda os recados etc… Nisso comecei a reparar mais na Bia, foi como se do nada o mundo me apresentasse aquela guria, começamos responder status um do outro, eu comecei puxa papo sobre seu antigo relacionamento, fui usando toda minha experiencia pra esquenta as conversas já na intenção de conseguir alguma coisa, mas meio receoso por ela ser certinha e ainda por cima amiga da minha namorada… A conversa foi tomando um rumo bem gostoso e proibido.

Começamos conversar na quarta, nos vimos pela primeira vez na sexta (sem minha namorada por perto), sabia que não ia rolar nada por conta do local, mas fui com uma calça bem apertada daquelas que marcam mesmo só pra provoca ela, logo de cara quando a novinha sentou do meu lado e viu aquele volume ela só faltou baba no meu colo, mal tirava os olhos do meu pau, mas como tinha conhecidos próximos não rolou nada.

Ficamos no sábado à tarde em uma rua meio deserta aqui perto de casa só que dessa vez fui pra cima dessa novinha pra ver até onde ela deixava rsrs sabia que o ex dela não era nenhum bobo, nos cumprimentamos, já dei um bjo nela logo em seguida, com uma mão firme na cintura e outra na nuca dela segurando o cabelo eu a bjava com muita vontade, ela estava de saia e uma blusinha nisso fui experimentando ela e vendo até onde podia ir, me surpreendeu como ela deixava tudo muito livre pra mim fazer oque quisesse, ela era muito mansa e meio que estava completamente rendida, só gemia baixinho com as chupadas no pescoço, mão nos peitos, bunda etc…

Detalhe, tudo isso a céu aberto e algumas pessoas passando vez enquanto. Ela tinha sim uma pose e currículo de certinha, mas adorava uma safadeza… mas a essa altura já tinha dúvidas se ela era virgem mesmo, a gente se amassava muito, eu colocava a mão dela sobre meu pau, depois já com o pau pra fora recebendo uma punheta e mamando os peitinhos dela… foi quando puxei a calcinha dela pro lado e tentei enfia os dedos na bucetinha dela que já estava escorrendo, mas logo em seguida ela soltou um grito brigando comigo pela dor. Já que não podia enfia os dedos fiquei só esfregando e em seguida pedi um boquete que com um pouquinho de insistência foi atendido, ela chupava muito bem (havia treinado com o ex já rsrs) tinha uma boquinha muito quente e com aqueles lábios carnudos… geeeente! não cheguei a goza (nunca gozei só com boquete), mas ela me surpreendeu.

Marcamos de ficar outro dia, ficamos e eu fiz tudo isso e muito mais novamente, até que virei ela de costas já com as calças no chão e comecei esfrega a pica na bucetinha dela, estava uma delícia ver aquela bundinha empinada pra mim e ela gemendo baixinho, mas ainda não foi dessa vez que tirei seu cabacinho por conta da dor que era muita.

Nisso veio o que me deixou mais surpreso, com ela ainda de costas pra mim devido minha insistência pincelei a pica no cuzinho dela e ela não reclamou, como não reclamou continuei esfregando e entrando aos poucos com bastante sacrifício, mas tbm com prazer, ficamos uma tempinho assim, mas não tinha ido nem a metade do pau quando ela pediu pra tira e da um tempo (a safadinha então disse que já havia tentado anal uma vez com o ex, só que ele maltinha conseguido colocar a cabeça).

Não satisfeito pedi pra tentar de novo e ela aceitou, já mais confortável foi se entregando e minha pica já ia sendo enterrada quase toda naquele cuzinho apertado. Passado uns minutos eu já metia mais à vontade e com um certo ritmo oque a deixava louquinha, de primeira a safada já estava curtindo o anal, estava muito bom come aquela novinha virgem eu nem acreditava fui de atirador franco e me dei muito bem, sei que não demorou muito eu gozei dentro do cuzinho dela, nos vestimos e deixamos pra outro dia a bucetinha.
Continua…

Rate this post