Uma noite de incesto com minha tia

Olá, me chamo Luiz, tenho hoje 25 anos, na época do ocorrido tinha 19 aninhos, minha tia se chama Anna, tem 42 aninhos, mãe de 3 filhos e divorciada a um bom tempo. Uma mulher com um corpo de menina, magra e sexy, 1,65 de altura e uns 70 kg.

Morávamos em uma cidade a 60 km da capital, interior do Tocantins, eu na época namorava uma menina que morava próxima a casa da minha tia, isso dava motivos para sempre estar visitando minha tia querida, uma vez que meu relacionamento com a garota era complicado, familiares chatos e já se encaminhava para um ano, não transava porque a garota era nova e bem protegida pelos pais, então eu a visitava quase toda semana durante o dia, e às vezes até dormia na casa da minha tia para poder ir embora no dia seguinte, já que eu morava bem longe dali do outro lado da cidade.

Um certo fim de semana fui para a casa da minha tia, que era sempre carinhosa comigo e me tratava como um filho, cheguei num sábado meio dia, e todos estavam em casa, ela é meus 3 primos, moravam em casa muito humilde, a casa era meio escondida em um bairro periférico, e bem próximo da casa da minha ex-namorada. Bom, passei a tarde inteira na casa da Anne (nome minha ex) com os familiares dela, fazendo o de sempre, jogando papo fora. No fim da tarde o tempo começou a fechar e já era hora de voltar pra casa da minha tia que ficava a um quarteirão de distância. Pois eu não podia ficar na casa da minha ex até a anoitecer, por conta dos familiares chatos.

Chegando na casa da minha tia, ela estava só com a sua filha caçula que tinha 6 aninhos de idade. E minha tia indagou:

-“Eai meu sobrinho namorador, chegou finalmente, achei que ia dormir na casa da namorada” — falou ela com um tom irônico.

“Que nada tia, você sabe como são as coisas com ela”, respondi eu para tia.

Minha tia sabia como era meu relacionamento complicado com ela, por conta dos familiares muito conservadores e que eu jamais dormiria na casa.

“Entre, vai cair um temporal, já estou preparando a janta para nós” disse ela.

O tempo já estava escuro, e começou a chover, um clima gostoso, num fim de sábado, logo em seguida perguntei onde estavam os moleques, seja dois filhos mais velhos, um de 15 e outro de 16 anos, e ela disse:

“Eles não irão dormir aqui hoje, foram para a casa do pai deles é só voltaram na segunda de manhã” — disse minha tia.

“Hoje pelo visto você vai dormir aqui né? Esse temporal não vai te deixar ir embora” — perguntou ela a mim.

“Vou sim tia, se a senhora não se importar, claro” — respondi.

“Deixe de ser bobo, você sabe que sempre será bem vindo e que pode sentir em casa aqui” — respondeu ela para mim.

“Obrigado tia, você é sempre muito querida” — respondi a ela.

Durante a noite a chuva continuava a cair, e nós ficamos vendo TV na sala pequena, eu, minha tia e prima pequena. Vemos bastante filmes até por volta das 23h da noite, quando minha tia se levantou e disse que iria tomar um banho e sem seguida preparar um lugar pra mim poder dormir, a casa era muito pequena, nela os seus filhos mais velho dormiam na sala em colchões e redes e a mais nova dormia com ela sua cama no único quarto que havia na casa.

Após o banho quente ela saiu do banheiro, de cabelos presos e uma toalha cobrindo seu corpo. Pela primeira vez eu parei para observar minha tia, jamais havia sentido algo por ela, mas naquele momento em me senti como se eu fosse seu marido, sentado na sala ao lado da minha priminha vendo filme enquanto ela preparava para nós irmos dormir.

Em seguida ela saiu do quanto, vestida em uma camisola na cor beje, que de longe mostrava seus pequenos seus pontiagudos por baixo da camisola, e na parte de baixo, ela uma espécie de short bem soltinho. Então ela disse:

“Luiz, vou ajeitar para você dormir aqui no meu quarto no colchão que fica no canto, tá bom?” — perguntou ela a mim.

“Tudo bem tia, sem problemas, tá ótimo.” — respondi eu.

Minha priminha já se encontrava adormecida no colchão na sala, não consegui ver o filme inteiro. Logo em seguida minha tia voltou para a sala, cobrou sua pequena com cobertor e me disse:

“Bom, eu vou dormir agora, já preparei o lugar pra você dormir no quarto, pode ficar à vontade vendo filme até quando quiser, só não esqueça de escoltar a porta do quarto, Lucas. — disse ela a mim.

