Amo ser corno

Sou o corno que gosta de ver a esposa sentir prazer com outros homens mas não transo com mulher alguma, sou totalmente fiel a ela.

Meu prazer é ver ela com outros. Ela virou uma puta de verdade, aquelas que caçam machos, principalmente casados.

Um final de semana estávamos na praia e ela me disse que estava que o vizinho da casa da frente não tirava os olhos dela e ela ia lá na casa dele olhar a reforma. Saiu de biquini fio dental e foi lá sabendo que ele estava sozinho.

Como era fora de época não tinha quase ninguém na praia então ela chamou ele no portão e quando ele abriu, conversaram um pouco e entraram. Ficaram lá em torno de uma hora mais ou menos.

Eu com todo tesão do mundo gozei duas vezes punhetando.

Quando ela chegou em casa, veio direto me beijar e senti o gosto do pau do vizinho na sua boca. Nós beijamos e ela dizia…”beija corninho, beija a boca da tua esposa e sente o gosto do pau e da porra do vizinho“.

Já estava a ponto de bala novamente e ela me disse: vem aqui meu corninho…vem que eu tenho mais pra ti. Mandou eu sentar na cama e baixou o biquini então vi toda a porra do vizinho escorrendo.

Mandou eu me deitar e sentou na minha cara e começou esfregar a buceta toda melada. Me lambuzei todo e ela disse que mais tarde o vizinho viria em nossa casa e que eu seria a empregadinha deles. A Noite nosso vizinho chegou, me cumprimentou e ela já veio toda sorridente para os braços dele. Se beijaram e ela mandou eu colocar o aventalzinho e servir frios e cerveja. Coloquei o aventalzinho e fiquei com a bunda todinha de fora e fui servi-los.

Eles estavam no maior arreto, se beijando e ela com os seios de fora e ele com a mão no meio das pernas dela. Pedi licença e desculpa por interrompê-los e servi os frios e cerveja para os dois. Ele pediu para ele se levantar e mostrar o pau que tinha comido A minha mulher e agora era dela. Quando vi aquele homem pelado confesso que senti muito tesão por saber que todo aquele homem, aquele pauzão de homem alfa ia comer a mulher que eu amo. ela começou a chupar aquele pau lindo e mandou eu ficar de costas do lado dele e chupava o pau do macho dela e lambia e dava palmadas na minha bunda. Nisso ela mandou eu me abaixar e dividiu aquele pauzão comigo. Nesta noite ele gozou duas vezes, uma na buceta e outra na nossa boca.

Chupei todinha a buceta dela e deixei bem limpinha. A da boca limpei com um demorado beijo.

Nestas alturas eu já estava completamente envolvido e não pensei duas vezes quando nosso homem mandou eu colocar o fio dental dela e ser a fêmea dele também. Só que ela não deixou ele me comer pois disse que eu sou somente dela.

Fudemos muito até de madrugada e pela manhã nós três fomos na padaria comprar pão e ele foram de mãos dadas como dois namoradinhos apaixonados. Várias pessoas ficaram olhando pois nos conheciam.

Confesso que fiquei meio com vergonha mas o tesão era tão grande que acabei gostando e depois do café fomos os três para beira da praia e os dois de mãos dadas, se beijando e eu do lado como um corno bem feliz por estar satisfazendo minha amada esposa.

Leia mais contos de corno

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta