irmão e irmã

Essa história é sobre dois irmãos com apenas um ano de diferença, Lize e Matte. Na infância ambos eram bem unidos e apegados mas no início da adolescência, Matte começou a se afastar da irmã sem expor seus motivos.
Após incessantes tentativas de reaproximação da moça darem errado, Lize resolve viver seus últimos anos de colegial plenamente, mas o que ela não esperava, era que tudo iria mudar quando a mesma resolve arrumar seu primeiro namorado aos dezoito anos e sua mãe decide morar junto com seu pai no exterior, deixando-a sozinho com seu irmão que acabava de completar dezenove anos.
Por sua irmã ter um namorado Matte revelará seus verdadeiros sentimentos?, acompanhem esse conto sobre a angustia de desejar o que é proibido.
Início
Por terem pouca diferença de idade, os dois irmão tiveram sua infância juntos. Brincavam, riam, ambos eram muito apegados e Matte por ser mais velho protegia sua irmã como se a menina fosse tudo para ele. Seus pais se mudavam com muita frequência e por esse motivo os irmão não conseguiam manter amizades, acarretando assim mais apresso pela companhia um do outro. Entretanto, tudo mudou quando Lize completou quatorze anos, Matte começou a se afastar da irmã aos poucos até chegar ao ponto de evita-lá quase por completamente. Lize não deixou “barato” é confrontou o garoto:
— Matte…. — Ela o chamou mais o menino a ignora enquanto vai para seu quarto. — Matte estou falando com você não ouviu? — Ela agarra o braço do irmão assim obtendo sua atenção.
— O que você quer? estou ocupado…. — Ele diz de um jeito grosso sem ao menos olhar para ela.
— Já faz algum tempo que você está me evitando, não ficamos mais juntos e nem nos falamos como antes… eu.. eu só queria saber se fiz algo que ti irritou? — A garota diz com um tom melancólico.
Matte olha para rosto triste da irmã, ele percebe que ela estava muito perto, muito perto mesmo …. o cheiro do shampoo de Lize podia ser sentido perfeitamente, sua pequena mão que o segurava era tão quente… tão quente que o rapaz sentia aquele calor percorrer todo seu corpo, seus olhos reluzentes o encaravam de um jeito meigo. Antes que se perdesse em seus pensamentos pecaminosos o rapaz pucha seu braço com brutalidade e diz:
— Me deixe em paz! não somos mais criança, não tenho tempo para perder com minha irmã mais nova. — Ele entra no seu quarto e bate a porta com brutalidade.
Lize com lágrimas em seu rosto corre para seu quarto e chora a noite toda, ela não consegue entender o que pode estar acontecendo, a pouco tempo atrás Matte fazia cócegas em sua barriga, assistiam filmes na sala em baixo do cobertor, ambos eram inseparáveis e agora… tudo parecia que tinha acabado. O soluços de Lize podiam ser ouvidos do quarto de Matte e ele sentado em sua cama se encosta na parece que divide o quarto dos irmãos, ele pensa estando bem triste : “— Não existe outro jeito Lize, me desculpe…”.
Alguns anos se passam e com muito custo Lize aceita o afastamento que foi criado entre ela e Matte. A garota resolve focar em sua vida colegial e por ser muito atraente rapidamente se torna bem popular, entretanto ela continua solteira pois não encontrava ninguém que gostasse de verdade. Matte por outro lado, se tornou um belo rapaz e havia já saído com diversas garotas mas nenhum dos seus relacionamentos duravam mais de uma semana.
O pai deles agora trabalhava no exterior e só visitava a família no final do ano, com isso as mudanças de casa pararam e tanto Lize como Matte fizeram algumas amizades. A mãe dos irmãos era a única que viajava sempre para visitar o marido deixando seus filhos sozinhos as vezes por dias, mas nem assim os dois jovens reatavam os laços rompidos. Porém, Lize com dezoito anos estando no último ano do colégio e Matte que acabava de fazer dezenove anos recebem uma notícia chocante da mãe, agora os dois deveriam viver sozinhos já que a mãe deles viveria com o pai no exterior e Matte por ser mais velho deveria cuidar de Lize até ela se formar.
Mesmo relutando muito, dizendo que tinha sua própria vida para cuidar Matte acaba cedendo o desejo de sua mãe, agora seria apenas ele e Lize e isso o assustava muito. Alguns meses se passaram e tudo parecia estar bem, Lize por meio de uma amiga conhece um rapaz chamado Theu de vinte anos e não demora muito para começar a se interessar por ele. Ele resolve leva-la para casa depois da escola todos os dias e isso chama a atenção de Matte, até que um dia o garoto fica olhando pela janela e vê Theu beijando Lize nos lábios antes de se despedir, o beijo foi simples mas as mãos de Theu segurava a cintura fina de Lize com firmeza, e em resposta a menina parecia ceder o beijo bem apaixonadamente, dava para ver seu rosto vermelho e carente. Aquilo foi demais para Matte, seu coração acelerou, suas mãos começaram a suar e uma fúria o dominou por completo. Ele mais do que ninguém sabia que sua irmã era atraente e que um dia ela poderia encontrar alguém de quem gostasse mais nunca imaginou, que ver com seus próprios olhos o deixaria daquele jeito.
