Tarando o motorista do Uber

O que vou contar, aconteceu a alguns dias atrás. Podem me chamar de Luke (fictício), sou de BH, tenho 31 anos, apenas 1.62 (mas trabalhados de academia) e 17cm bem grosso, casado (muito bem casado, aquela famosa morena de quadril largo, bunda grande, coxas grossas, daquelas que vc goza na primeira sentada que ela dá). Mas eu vou contar meu outro lado. Poderia dizer que sou quase bi, se não fosse a minha exigência para eu acabar pegando alguém do mesmo sexo, que não costuma ser necessariamente interesse físico.
Mas, como eu falava, o ocorrido foi a dias atrás na ida do trabalho para casa. Eu demorei sair do trabalho, era mais ou menos umas 20:20, fiquei até tarde pra conseguir aquela hora extra sagrada. Como era tarde e o bairro é mais industrial, e pela fama dos assaltos eu chamei um uber.
Não demorou muito, chegou o carro, limpo, espaçoso, o motorista, Julio. Devia ter seus 25 no máximo, até bem arrumado, perfumado, magro, não era malhado de academia, apenas aquele magro sem ser esqueletico. Como a primeira vista, me agradou o que vi, dei uma conferida despercebida no volume pra ver como era rs. Ele estava de calça branca, o que evidenciou bem um bom volume. Já pensei “poxa, quanto tempo faz q eu não me divirto com algo diferente” kkk.
-Boa noite, Júlio! Tudo bom?-E aí Luke, boa noite. Indo pra casa?
Pela forma como me respondeu e sorriu me olhando, vi que era de papo. Iniciamos a viagem conversando sobre o frio e etc. O trajeto até minha casa é de mais ou menos 30 minutos, então teríamos muito o que falar. Em meio aos papos, caímos no papo das minas que ele já pegou nas corridas de uber.
Eu, tarado que sou, e levemente excitado com o discreto volume q vi debaixo da calça branca, estava gostando de ouvir as histórias, ia chega em casa e descontar todo esse fogo na minha mina kkk. Só que eu estava mais interessado mesmo era no volume daquela calça.
Foi quando ele veio com um papo do dia que um dia uma mina bateu um boquete pra ele e que no decorrer da coisa, ele foi botar a mão na buceta dela e sentiu outra coisa. Aí começou a inventar papo de que ficou sem reação mas que como estava muito bom o boquete e etc, ele deixou rolar o boquete que recebia, com papo de ser o melhor que já recebeu na vida (bem eu já transei com travesti, também achei o melhor, mas porque quem tem pau, ele saberia sabe o que fazer com um rsrs).
Bem, eu já estava com tanto tesão daquele papo, que eu já comecei a imaginar como era o pau do cara e eu já comecei a falar mais abertamente sobre o assunto e olhava pra calça dele sempre ele não olhava pro meu lado e vi que o volume aumentou. Já fiquei com água na boca.
Aí eu falei:

-Ahh, mesmo que não fosse mulher, parecia mulher. E outra né, quem tem pau sabe o que fazer com um pau.
Normal que o melhor boquete seria o de alguém que tem pau hehe. E vc não acabou animando dar uma pegada no pau do traveco não? Já tava ali mesmo na situação, era só soltar o fodas né e curtir, experimentar uee hehe.

-Não (disse ele), eu não. Mas eu passei a mão nas coxas, bunda, peito. Fingi que era uma mulher de verdade, mas sem por a mão no pau hehehe.
Eu disse:

-Sei não hein. Pra mim vc deu uma pegada também. O que é que tem? Tava ali, uai. Era só vc e o traveco. A travecona era bonita? Gostosa? (ele disse q sim). Eu largava o fodas e aproveitava. Seria uma chance de experimentar.
Eu só de olho no calça com aquele volume. E aessa altura ele já passava a mão “disfarçadamente”, apertando aquele volume. Eu, já mais que interessado no volume daquela calça, resolvi arriscar e soltei:

