2 ALUNAS VIRGENS E 2 PROFESSORES

Meu nome é Laura, sou uma garota nova ainda,(não vou citar idade)com cabelos castanhos, semprei amarrei ele com marias chiquinhas, e amava vestir roupas djeans, sou bem magrinha com peitinhos pequenos e durinhos e um bumbum empinadinho. Eu já estava no ensino médio e no fim do ano estavamos para fazer uma viagem, mas para isso precisavamos arrumar dinheiro para aluguel, comida e etc. Bem, a turma havia decidido que venderiamos uns bilhetes que seriam vendidos em dupla, eu fiquei com minha melhor amiga a Alyne, garota branquinho de cabelos castanhos e lisos, o que atrai nela é sua boca carnuda bem rosinha que a favorece muito no quesito beleza.
– amiga, vamos vender onde? – indaguei
– não sei, acho que talvez poderiamos ir pra frente da escola e esperar a hora da saida. – disse ela
– tá, pode ser. – eu não tinha uma ideia melhor então logo concordei
Na hora da saída fomos logo tentado pegar os novatos e oferecendo os bilhetes, mas todo mundo da nossa turma também tiveram a mesma ideia, e isso nos quebrou, acabamos vendendo apenas 1 bilhete
– ai Laura só vendemos um – ela olhou pra mim desesperada, parecia que o mundo ia acabar, mas eu a entendia, faltava menos de 2 dias para a gente vender tudo
– já sei, vamos vender para os professores – eu tive essa brilhante ideia
– como eu não pensei nisso?
Estavamos indo para a sala do professores, mas nesse momento vimos o nosso professor de educação física se aproximando, eu tinha uma certa quedinha por ele, que homem gostoso, com aquele corpo malhado e uma voz grossa, eu queria fazer cafuné em seus cabelos loiros(eu sou inocente, não penso em uma safadeza ainda).
– oi prof, quer comprar nosso bilhete, se vencer pode ganhar um iphone, compra prof! – eu disse com uma jeitinho bem fofo
– eu não tenho dinheiro aqui comigo agora, apenas em casa. Se quiserem passem lá que eu compro todos! – ele disse e já foi indo embora, parecia ter pressa.
– Alyne vamos lá na casa dele, ele vai comprar tudo.
– acho melhor a gente ver se alguns outros professores também não querem – ela falou meio desconfiada
– é verdade, vamos!
Quando chegamos na sala dos professores todos já tinham comprados bilhetes, mas ainda tinhamos esperanças o professor Augusto iria comprar todos, olhamos uma para os olhos da outra já com cara de tristeza, pois não sabiamos onde era a casa do prof
– professora a senhora sabe onde fica a casa do professor Augusto? – perguntei para nossa professora de artes
– não sei, por que ?
– ele disse que ia comprar nossos bilhetes
– perguntem ao Flávio, ele deve saber
O professor Flavio era bem amigo do Augusto, era uma garoto ainda, e já era o professor de física, devia ter uns 26 anos ou menos, nem sei como alguém tão novo já pode dar aulas em uma escola! Fomos a sala de física e o encontramos lá com seu jaleco fazendo umas anotações.
– professor podemos entrar ? – falou Alyne
– claro fiquem a vontade
– o senhor sabe onde é a casa do professor flavio?
– com toda certeza, é ao lado da minha – me espantei quando ele disse
– então onde fica sua casa ? – perguntei – quer dizer a casa do prof augusto
– sabem onde é a praça antiga?
– sim
– lá tem um prédio cinza, o apartamento dele fica no 2° andar, numero 15
– obrigado prof lindo – depois de terminar sua fala Alyne deu um beijo no professor em forma de agracimento
– oh quer isso, não foi nada! – ele falou meio sem jeito, parecia com vergonha
A casa do professor era perto iria demorar uns 10 minutos de pé, ao sairmos da escola, fomos em direção a praça, e conversa vai e vem
– eu beijaria o flávio! afirmou Alyne do nada
– nossa, mas por que você falou isso tão de repente
– eu acho ele lindo, você acha que ele tem um pirocão? – fiquei vermelha no mesmo momento, eu nem entendia muito sobre isso, mas falar disso me fazia sentir um êxtase absurdo em baixo da minha barriga, bem onde eu fazia xixi.
– eu acho que tem! – falei com vergonha, mais com curiosidade
Quando percebi já haviamos chegado na praça, e logo tratamos de entrar no prédio pois já estava escurendo, e precisavamos voltar para casa imediatamente, e então ao subir as escadas vimos um casal se beijando gostoso, e a mão do garoto invadia o sutiã da garota que ele estava ficando, passei com muita timidez por eles e com a cabeça abaixada.
No segundo andar tinha muitas casas e até achar o 15 demorou alguns segundos, mas enfim achamos eu log apertei a campainha e o prof Augusto apareceu, ele estava com um roupão marrom.
– oi prof, trouxemos os bilhetes – eu falei e dei um sorriso para ele.
– ah sim, quero todos. Entrem vou pegar minha carteira.
A casa dele era realmente diferente, um grande tapete branco cobria o chão da sua sala, e seu sofá era bastante grande, me sentei perto de Laura e esperamos um pouco, o professor abriu uma gaveta e pegou sua carteira, ele se aproximou de nós, seus olhos já estavam diferentes, ele nos olhava como simples brinquedos.
– quanto dar todos os bilhetes – ele perguntou abrindo sua carteira
– acho que no total vai dar … – nesse momento ele derrubou o dinheiro no chão, e nós com toda inocencia do mundo, nos abaixamos para pegar, quando levantamos a cabeça para entregar o que havia caido vimos algo simplesmente aterrorisante, o penis dele estava pra fora, e era realmente um mastro, gigante mesmo, parecia uma pedra. Nosso olhos dilatavam em quanto um sentimento estranho tomava conta do nosso corpo.
– prof o que é isso? – perguntei a ele
– isso é meu brinquedo! – ele disse isso olhando nos fundos dos meus olhos, orgulho por seu esbelto pirocão
No mesmo tempo, ele pegou a mão de Laura e colocou na cabeça daquela rola, Laura começou a fazer movimentos de subir e descer, enquanto eu nem entendia o que acontecia, mas eu sentia vontade de pegar também. Então sem ele pedir, eu logo coloquei minha mão, era tão grosso que eu nem conseguia fechar meus dedos naquilo.
– coloca a boquinha Laura, sempre fui louco para fuder essa sua boca gostosa – ele falou com muito tesão
Laura começou a lamber o pau dele e eu fiquei ali mexendo nas bolas dele, era realmente um sentimento muito gostoso que me invadia, eu sentia medo, prazer, excitação e uma dose de adrenalina
– posso colocar minha boca também ?
– claro, pode sim meu amorzinho
Comecei a lamber aquele pirocão e sugar ele, era meu primeiro boquete e tava muito gostoso, minha bucetinha estava ficando molhada e eu apenas queria continuar, mas Alyne tirou minha cabeça e começou a chupar no meu lugar, então fui chupar as bolas, e comecei, o prof gemia muito gostoso, devia está adorando suas alunas novinhas boquetando seu pau.
– deixem eu me sentar – ele se sentou no sofá e ao mesmo tempo pegou o telefone e começou a discar eu nem me importei e acho que Alyne também não, pois aquele pau nos viciou, quando percebo o prof Flávio estava ali ao meu lado com seu pau de fora

Deixe uma resposta