“Tudo bem, tia. Não ire demorar muito. — respondi

Então ela seguiu para o quarto, e de costas eu pude pela primeira vez notar que minha tia ainda apesar da idade e da vida conturbada estava maravilhosa, um corpo muito sexy, de costas eu a observei seguindo para o quarto, ela com uma bunda redondinha por baixo daquela camisola meio transparente que dava para ver a cor da sua calcinha escura. Eu senti uma certa atração por ela naquele momento, mesmo que isso fosse errado, mas foi involuntário.

Fiquei um pouco vendo filme e resolvi ir para o quarto dormir. Ao entrar, ela já estava adormecida, deitada de bunda para cima onde dava para ver partes da sua calcinha preta através da camisola soltinha, nesse momento meu coração acelerou, e comecei a sentir um tesao por ela. Mas eu imaginava que jamais poderia tentar algo com minha tia, apesar da ocasião. Então deitei e adormeci.

Por volta das 2h da manhã a chuva que caía sem parar durante a noite ficou mais fortes e começou a dar trovões e ventos muito fortes, nosso eu acordei meio assustado, pois havia uma goteira enorme em cima do meu colchão que estava no chão, segundos depois um trovão bem forte caiu o que fez minha acordar, eu já havia se levantado para tentar mudar o colchão de lugar dentro do quarto, mas não havia como, pois no quarto não tinha outro espaço. Então minha vendo minha inquietação perguntou:

“O que houve sobrinho?” — perguntou ela

“Tem uma goteira enorme aqui onde estava deitado” — respondi

“Meu Deus, talvez foi vento forte que abriu ela agora” — disse minha tia

“Mas não tem problemas, pode deitar comigo aqui na cama” disse ela

Nesse momento, meu coração voltou a acelerar e meu pau subiu de uma forma descontrolada, quando ouvi isso vindo dela.

“Eu posso ir dormir no sofá da sala, não quero incomoda-la tia” — disse eu tentando evitar de me deitar na mesma cama que ela.

“Deixe de besteira, pode deitar aqui sobrinho” — reafirmou ela

Apesar de estranho e tentar evitar, no fundo eu queria muito aquilo, me deitar na mesma cama que ela. Pois eu já estava com um tesao incontrolável pela situação. E então deitei ao seu lado no quarto escuro e minha tia compartilhou o mesmo edredom comigo, no frio daquela noite de chuva que se estendia.

Logo seguida ela adoeceu, de costas para mim, aquela situação me deixou com o tesao a flor da pele, meu pau estava para explodir de tesao e então eu tirou meu short por baixo do lençol e fiquei só de cueca boxe.

Minutos depois ela adormecida se virou para meu lado, jogando sua perna por cima de mim, e colocando seu rosto em cima do meu peito. Esse foi o momento que meu tesao acelerou de forma descontrolada, o momento era gostoso, e foda-se que ela era minha tia, não a conseguia mais ver ela como alguém da família, o tesao já havia subido a cabeça, mesmo que aquilo fosse errado.

Então eu a comecei a observar seu rosto próxima de mim, ela adormecida deitada no meu peito, abraçada a mim e com uma perna por cima do meu pau que explodia de tesao. E então, delicadamente eu a comecei a beijar sua boca, foi um dos beijos mais gostosos da minha, acho que pela situação no momento. Em seguida ela acordou, com uma voz meio sonolenta perguntou:

“Não consegue dormir?” — perguntou ela

“Não tia, fique sem sono depois que deitei aqui” — respondi

“Dorme, dorme” — disse ela me abraçando mais forte, deitada em meu peito e meio sonolenta, mesmo vendo que acordou deitada em mim não recuou, isso me deixou ainda com mais prazer no momento, pois deu a entender que estava gostoso pra ela o momento, é realmente estava, eu podia sentir seu corpo quente colado em mim, o que estava me deixando louco de prazer, eu não conseguia mais vê-la com minha tia, o tesao nos faz fazer coisas involuntárias. Então ao percebe que ela adormeceu novamente, tirei meu cacete da cueca e me virei mais um pouco para o lado dela onde podia aproximar meu cacete da sua bucetinha, encomendei a tocar dia bucetinha com meu cacete, e nesse momento pude sentir que ela estava molhada, podia sentir que estava úmida ao tocar a cabeça do meu por cima da sua camisola, não podia acreditar naquilo, e então coloquei meus dedos sua buceta, e realmente, ela estava encharcada.

Com um tesao descontrolado. Comecei a alisar sua bucetinha, e ela permanecia adormecida, então, afastei um pouco dia calcinha de lado e comecei a esfregar sua bucetinha com a cabeça do meu pau por cima da calcinha de renda que ela usava. O tesao tomou conta de mim, eu não conseguia mais me controlar, aquilo poderia parecer errado mas eu realmente estava louco para foder minha tia.