-Ah cara, vou te falar a verdade. Eu já transei com um travesti. Fiz de tudo, comi, dei, chupei. Fiz a porra toda. Tinha curiosidade, tive a oportunidade, aproveitei pra ver o que era, se ia gostar ou não.
-Sério? (ele perguntou). E vc gostou? Eu vou te falar, eu tenho curiosidade mas, sei lá…
Aí foi quando eu soltei:
-Cara, se vc tem a oportunidade de experimentar algo, aproveita e vai. Se não quer que ninguém saiba, como eu, faz no sigilo. Se gostar, bom, se não, blz, segue o jogo. Veja eu por exemplo. Eu acabei descobrindo que não curto transar somente com mulher.
Homem ou travesti, a depender da situação eu animo e aproveito mesmo. Veja o lado bom pra mim, eu tenho mais oportunidades de transar kkkkk. Se minha mulher não estiver afim (o que nunca acontece porque ela é mais tarada que eu), algum cara ou travesti vai querer kkkk.
Ele ria, agora já olhando pro volume da minha calça, que eu fazia questão de deixar claro a minha excitação. Só que não passava disso e eu estava decidido a pelo menos dar uma mamada naquele pau. Então decidi arriscar e falar algo muito escrachado. Então eu apelei e falei:

-E quer saber algo bom pra caralho? (“O que?” Ele perguntou). Boquete! Chupar um pau é muuuito bom kkkk.
Aí eu vi que o que eu falei era sem noção, mesmo com toda a situação e dei um aliviada soltando uma verdade (verdade para mim, deixando claro rs):

-Claro, não é tão quanto chupar uma buceta, mas eu curti. Praticamente “qualquer um que me ofereça” um pau pra mamar, eu caio de boca.
Essa era a isca final pra ver o que ele falava ou se fazia algo.Ele falou:

-Que isso cara? Kkk Quer dizer que se um cara baixar a calça e pedir pra vc chupar, vc chupa? Se eu colocar o meu pau pra fora então vc vai chupar, então kkkkk. Já quero hein kkkkk um boquete é um boquete kkkkk a gente aceita kkkk.
Aí eu vi a oportunidade e soltei:

-Ue, põe pra fora hehe.

continua depois da publicidade

Estávamos parados em um sinal, ele me olhou meio sem saber se eu falava realmente a verdade ou não, eu parei de rir e olhei pra ele com um ar de safadeza e repeti:

-Põe pra fora.
Ele não disse nada, não botou pra fora, não xingou ou qualquer coisa. Então eu tomei coragem e tirei a mão dele e botei a minha mão em cima da calça e apertei o pau. Ele deu uma gemida, ainda estando meio travado, mas não esboçou mais nenhuma reação.
Com uma mão eu abri a calça dele e comecei a acariciar o pau dele ainda por cima da cueca. Enquanto isso o sinal abriu e ele acelerou, dessa vez mais devagar rsrs.
Ele não falava mais nada, sua respiração já estava mais pesada. A gente estava passando por um caminho novo que estão fazendo em BH e parte dele está meio sem iluminação ainda. Pedi para ele encostar o carro em uma parte em que os postes ainda estavsm sem energia, porém com iluminação de outros mais adiante, que foi o suficiente pra nos enxergarmos. Por ser um trajeto novo, raramente passava algum carro.
Enquanto ele ia parando o carro eu acariciava o pau dele ainda por cima da cueca e apertava o meu pau. Ao parar o carro, eu mandei ele puxar o banco dele pra trás. Eu não havia percebido, mas ele tinha a pele lisinha, sem pelos. Barriga dele não era definida, mas como ele era magro, o abdomen era reto e durinho.
Comecei beijando do umbigo para baixo, fui beijando, mordendo e chupando até chegar na cueca dele. Ele estava muito cheiroso, usava um perfume marcante, porém agradável e isso já me deixava mais à vontade pra continuar, sem medo de nenhum odor estranho. Foi quando eu resolvi revelar aquele pau pra mim. Puxei a calça e a cueca de uma vez pra baixo e aquele pau saltou na minha cara, todo melado e duro igual pedra.
Sem cerimônias, como quem tem a arte da chupada, sem encostar a mão, apenas com a língua, eu percorri toda aquela cabeça melada, tirando todo aquele líquido com a língua e em um só movimento, eu desci minha boca de vez, dando uma sugada de leve e subi fazendo movimentos circulares na cabeça do pau dele. Ele gemeu forte, mas não de dor, de muito prazer. Foi tão intenso a gemida que parecia uma mulher gemendo kkk (aliás o melhor som aos ouvidos é o de uma mulher gemendo de prazer hehe).
Sem tirar o pau dele da minha boca, eu continuei a fazer movimentos com a língua, na cabeça do pau dele e a dar umas leve sugadas. E enquanto isso baixei a minha calça e comecei a me masturbar bem devagar.
Não demorou muito, eu senti a mão dele pegar no meu pau, tirando a minha mão e a bater uma punheta bem gostosa pra mim.
Então, com as mãos livres, eu peguei no pau dele com força, dei uma apertada de leve a batei uma punheta com movimentos rápidos pra ele. Ele se contorcia todo e eu me esbaldando naquele pau gostoso e pulsando na minha boca. Devia ter uns 19cm. Não era muito grosso, mas era grande. Pensei nisso porque o negócio estava tão bom que me veio a mente querer que ele me comesse.
(Pra quem já leu outros contos meus, eu estou acostumado a isso porque minha mina curte me dominar e me comer.)
Perguntei se ele tinha camisinha. Ele pegou uma no porta luvas. Peguei a camisinha, abri o pacote, olhei pra ele, coloquei a pontinha camisinha no pau e disse:
-Hoje vc vai comer um cú

