E como prêmio… O cuzinho

Boa tarde, me chamo Leonardo e minha esposa Eva, nomes fictícios, casados há 18 anos, ela 42 eu 49, sexo em dia e sem rotinas.
Vamos aos fatos, o ocorrido aconteceu no ano de 2006 até então tínhamos 8 anos de casados, desde época de namoro tínhamos um fogo incontrolável, quando nós tocávamos acabavamos na cama em um canto em qualquer lugar que dava para fazer sexo, mas uma coisa me frustrava, ela tinha horror a sexo anal, não deixava de jeito nenhum, com o passar do tempo e com muito carinho foi permitindo introduzir um dedo, as vezes dois, já a língua o beijo grego ela deixava, eu dizia pra ela que um dia a transformaria numa puta

Fomos convidados para uma noitada na Lapa (Rio de Janeiro) por alguns amigos um casal e uma amiga sozinha, aceitamos e partimos, Lapa zona boemia, gente bonita, momentos excitantes, noite linda, um conjunto de prazer, dançamos, bebemos bastante, dali fomos para São Cristóvão, para a feira nordestina, a noite corria maravilhosa, por baixo da mesa eu alisava a xota da minha mulher que estava molhada de tesão, e ela apertava meu pau, dançavamos grudados ela de costa para mim apertava a bunda contra meu pau já muito duro. Eu já pensava em acabar a noite num motel, mas na hora de ir embora fomos levar a amiga que estava só.

Levamos e fomos para nossa casa em Nova Iguaçu, no caminho para casa ela abriu meu zíper botou meu pau para fora e fez um delicioso boquete, quase me fazendo gozar, em casa fomos ao banho e nos agarramos no banheiro, a levei para a cama e comecei a beija-la alucinadamente fui descendo até os seios que suguei arrancando gemidos altos dela, fui descendo até sua buceta que já estava encharcada de tesão, eu chupava e mordiscar seu grelinho e ela se contorcia toda, pus ela na beira da cama de pernas abertas e ajoelhei ao chão e comecei a chupar ela com volúpia, chupava o grelinho e introduzia dois dedos na bucetinha dela, começando um entra e sai delicioso, ela puxava minha cabeça de encontro ao corpo dela, e eu chupava mais forte, ela pingava de tesão, lambuzei os dedos da outra mão, e forcei um dedo no rabinho dela que nada disse, introduzi outro dedo com mais dificuldade, mas sem queixas, aí comecei a chupar com mais intensidade, chupava e socava os dedos que entravam e saiam da buceta e do cuzinho se revezando num entra e sai frenetico, em dado momento ela soltou um grito e gozou loucamente, sem descansar me puxou para cama e caiu de boca no meu pau me oferecendo a buceta para um delicioso 69, parecia uma louca cheia de tesão que enfiava meu pau até a garganta, gozou de novo e caiu exausta a meus pés, levantei a pus de quatro e dei uma lambida na buceta dela acendendo o fogo de novo, comecei a come-la de quatro que é como ela mais gosta e eu também, socava com força e carinho ela se empinava toda não resisti e passei o dedo molhado no cuzinho dela que gemeu mais alto, aproveitei a deixa e introduzi um dedo ela rebolou, comecei a bombar com mais vontade e tentei outro dedo que foi aceito, ela dizia que tava delicioso e queria mais eu socava o pau e os dedos, gozamos juntos e caímos na cama agarrados.


Fomos tomar banho e ela começou a esfregar a bunda no meu pau que endureceu de novo, ela se abaixou me chupou por uns cinco minutos, levantou e disse, te espero na cama com uma surpresa, acabei o banho e fui ao quarto, e que surpresa deliciosa eu tive, ela de quatro com o cuzinho empinado me esperando e dizendo.


Vem come meu cuzinho me faz sua putinha, ajeitei ela na beira da cama e pus um, dois dedos e fui colocando e tirando devagar, aumentando a velocidade aos poucos, pus um terceiro dedo e deixei ela acostumar, devagarinho ela rebolava e os dedos entravam mais, passei um hidratante no cuzinho dela e me coloquei atrás dela e posicionei a cabeça do pau e fui metendo devagar, ela pedia para parar mas eu não ligava a segurei com força e pedi para ela relachar, cabeça entrou todinha, ela começou a rebolar mais rápido e o pau entrava mais, entrou todo parei pra ela acostumar e ela disse não para to adorando, se soubesse que era bom assim já teria feito a anos, ela tava em transe de tanto tesão rebolava e pedia mais e mais, eu socava com força e tesão, ela tremia de prazer e gozou um gozo longo e frenético, gozava e rebolava não queria perder um segundo de prazer, eu sai de trás dela inesperadamente e ela reclamou, deitei e mandei ela sentar no meu pau, ela obedeceu prontamente, eu disse que ela ia adorar assim, e adorou mesmo ela subia e descia a vontade controlando o entra e sai, ela sentava e meu pau entrava todo no cuzinho dela ela subia até sair quase todo, me fez gozar maravilhosamente no rabo dela, caimos exaustos, mas o pau não amoleceu e eu ainda comi o cuzinho dela de ladinho e de pé no banheiro, depois deste resto de noite alucinante fomos dormir e ela disse para eu não ir me acostumando com anal que não seria sempre e só de vez em quando, dei um sorriso debochado e fomos dormir, acordamos pelas 13 hs e eu comi o cuzinho dela de novo, transformei minha mulher numa verdadeira puta na cama, faz todas minhas vontades, fazemos loucuras juntos. Somos cúmplices no nosso sexo.

Deixe uma resposta