Encoxada gay na churrasqueira

Foi num verão no Algarve, por costume, ia sempre à hora do almoço, buscar um churrasco, febras, ou frango, e, normalmente fazia fila, com 6 ou 7 pessoas.

Um dia, estava na fila, era o ultimo, à minha frente, estava um rapaz aí com 18 anos, em fato de banho como eu, mas eu estava com Polo vestido ele sem nada só mesmo o calção de banho.

Aquilo na fila sempre demorava um pouco, então o rapaz, mexe-se muito, rabo para rabo para ali, e toca no meu pau, o rabo era muito jeitoso, eu tremi, um pouco mais e volta a tocar-me, aí eu pensei, o puto gosta de sentir pau no cu, logo fiquei duro, dei mais um jeito no pau e ele ficou mais saliente, e a centímetros do cu do rapaz.

Quando ele reparou no meu tesão, encostou mais em mim, rebolou aquele cu lindo, fiquei tão louco que me agarrei à anca dele, e rocei feito doido o seu cu, cada vez mais tesão e quente , que o rapaz também perdido de tesão, forçou mais a encoxada, eu só pedia para demorar mais a servir os primeiros, já os dois perdidos de tesão, o rapaz, vira-se de frente para mim, dá-me um beijo na boca mete a sua mão no meu calção que era largo , agarra-me na piça,

E com a mão começa num vai e vem, que logo me esporrei todo na sua mão calção e no cu dele que ele entretanto se virou que pudesse sentir o leite nas suas nádegas, e de seguida lambeu a sua mão, e engoliu o leitinho que lá ficou.

Chegou a sua vez, foi atendido, e saiu, tentei ser servido rápido para o apanhar, mas não, quando saí, já não o vi. Voltei lá várias vezes, mas nunca mais o encontrei, tive pena, pois além do gozo que me deu, ele tinha mesmo um cu lindo, para foder, e era isso que eu queria era fode-lo bem fodido.
Sempre que ia em férias para o Algarve, voltava sempre àquela churrasqueira, mas nunca mais o vi.

Deixe uma resposta