Transei com a amiga da minha mãe

Tenho 26 anos, moreno,1.80m,75kg, 17cm de pau. É a primeira vez que escrevo um conto e gostaria de compartilhar com vocês sobre uma noite de sexo maravilhosa. Vamos a história…

Em um fim de semana ensolarado tinha conhecido a amiga de minha mãe, loira encorpada, atraente, 39 anos. Começamos a flertar e conversar e, quando eu e minha mãe estávamos de saída, ela me pediu o número do celular.

No final de semana seguinte, conversamos pelo celular e ela estava contando que na rua da casa dela havia acabado a luz por causa de uma tempestade. Então ela disse que estava muito escuro e precisava de ajuda e, em tom provocativo, me convidou para ir ao apartamento dela e trazer velas para a ocasião. Disse também que tinha um presentinho doce para me dar. Aceitei na hora. Era começo de noite e minha mãe não estava em casa, apenas meu pai. Então, tive que inventar uma desculpa na hora, falei que iria ao cinema perto de casa e queria aproveitar o desconto de meia-entrada. Colou!

Chegando lá, ela me recebeu no portão, entramos no apartamento e acendemos algumas velas para iluminar o ambiente. Falei que iria voltar ainda meia-noite, ela riu da minha cara e disse com ar safado: “Esquece, você só vai voltar no outro dia ao amanhecer” e começou a me acariciar e abraçar no sofá. Começamos a nos agarrar fortemente e beijei sua boca carnuda ali mesmo. Ela me apresentou o apartamento e me levou para o quarto dela. Então ela me deu o presentinho: uma caixa de chocolate. Pedi que ela escolhesse um chocolate, coloquei uma ponta dele na minha boca e a outra na boca dela e demos aquele beijo doce. Hummm.

Começamos a tirar nossas roupas até ficarmos pelados, ela ficou por cima de mim toquei levemente em seus seios e chupei eles todinhos. Então, ela deitou virada para cima. Como estava curioso para descobrir o corpo dela, fui lambendo-o todinho dos pés a cabeça, descobrindo zonas que nunca imaginei que existissem, aí acariciei a buceta grande dela com meus dedos e enfiei minha língua lá com muita vontade, sugando a pepeka com força, ela gozou de leve na minha boca. Ela gemia e gritava de prazer. Então enfiei meu dedo dentro dela, fazendo movimento de vai e volta lentamente, ela se contorcia mais ainda. Aumentei a intensidade do vai e volta movimentando o dedo com bastante força e senti a buceta dela cada vez mais úmida e ela continuava a se contorcer e gritar. Em seguida, ela me pagou um boquete, achei que estava fraco e pedi pra ela engolir meu pau todinho, ela topou, fez e falei: “É assim que se faz, ótimo!”.

Tratei de deixar minha rola bem dura, ela começou a sentar lentamente e dar aquela cavalgada gostosa, que tesão aquilo me deu. Então, ela desceu de minha rola e fiz um oral bem gostoso nela, dizendo que só pararia de chupar quando ela pedisse, ela foi a loucura… gemendo… gritando… Estava completamente entregue e me pediu para comê-la dizendo: “Quero sentir o seu pau dentro dela. Ela é safada. Vai!”. Enfiei minha rola lentamente sentindo o movimento e depois soquei ela com bastante força até gozar na buceta dela e ela disse: “Que bonitinho, até gozou nela. Que safado você! ’’, fiquei em estado de êxtase. Quando terminamos já havia amanhecido, foram oito horas maravilhosas com poucas pausas e com bastante romantismo. Tomamos banho um de cada vez e eu fui embora com ela, pois tínhamos que trabalhar. E depois, durante a semana, ela me confessou que estava com dor na pepeka desde aquele dia. Humm.

Se gostaram deste conto erótico real, não deixem de comentar.

Deixe uma resposta