Aventuras no bate-papo da UOL

Quem leu meus últimos contos soube das minhas primeiras duas experiências com homens, que vez ou outra volta como uma tempestade, e a vontade de trocar umas chupadas com um cara do meu perfil fica quase incontrolável. Após o episódio da viagem para BH, já de volta para Manaus, eu só pensava no arrependimento de não ter matado a vontade de ter chupado o mineiro ainda martelava na minha cabeça e eu precisava ver e chupar algum pau. Naquele momento eu ainda namorava uma menina mais nova, que mantinha uma boa e ativa vida sexual comigo, mas nem imaginava meus desejos sexuais plenos.
Não sei de onde tirei a ideia, mas resolvi entrar no bate-papo da UOL (bem ultrapassado, né?) e me surpreendi com o quanto de gente estava à procura da mesma coisa: homens casados querendo gozar com outro macho! Lá sempre fui bem claro com minhas intenções: Interesse em um cara de preferência casado e maduro (especialmente pelo sigilo), boa aparência, sem ser (muito) gordo e avaliava também se sabia ao menos escrever direito. 90% das vezes que entrei não me interessava por ningém, mas certo dia conversei com um cara que tinha esse perfil, e resolvemos levar a conversa para o Skype. Não mostramos rosto, apenas conversamos e exibimos nossos paus, o suficiente pra levantar o tesão e marcarmos algo para o mesmo dia.
Tenho tesão ema venturas em carro, e resolvemos marcar para nos encontrar no estacionamento de um shopping grande da cidade, e assim nos encontramos e ele entrou no meu carro. Ambos não sabiam o que fazer nem falar direito, estávamos visivelmente nervosos, mas ele tomou a iniciativa com um “eai” e colocou a mão no meu pau pela calça e começou a acariciar, não preciso nem dizer que já estava uma pedra antes mesmo dele pegar.
No mesmo momento eu retribuí e comecei a pegar no pau dele, que era um pouco menor que o meu e mais fino, porém com uma cabeça linda e vermelhinha. Ambos baixamos a calça e começamos a bater uma punheta gostosa, e nesse momento nossos paus já estavam latejando de tanto tesão.
Não me fiz de acanhado e desci para matar a minha vontade de chupar um pau, a última vez que havia chupado já deveria ser há uns 5 ou 6 anos, mas eu conseguia sentir pela respiração e gemido dele que eu estava fazendo muito bem, eu lambuzava, lambia toda a cabeça do pau dele, batia punheta ao mesmo tempo e ainda arranjava modo de massagear o saco dele, e pouco demorou para que ele anunciasse educadamente que iria gozar pra ver se eu sairia, mas eu mantive chupando até ele encher minha boca de porra. Foi estranha a sensação de gala na boca, e encheu de verdade que não tive outra opção a não ser engolir. Não deixei nenhuma gota cair, enquanto ele ainda gemia de tesão pelo meu belo boquete.
Ele estava tão feliz e aliviado que me retribuiu com um boquete maravilhoso, enquanto eu fodia a boca dele como uma buceta até o momento que enchi a boca dele de gala, porém ao contrário de mim, ele cuspiu tudo pela janela.
Como exatamente eu queria, apenas agradecemos um ao outro, despedimos e ele foi embora para o carro dele.
Demorou mal um dia para ele mandar mensagem querendo marcar outra, e assim fizemos enquanto eu saia do estágio e ele do trabalho, em um estacionamento aberto na zona industrial onde fizemos exatamente a mesma coisa. Ele lançou a ideia de irmos para um motel para eu comer ele, mas sinceramente até então eu tenho preferência de ficar na “broderagem” e trocar umas punhetas e chupadas.
Em breve contarei outras aventuras de bate-papo que terminaram em fartas gozadas.
Quem tiver interesse em entrar em contato pra trocar experiências e quem saber até marcar algo, estou no e-mail
[email protected]
Forte abraço

Deixe uma resposta