Tenho um pau grande e isso foi um problema

Tenho 21 anos, 1,76m de altura e peso 75 kg, tenho a pele clara, cabelo negro e curto e os olhos castanhos, sou catarinense e estudo em S. Paulo, como quero manter um certo anonimato não revelarei meu nome nem o nome de minguem.
Sou um leitor assíduo de contos eróticos porque me excitam e porque até há pouco a minha vida sexual era complicada, complicada devido a uma particularidade que vou expor.
Meu órgão sexual e maior que o normal, na verdade até é bastante grande, mais de 24 cm de comprimento e pouco menos de 7 cm de diâmetro o que pode parecer uma coisa boa mas nem por isso o é.
Sempre fiz bastante sucesso entre as mulheres, mas quase sempre só até irmos pra cama, aí quase todas se assustam, poucas conseguiram fazer sexo oral com prazer, menos ainda permitiram a penetração e as poucas que consentiram acabaram por pedir para eu parar de as penetrar, pois o pau só entrava pela metade e segundo elas provocava-lhes dor, sexo anal então nem pensar.
Acabei por me resignar a ter uma vida sexual quase inexistente e a aliviar a tesão batendo punheta, dai ler com frequência os contos eróticos, pois estes me excitam.
Vivo num apartamento de três cómodos e gosto de ficar nu quando estou em casa sozinho e foi essa situação que me fez conhecer a mulher que permitiu ter uma vida sexual mais normal.
Os quartos neste edifico têm uma varanda e uma porta de acesso a esta bastante grande, que mantenho quase sempre aberta durante a noite e uma dessas noites com a luz apagada reparei que era possível devido a um capricho arquitetónico, ver a quase totalidade do quarto de um apartamento no mesmo piso que se encontra lateral ao meu por o prédio esta construido em L, referir que só é possível esta visão se haver luz nesse quarto e se as precianas estiverem abertas.
Um dia notei que as luzes se ligaram e nele entrou uma mulher, que aparentava estar na casa dos 30 anos, cabelo comprido loiro, e que começou a despir-se, fiquei quieto apreciando o espetáculo, ela logo ficou nua e seu corpo era maravilhoso, moreno, com os seios não muito grandes mas direitos, e logo meu pau ficou direito, senti uma tesão enorme, ela deitou-se na cama e começou a acariciar-se o que me excitou ainda mais e durante alguns minutos enquanto ela se acariciava fui batendo uma punheta até que me vim, depois ela apagou as luzes e ficou apenas a sua imagem na minha mente.
Esta cena repetia-se frequentemente, sempre á mesma hora o que me provocava uma vontade enorme de a possuir, mas devido ao meu problema pus de parte tal ideia pois não queria ter uma desilusão de novo, contentava-me a bater punheta vendo aquele mulherão nua em seu quarto.
Um dia quando entro no elevador para sair encontro-a dentro do elevador confesso que fiquei um pouco embaraçado, mal a olhei, mas reparei que sorriu de uma forma que me pareceu irónica, reparei lambem que seus olhos eram negros e que seu cabelo não era louro mas sim de um castanho claro.
Acontece que diariamente apanhava-mos o elevador para sair á mesma hora e regressava-mos a casa quase sempre lambem á mesma hora e apanhava-mos o mesmo ónibus só que eu saia antes dela, com o tempo fomos começando a falar, fiquei a saber que era divorciada, tinha 32 anos e que era advogada. E á noite continuei a ter o meu espetáculo e eu continuava a masturbar-me olhando o que me deixava constrangido quando a encontrava pela manhã.
Até que um dia ao sairmos do elevador para irmos para os nossos apartamentos ela perguntou-me se eu era morcego, pois ultimamente via sempre meu apartamento no escuro,
Nem me deu tempo a responder, pois eu fiquei super embaraçado e ela logo foi para o apartamento dela.
Fiquei pensando que naquele dia não teria espetáculo, mas á hora do costume lá estava ela se despindo, desta vez mais lentamente e quando ficou nua ficou de pé se acariciando, eu lambem de pé junto á janela com o pau duro como ferro decidi ligar as luzes e assim o fiz, imediatamente reparei que ela olhou para mim por alguns segundos e depois apagou a luz.