Lize se despede de Theu, a menina estava feliz por ter conseguido dar seu primeiro beijo e por ter começa a namorar o Theu, não estava apaixonada mas sentia que poderia ama-lo em breve. Ela abre aporta de sua casa, retira o sapato e quando estava andando indo em direção ao seu quarto Lize é surpreendida por Matte que bloqueia a entrada de seu quarto.
— Você poderia sair da minha frente? — Ela diz mas o rapaz apenas a encara serio sem dizer nada. Ela avança tentando abrir a porta mas ele impede que a porta se abra.
— Qual é seu problema está maluco? SAI DA FRENTE!! — Ela grita.
— Quem era aquele cara? que você estava se agarrando no meio da rua que nem uma vadia!
— VOCÊ ME CHAMOU DO QUE? vai se ferrar seu idiota, eu não ti devo satisfação da minha vida.
— DEVE SIM! eu sou seu irmão mais velho e…..
— Agora você é meu irmão? me despreza me ignora, age como se eu não existisse e agora vem com esse papinho? …… esquece eu vou sair..
— Você não sabe o que diz Lize… Não consegue entender nada… — Matte diz.
— O que eu não entendo?…. fala comigo? — A menina fala e seu irmão a olha fixamente como se fosse revelar seus sentimentos mais profundos, mas antes que fizesse o mesmo se contém.
— Esquece… estou cansada não quero mais brigar com você Matte, estou indo.
— Aonde você pensa que vai? Pretende se encontrar com aquele cara? vai dormir com ele? …. — Matte diz enfurecido, seu coração estava disparado. Lize o olha bem no fundo dos olhos e diz com muita calma.
— E se eu for? o corpo é meu, eu dou para quem eu quiser! — Ela estava com raiva ao mesmo tempo magoada e respondeu dessa forma pois queria irritar seu irmão ao máximo. Só que ela não sabia o que aquelas palavras poderia acarretar.
Ao ouvir o que Lize diz Matte fica chocado, algo dentro dele se rompe e tudo o que o impedia de realizar seus desejos mais pecaminosos perde a força, não importavam mais. A garota satisfeita com o que disse se vira para sair do local mas Matte rapidamente a agarra por trás a abraçando e levando a mesma até seu corpo.
— Você fede a outro homem… Preciso marcar o meu cheiro em seu corpo, torna-lá só minha! — O rapaz diz ao pé do ouvido de sua irmã enquanto ele a segurava por trás e a mantendo grudada em seu corpo.Ela o olha assustada e antes que falasse algo seu irmão a vira de frente e beija apaixonadamente seus lábios, de uma forma desesperada e sufocante para ela.

Lize tenta se afastar mas Matte era mais forte, ele a pressiona contra a parede, seu corpo estava quente e sedento de desejo, ela podia sentir a ereção de Matte que apertava sua barriga, seu membro parecia ser grande e por estar daquela forma, mostrava o quanto o rapaz estava excitado com apenas aquele beijo. Lize ainda assustada pela atitude de seu irmão e vendo que o mesmo não iria solta-la, cede ao beijo acalorada que recebia, o gosto era bom, a boca dele era melada e suculenta, sua língua procurava pela dela a cada movimento, o coração da menina disparou, seus pensamentos estavam longe até ela comparar o beijo de Matte com o do Theu: “— O do Matte é mais gostoso” ela pensou. Matte vendo que Lize cedia para ele, estando feliz e excitado seus beijos começa a percorrer o pescoço da jovem, ela fecha os olhos e sua pele se arrepia toda. Lentamente o irmão leva sua boca até o decote da blusa da garota e por ter um momento de lucidez, Lize volta a si antes que sua blusa fosse desabotoada ou seus seios apalpados, ela empurra Matte que vai para longe e com desespero ela entra no seu quarto e fecha a porta rapidamente.
Seu coração quase saia pela boca, a jovem não podia acreditar no que aconteceu. Matte em êxtase bate na porta do quarto pedindo para abrir, Lize ainda encostada na porta do lado de dentro não responde nada. O rapaz então senta do lado de fora do quarto dela, ambos estavam lado a lado encostados na mesma porta. Matte sabia, que o caminho que ele acabava de trilhar não tinha mais volta, e depois naquele beijo havia decidido, não entregaria sua irmãzinha para ninguém.
