Ainda não há respostas para esta pergunta.

tinha 19 anos quando aconteceu, Tenho 1,70, branco, barba e cabelos castanhos um pouco comprido. Meu vizinho havia viajado e tinha deixado a chaves do apartamento la em casa pra que eu pudesse alimentar seu gato. Certa noite ele me liga e pergunta se eu poderia levar uns papeis que ele havia esquecido ate a casa do tio dele, que morava há poucos quarteirões. Como eu não tinha nada pra fazer eu os levei.

Chegando la o tio dele abre a porta e pede para que eu entre. o tio dele tinha uns 50 anos, era magro definido, alto, peludo, grisalho e calvo. ele usava uma camiseta cueca e meias, e tomava uma cerveja.
– Aceita uma lata?
– Não obrigado, eu só vim entregar isso para o senhor, eu já vou voltar pra casa.
– Você viu que esta começando a chover? pode ficar aqui em casa enquanto a chuva passa, bebe uma comigo. – Falou arrumando o pau.
Eu estava desconfortável pq não era fã de homens mais velhos e disse que precisava mesmo ir, mas ele insistiu pra que eu tomasse uma cerveja com ele e eu acabei cedendo.

sentamos no mesmo sofá e começamos a beber e conversar, ele começou a abrir as pernas e esbarrar os pelinhos da perna dele na minha. num primeiro momento eu tirei mas depois acabei deixando ele encostar, eu estava começando a ficar excitado e nossa conversa começou a ter duplo sentido e ele começa a olhar diretamente no meu olho e pergunta:

Quer pegar no meu pau? vai pega…
Eu tremendo peguei no pau dele sobre a cueca e parei,
-esta com vergonha?
– Um pouco, o senhor tem mais cerveja?
-tenho sim, abre sua boca.

ele deu um gole na lata dele e em seguida cuspiu tudo na minha boca e me beijou, eu não estava preparado pra isso e acabei cuspindo tudo nele, deixando ele todo babado de cerveja.

-não queria cerveja putinha? agora vai ter que tomar da minha boca.
-mas isso é nojento.
-Viadinho, hoje eu vou te ensinar a parar de frescura. ja ja você vai ganhar uma cerveja especial, agora abre a boca. – e cuspiu mais cerveja na minha boca, e aos poucos aquilo foi me excitando. Ele cuspia a cerveja na minha boca e eu cuspia na dele.

-isso viadinho, olha como vc me deixou molhado, ja fizemos a maior baunça no sofá, vai pro chão pra não molhar mais o meu sofá. Eu so vou na cozinha pegar outra cerveja.

Quando ele volta ja estava totalmente nu e com uma cerveja na mão.

-Abre a boca. – ele ordenou.

o pau dele estava meia bomba e pra minha surpresa, ali na sala ele começou a mijar sobre mim.

– O senhor esta louco? vc ta mijando em mim? – Eu levantei com nojo e vestindo minha roupa dizendo que iria embora.

ele correu pra porta pegou a chave e falou:

– Acho que você não entendeu a dinamica da coisa, você so vai embora depois que eu gozar. agora volta pro chão que eu não acabei de te dar a cerveja especial.

Novamente ele começou a mijar e mim, depois do susto eu comecei a gostar, tomei coragem e abri a boca pra tomar o mijo dele, quando ele terminou ele beijou minha boca e começou a me abraçar e deitar no chão que tinha uma poça de xixi.

-AH minha putinha ta tao quentinha e molhadinha que me deixou durão aqui, agora eu vou enfiar minha vara no teu cuzinho pra te encher com meu leite.
-Mas eu so faço com camisinha.
-Tudo bem, que seja.

Ele foi buscar camisinha e um gel que esquenta, em seguida começou a fazer uma lambança com o gel e e depois de encapado me mandou ficar de franguinho e começou a me beijar e enfiar o pau dele. O pau dele era comprido e tinha a cabeça pequena, era levemente torto para a esquerda e dava uma engordada no meio e depois voltava a afinar. Começava bom, depois era um sofrimento e quando entrava tudo uma sensação de preenchimento que me excita so de lembrar. nossos corpos molhados, ele metia encostando barriga dele nas minhas cotas, virava minha cabela pra eu beijar ele e cuspia na minha boca. começou a ficar mais ofegante e frenetico, eu achava que ele iria gozar. a foda estava muito melhor ate que eu resolvi colocar a mão no penis dele e senti a camisinha totalmente rasgada no pau dele, eu tentei tirar o pau do meu cu e ele me imobilizou metendo que nem um louco e começou a falar no meu ouvido enquanto eu tentava sair:

-deixa o tio gozar no seu cú deixa, deixa, por favor. deixa eu colocar meu leitinho aqui dentro pra vc ser meu viadinho, deixa eu por…. AHHHR, EU VOU GOZAR, VIADINHO, TOMA NO CÚ, ARRRR… CARALHO, SUA PUTA, ar…. nao tira o a bunda ainda. Disse ele saindo de cima de mim. e eu retirei o pau dele na hora e corri pro banheiro ainda vazando leite entre minhas pernas.

– Seu idiota, você gozou no meu cú.

-Relaxa moleque, vc vai bater muita punheta lembrando disso. (e ele tinha razão).

Arrumei minhas coisas e fui embora puto de raiva.

Em casa eu não conseguia dormir pensando no que tinha acontecido naquela manhã. então eu coloquei uma roupa e sai de madrugada em direção a casa do tio do meu vizinho, era umas 3 horas da manhã e comecei a tocar campainha freneticamente. Eis que ele abre a porta com uma cara de bravo e sono e diz:

-Que porra é essa?
-Me come tio.
-Hum… Entra puta.

Leia mais contos eroticos coroa gay

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta