Contos de Caio&Mõnica: cinema e mais uma do tinder

Desde que descobrimos que envolver uma outra menina em nossas aventuras sexuais nos tornamos adeptos do tinder e conhecemos umas garotas bem legais mas poucas iam adiante, Lu foi uma delas uma menina com seus 20 anos, 1,70, quadris mais largos que a média, seios medianos, cabelo cacheado um pouco abaixo do ombro e frequentemente colorido. Eu tenho 20 também e sou um pouco mais alto que ela, magro, cabelo castanho escuro e rosto lisinho, já minha amada tem 1,65 um bumbum maravilhoso com um combo de peitos pequenos e lindos, quadris maravilhosos, cintura bem desenhada e cabelo preto no meio das costas.


Conversamos muito com ela até que marcamos de nos ver, eu tinha um plano e dividi com minha amada que topou, nos encontramos na praça de alimentação de um shopping e de lá iriamos para o cinema e combinado era entrarmos na sessão das 13 horas. Ela pareceu com uma calça que deixou sua bunda bem mais desenhada e a blusa dava entender que ela era bem mais tímida que parecia por whats.


O papo estava fluindo bem, mas não estávamos tocamos em assuntos mais ousados nossa acompanhante era bem tímida por mais que conversasse bastante.


entramos na sessão e subimos as escadas, subimos até a última fieira fomos para as cadeiras do canto esquerdo, nossa colega não disse nada e eu não pude ver a cara dela com clareza para tentar adivinhar o que pensava.
As fileiras do canto eram com 4, eu sentei do lado da parede e nossa amiga no meio. ela estava paralisada aí voltamos a conversar para relaxar enquanto os trailers passavam, a sessão tinha no máximo 10 pessoas espalhadas e nem uma próxima. O filme era nacional.


Eu perguntei se ela já tinha assistido filme em uma sessão naquele horário no meio da semana, ela disse que não e eu expliquei que adorava fazer aquilo porque sempre ficava vazio.
Dai perguntamos se ela já tinha feito sexo no cinema, ela disse que não, mas não continuamos no assunto.


Ainda no inicio do filme eu cheguei próximo a ela e disse, “ poxa lhe botamos no meio pra você não ficar de vela, mas queria dar uns beijos em minha amada “ ela se propôs a trocar de lugar e eu segurei e continuei “ não, faz assim, vamos brincar de telefone sem fio, diz pra ela que quero dar-lhe um beijo” assim ela fez e me trouxe a resposta dizendo que também queria.


Eu sussurrei agora mais próximo do ouvido de Lu “vou mandar o beijo, ok?”


Ela afirmou com a cabeça eu segurei em sua nuca e aí ela já entendeu o que ia fazer e assim nos beijamos. Mandei ela passa pra minha namorada e assim ela fez depois ela voltou-se pra mim e disse que ela mandou outra coisa, me deu um beijo e colocou a mão em minha coxa, nesse momento meu pênis já estava no ponto eu revidei colocando a mão em sua cintura por baixo da blusa.


Assim seguimos até que chegamos ao ponto de nossas mãos estarem dentro das roupas intimas uns dos outros. Não tínhamos a mínima ideia do que estava acontecendo no filme.


Minha amada fez eu trocar de lugar e ficar no meio, abriu meu zíper se ajoelhou e começou a me chupar eu coloquei a mão na boca pra não gemer alto mas logo Lu me beijou e eu fui beijando seu pescoço até chupar seus peitos e eu tive de tampar a boca dela.


Eu reunia minha concentração para masturbar nossa amiga que estava encharcada e com a calça quase no joelho. Eu me contorcia de tão gostoso.
Mandei minha amada sentar que ia agradar ela também, agora foi a hora de masturbar ela, seu vestido facilitou as coisas tirei sua calcinha e lhe dedei da melhor forma que pude sempre prestando atenção no barulho cheguei a aproveitar as cenas barulhentas para ir mais rápido. Eu senti a mão quente de Lu me agarrar e a me punhetar e eu adorei minha amada me olhava e segurava com todas as forças os gemidos.


Eu a mandei sentar em mim, ela doida como já estava, fez, sentou-se de frente para mim e começou a rebolar estava incrível, mas decidimos parar logo para não dar problema. Elas já estavam com aquele sorriso bobo e ofegantes as duas já tinham gozado.


Aí briguei pedindo pra que me ajudassem eu virei pra nossa amiga e pedi “me chupa, quero gozar na sua boca, a um tempo imagino isso se não quiser engolir aposto que minha amada vai adorar “.


Ela não disse nada só concordou com a cabeça e veio me chupar, estava uma delícia, minha amada estava em estase e só ria e me dava uns beijinhos. Lu focou na masturbação até que baixei a cabeça e disse que estava quase, ela sussurrou “eu sei, ele está bem quente e pulsando quando tiver sem aquentar avisa.”


Ela continuou, em um espasmo já ia por a mão em sua cabeça, mas ela engoliu ele antes e eu explodi dentro dela que foi afastando ficando com a boca só na cabeça. Sentou-se e eu vi que algumas lagrimas escorriam de seus olhos, mas ela disse que foi só pela profundidade. Depois ficamos dando aqueles risinhos de nervoso e só trocamos mais uns beijos, assumo que ainda estava duro e queria muito mais quem me aliviou foi minha amada quando chegamos em casa.

Deixe uma resposta