Após alguns minutos depois do ocorrido os dois irmãos permaneciam no mesmo local, Matte agora mais calmo diz:
— Por favor não me odeie…. não tenha medo de mim, prometo que não vou fazer mais nada a força. — Ele diz enquanto limpa o suor que percorria seu rosto. Lize que ainda tentava entender o ocorrido pergunta:
— Porque? porque você me beijou….
— Porque eu te amo… amo mais do deveria, amo de um jeito sufocante que me agonia todos os dias. Quero toca-la, quero beija-la, sentir seu calor e poder ti fazer…. apenas minha, só minha! — Ele diz com toda sinceridade, Lize espantada sente seu mundo virar de ponta cabeça. Ela também o amava, muito mesmo e depois daquele beijo…. “— Foi tão bom…” ela pensa, um calor sobe dentro de seu corpo sem que ela perceba a mesma se sente excitada.
— Quando você começou a desabrochar, vi o quanto linda estava se tornando. Eu a olhava mas não era da mesma forma…. seus lábios, seus seios, suas cochas, tudo me despertava um desejo incontrolável. Tentei resistir no começo, mas você não facilitava, era tão inocente ao ponto de se trocar de porta aberta, de dormir com roupas curtas e sensuais no meio da sala, ou de ir para o meu quarto dormir junto comigo na minha cama, quando nossos pais não estavam em casa porque sentia medo. Você não me via como homem, até compreendia pois somos irmãos de sangue, mas eu não… estava muito difícil me controlar… e em uma noite enquanto você dormia na sala eu me aproximei, estava tão linda e sexy que não resisti e a beijei. Foi tão gostoso que eu senti vontade de ti devorar ali mesmo, então você se mexeu e eu corri para a cozinha, você acordou e foi para seu quarto sem ao menos desconfiar do que eu fiz. Me senti um lixo, um ser abominável, não podia mais ficar perto de você… precisava conter meus desejos pois se não, perderia o controle de vez e então me afastei de você.
Lize que escutava tudo começa a entender o que havia acontecido e o porque seu amado irmão se afastou. Sobre o beijo ela achou que foi apenas um sonho, que parecia muito real, era um príncipe que a abraçava e a beijava, nunca havia desconfiado que fosse um beijo de seu irmão. Por fim, ela deduziu que o beijo com o seu namorado não era seu primeiro.
— Resolvi me focar nos estudos e ocupar minha cabeça ao máximo para não pensar em você, mas vivendo na mesma casa é uma tarefa difícil, seus pijamas curtos, sua mania de deixar a porta aberta, tudo me instigava… Procurei me consolar com garotas parecidas fisicamente com você, mas é obvio que não eram você, então não tinham valor para mim.. Lize… pode ser nojento ou errado mas eu te amo e ti desejo tanto, mais do que qualquer homem nesse mundo. Se você me aceitar posso ti fazer feliz, podemos encarar tudo ir embora para um lugar aonde só exista nos dois. — Matte que antes estava sentado se poi de pé e olha fixamente para a porta enquanto espera uma resposta de suas declarações. Um silencio desconfortável surgi no ar, o garoto respira fundo pois estava muito nervoso e já temia o pior. De repente ouvisse o barulho da tranca sendo virada e em seguida Lize abre a porta de seu quarto.
De costa e cabeça baixa para o garoto Lize caminha na direção oposta dele no quarto, Matte adentra o local com passos vagarosos.
— Vo…. você…. você me ama tanto assim?… — Lize diz virando para ele bruscamente, seus olhos brilhavam e algumas lágrimas escorriam em seu belo rosto. Matte sem hesitar se aproxima de sua irmã ficando de frente para ela, seu rosto estava corado, suas mãos soando e por fim, o rapaz fala:
— Eu te amo mais do que qualquer coisa no mundo.. — Lize estende suas mãos e segura a do irmão em seguida declara:

— Sempre te amei… por isso nunca me apaixonei por outra garoto mas até aquele beijo não tinha me dado conta. Quando você se afastou de mim doeu muito e continuou doendo até hoje em dia. Ainda tenho insegurança de pensar em você como homem é tudo tão novo para mim mas… eu sinto no fundo do meu coração que eu quero ser sua… completamente sua. — Ao terminar de falar Matte sorri de felicidade e em seguida se aproxima do rosto dela para beija-la, Lize fecha os olhos como sinal que desejava ser beijada.
Matte passa seus braços largos em volta de sua irmã e a abraçando fortemente mais de um jeito dócil e carinhoso a beija fervorosamente. Os lábios de Lize eram macios e carnudos, suas línguas se tocavam, o rapaz não podia acreditar que finalmente estava com sua irmã em seus braços, ele queria muito ela, muito mesmo, era seu desejo mais profundo. Quantas vezes ele foi pervertido e se masturbou cheirando a roupa íntima dela no banheiro, ou as vezes que ele transou com uma garota e no meio do sexo imaginava estar com Lize ao ponto de chamar seu nome no meio do ato. Mas agora, era ela… estava bem ali em sua frente.