Fiquei logo murcho pois pensei que ela teria ficado zangada, sai do quarto e fui para a sala, passados alguns minutos alguém bateu na porta, ponho um roupão e abro e era ela. Fiquei espantado sem palavra e então ela disse:
– Não será melhor se em vez de nos estar-mo a punhetar nos comesse-mos?
Eu não disse nada, fechei a porta puxei-a para mim, beijei-a, e senti seus mamilos duros contra meu peito, acariciei-a nas nádegas, nas pernas e ouvi seus suspiros, ela tirou meu roupão e meu pau nos seus esplendorosos 25 cm estava ereto e duro, ela ficou olhando admirada e temi que o que aconteceu com as outras mulheres voltasse a acontecer, mas não, ela me empurrou para o sofá, se ajoelhou e caiu de boca no pau, primeiro lambe-o-o passou a língua ao longo dele, me olhou nos olhos com cara de safada e fez algo que não esperava, abriu a boca e engoliu metade dele, o máximo que pode e começou a mama-lo.
Fechei os olhos sentindo aquela mulher chupando meu pau, era delicioso me sentia nas nuvens a boca dela maravilhosa.
Aguentei o máximo que pude, não queria que aquele momento acabasse, ate ouvir ela dizer:
– Goza ma minha boca, quero saborear a tua porra.
E eu gozei, gozei como nunca tinha gozado, gozei naquela boca deliciosa, ela engoliu tudo chupando meu pau ate ele ficar limpo.
Puxei por ela abracei-a e beijei sua boca ainda com o gosto da minha porra e era deliciosa a sua boca, ficamos assim longos momentos nos beijando sem falar-mos, meu pau de novo ficou duro.
Peguei nela levei-a para o quarto, tirei sua roupa e na cama beijei seu pescoço, chupei suas mamas, abri suas pernas mergulhei minha boca naquela buceta peladinha, linda, lambi-a beijei-a, chupei seu clitóris ouvi seus gemidos, enfiei meus dedos nela, e ela gemeu, entre os gemidos disse:
– Me come gostoso, enfia teu pau em mim, quero essa rola grande toda em mim, me fode gostoso.
E ai confesso que senti receio, receio de magoa-la, mas ela parecia ter adivinhado meus pensamentos e disse:
– Não receie, eu aguento esse pau, eu quero esse pau em mim me fode, me come, me devora.
Então pu-la na beira da cama ela abriu bem suas pernas, coloquei a cabeça de mau pau na sua buceta empurrei, senti resistência mas ela disse para continuar, fiz um pouco de força e senti a cabeça entrando lentamente foi entrando aos poucos. Quando estava metade dentro dela parei julgando que não entrava mais, mas ela abriu ainda mais as pernas e disse:
– Enfia todo quero todo, quero esse pau delicioso tos em mim.
Vi que ela devia estar sentido alguma dor mas continuei devagar entrando e saindo até que ficou todo enfiado nela, senti as bolas batendo nas suas nádegas, por momentos ficamos assim parados sentindo os músculos da sua buceta apertando meu pau, depois lentamente fui começando o movimento de vaivem durante longos minutos ficamos assim eu martelando sua buceta ela gemendo e gritando, me xingando, senti que ela gozou pelo menos duas vezes, eu estava no céu, cansado, as pernas doendo pela posição em que estava, mas não importava, pela primeira vez estava fodendo uma mulher e o prazer era enorme, e então gozei, gozei dentro daquela mulher linda, naquela mulher que era agora minha, foi uma explosão de porra, berrei de prazer, gritei de gozo por pela primeira vez estar a ejacular dentro de uma mulher.
Ficamos longos momentos abraçados, e adormecemos, pela manhã ao acordar fodi-a de novo desta vez ela veio por cima de mim.
Depois deste dia passamos a viver juntos, todos os dias fodemos, ainda não consegui comer o cuzinho dela, mas tanto ela como eu sabemos que é uma questão de tempo para que isso aconteça pois estamos acostumando o cu dela para isso, já temos ate dia marcado para tal, o dia em que eu terminar a universidade o que já falta pouco é uma questão de semanas, depois como já tenho trabalho, mudaremos para uma casa maior, mas continuaremos fodendo pois o prazer que sentimos um com o outro é inesgotável.

2 comentários em “Tenho um pau grande e isso foi um problema”

  1. Amei em saber que você conseguiu conhecer uma pessoa que aguentasse sua ferramenta , isso é meu sonho de consumo conhecer uma pessoa com a ferramenta acima de 25 cm

Deixe uma resposta