Continuei esfregando ela com meu cacete, ela continuava adormecida, até que segundos depois eu pude senti ela me apertando, me abraçando mais forte, nisso eu parei de esfregar achando que ela havia acordado, mas não, ela continuava adormecida, então eu continuei, minutos depois eu meio que assuntei, pois ela começou a movimentar o seu quadril conforme eu esfregava, o que parecia ela estar curtindo o momento, isso me deixou em dúvidas se ela ainda estava dormindo ou só fingindo.

Então, a partir daí eu estava disposto a fazer qualquer coisa para fode-la, e então comecei a baixar a sua calcinha e tirei delicadamente. Posicionei o cabeça do meu pau enorme que explodia de tesao no buraco da sua bucetinha. E comecei a enfiar, só a cabecinha delicadamente num vai e vem que me levou aos delírios, pude sentir que sua buceta estava encharcada, nesse momento ela começou a mover seu quadril de encontro com o meu, fazendo sua buceta rebolar na cabeça do meu pau de ladinho abraçada comigo e me apertando forte, o que me fez imaginar que ela já estava acordada, então ela disse:

“Meuuu Deussss!!! Aaaah o que é isso” — disse ela com uma voz se contorcendo de tesao no meu ouvido

“Me perdoe tia, eu acho que me precipitei” — respondi a ela

Nesse momento, nos dois continuávamos com os movimentos de quadris fazendo encaixarmos um ao outro ainda mais gostoso, meu Deus, que tesao.

“Aaaaaah, continua, não para não, tá gostoso, aaaaah”, — disse ela em meu ouvido com uma voz ofegante.

Nem respondi mais nada, abracei ela ela mais forte enfiando meu cacete inteiro em sua buceta encharcada, num vai e vem de ladinho sentindo seu corpo quente abraçado eu meu corpo, nossa, que sensação gostosa, jamais tinha sentido isso com outra mulher, talvez por aquilo ser proibido, me deixava ainda com mais prazer.

Nisso continuamos, e eu fui me virando por cima dela e socando sua bucetinha encharcada cada vez mais forte:

“Aaaaaaah, aiiii, que gostoso meu sobrinho, que tesao aaaah” — gemia ela se contorcendo por baixo de mim.

“Fode sua titia vai, fode” — pediu ela com uma voz ofegante.


Eu permaneci calado, apenas atendi aos seu desejos e comecei a bombear cada vez mais forte.

“Aaaah que gostoso, Aaaaah! Ah! Ah! Ah! Não para não” – pediu ela gemendo alto no meu cacete.

Aquele momento era sem duvidas um dos melhores da minha vida, uma tia e seu sobrinho transavam seus corpos quentes na posição “papai e mamãe” na noite fria de uma madrugada de chuva.

Continuamos a foder gostoso e então coloquei ela de 4 pra mim, comecei a bombear a bucetinha gostosa da minha tia.

“Aaah que gostoso meu sobrinho, fode sua titia vai, não para não por favor, AAAAAAH” — gemia ela no meu cacete.

“Aaah que delicia, voou gozar, assimmm, não para não vaaaai” — gemia ela enlouquecida de 4 pra mim.

Em seguida ela gozou gostoso no meu cacete o que me sentir dentro de mim o momento que ela jorrou de prazer. Em seguida, continuamos, coloquei ela por cima de mim, ela sentava no meu cacete enlouquecida, ela tirou sua camisola que cobria seus seios e comecei a mama-los, então ela continuava cavalgando no meu cacete e deitou se mim, chegando no meu ouvido e disse

“Isso é errado, mas tá gostoso, aaaah que tesao” — gemia ela no meu ouvido.

“Você é maravilhosa tia, tão gostosa, me fode vai” respondi isso a ela

“Aaaaah, assim eu vou gozar novamente, que… aaaaaiiii” — gemia ela sentada no meu cacete

“Goza comigo, por favor” — disse ela se contorcendo de tesao

Ao ouvir isso meu eu fiquei louco, porque eu poderia ficar dentro dela sem ela poder engravidar, pois ela já é laqueada, joguei ela por baixo de mim na cama e voltei a bombear de frente, estava tão gostoso que gozamos juntos, gozei dentro da bucetinha dela, ficou tudo encharcado. Depois dormimos abraçadinhas como dois adolescentes depois de fazer a primeira loucura na vida. Na manhã seguinte, ainda antes de levantar, transamos mais uma vez, essa foi uma rapidinha, depois disso, infelizmente nunca mais rolou, ela começou a namorar, e hoje vive morando junto com outro homem. Mas tenho esperanças ainda de dia isso poder se repetir.

Deixe uma resposta