E caí de boca no pau dele, encaixando a camisinha com o pau.
Passamos para o banco de trás do carro, empurramos os bancos totalmente para a frente. Me deitei de frente pra ele, com as pernas levantadas. Foi quando ele me surpreendeu.
Ele se abaixou e caiu de boca no meu pau, enquanto apertava a minha bunda. Que delícia de mamada. Ele continuou mamando no meu pau e começou a descer a boca pro meu cu, que a essa altura já piscava de tanto tesão. Ele deu aquela lambida, enfiando a língua e me masturbando. Eu quase gozei, eu tive que me travar todo, eu não gozar, não ainda.
Então ele empurrou as minhas duas pernas mais pra cima, empunhando mais ainda meu cuzinho pra ele, ele dei aquela cuspida certeira e começou a enfiar bem devagar o pau, num via e vem bem gostoso.
Não demorou muito ele já bombava forte. Ele bombava forte o meu cu e ao mesmo tempo me masturbava. Aquilo estava muito bom. A muito tempo que eu tinha feito isso. Estava numa seca por uma transa diferente. Eu me senti uma putinha e comecei a rebolar e a falar com vozinha de putinha:
-Tá gostando, tá? Gostou do meu cuzinho? Mete mais forte vai, me fode.
E dei um tapinha de leve no rosto dele.
Aquele tapinha de leve mudou ele completamente, ele começou a bombar no meu cú como quem quisesse me atravessar. E o pior é que eu gostei. Como ele me masturbava enquanto me comia, com as mãos livres eu abri mais ainda a minha bunda pra sentir aquele pau entrar mais dentro de mim.
Foi quando eu senti ele gozar, ele gozou tanto que ele até perdeu o ritmo da bombada que me dava rsrs.
Nisso eu não me aguentei mais e falei que ia gozar. Ele tirou o pau de dentro de mim e caiu de boca e começou a me mamar até eu gozar. Gozei muito, dei pra sentir que gozei muito porque ele tentou engolir o máximo q pôde, mas vazou pela boca dele.
Bem….. passado o tesão/loucura, meio sem jeito mas acabamos por rir da situação. Ele encerrou a corrida ali mesmo mas me levou em casa.
Apesar de preferir mulheres, curto algo diferente uma vez ou outra, e raramente eu tenho a oportunidade, então né hehe, surgindo eu preciso fazer o que for preciso.

Deixe uma resposta