O rapaz começa a passear com suas mãos pelo corpo de Lize, ele coloca a mão dentro da blusa dela e acaricia suas costas, enquanto a outra desce para as cochas da jovem. A mesma não demostra resistência e ainda estando no beijo acalorado Matte a guia inconscientemente em direção a cama, ela o segue com passos lentos e naquele momento o rapaz sabia que se fosse para a cama, mesmo que Lize resistisse, ele não saberia como parar, e foi o que iria acontecer. Matte a guia até a cama e a joga sobre o colchão. Os cabelos de Lize que antes estavam em um belo e longo rabo de cavalo se solta, deixando-a com seus lindos cabelos esparramados pela cama. Ela ainda vestia o uniforme escolar, uma saia xadreza e uma camisa branca social com um lenço em seu pescoço que agora estava solto sobre a cama também. Uma meio preta que ia até o início de suas chochas era a ultima peça de sua vestimenta ser citado. Ela olha para Matte com o rosto todo vermelho e sua respiração estava ofegante por causa do longo beijo. O garoto a encarou por alguns segundos de pé sobre a cama, apenas admirando a beleza de sua irmãzinha que estava ali se entregando toda cheia de desejo.
Matte sobe na cama e a agarrando pela cintura beijando sua boca ele a indireta na cama e fica sobre ela. Seus lábios percorrem o rosto, pescoço cada centímetro que ele via em sua frente ele beijava e passava sua língua lentamente. Lize se contorcia toda e o abraçada fortemente, Matte começa a desabotoar a sua camisa e a joga para longe voltando a beija-la só que agora sobre seu decote. A garota o aperta , suas unhas arranham as costas larga de seu irmão, mas isso só da mais tesão nele. O rapaz desabotoa a camisa dela e se maravilha com a visão daqueles seios fartos e belos sobre o sutiã cor de rosa. Ele morde os lábios e então a olha e diz:
— Se você não quer… fala para eu parar agora! pois se eu continuar vou ti devorar todinha. — A voz dele estava tão sexy e soava como um sussurro ao pé do ouvido.
— Eu não quero que você pare … é gostoso! ainda mais sendo você.. quem está me tocando… quero … eu quero ti tocar também. — Lize diz e suas palavras faz com que Matte perca o controle de vez.
Ele retira o sutiã da menina revelando seus seios bem definidos, os biquinhos dela estavam duros e pontudos. De uma só vez ele abocanha o esquerdo quando massageava o direito, em seguida ele retira a boca do esquerdo percorrendo lambendo os seios de Lize até chegar no biquinho do direito. Ela não contia mais os gemidos, e aquilo só o deixava mais louco de desejo. Matte retira o resto da roupa dela a deixando completamente nua, Lize o ajuda a tirar suas roupas também revelando se pênis duro e latejando. Para provoca-lo mais Lize diz:
— Matte.. quer que sua irmãzinha chupe seu pau e enfie até a garganta?
— Não faz assim… não me provoca desse jeito, se não… nunca vou deixar você ir… — Ele responde e ela totalmente envolvida na excitação garra o pênis de seu irmão mais velho e começa a lamber e chupar. Lize era virgem nunca tinha estado com um homem mas por ser uma jovem adulta já sabia como agradar um rapaz e provoca-lo, ela tinha amigas que faziam sexo frequentemente e contavam suas realizações.
Ela tentava seu melhor chupando, sugando, lambendo e Matte metida todo seu pau dentro da boca pequena e úmida dela. Sem perceber e cheio de tesão ele sente que estava quase gozando, ele avisa a ela mas a mesma não quis tirar seu membro da boca resultando assim, o esperma invadindo o interior de seus lábios e escorrendo o restante sobre seu seios. Lize o olha e lambe os lábios de um jeito provocante, Mette a deita na cama e começa a lamber sua barriga até chegar na região da virilha. Beija suas cochas, pernas até tocar em sua vargina, ela estava melada, o rapaz acaricia o clitores de Lize a levando a loucura, em seguida ele começa a chupar e lamber sua vargina. Sentir o gosto de sua irmãzinha, o gosto que ninguém havia provado era maravilhoso.O cheiro de sexo, os gemidos os toques tudo era magico para ele, era o melhor momento de sua vida até então. Não podendo mais se controlar ele começa a esfregar seu pênis na parte íntima de Lize e com cuidado ele vai se encaixando dentro dela. O mesmo se posiciona sobre o corpo da jovem, e olhando em seus olhos ele começa a penetra-la. Lize o aperta de dor e ele para, mas ela o olha e pede para continuar. Matte vai penetrando e penetrando até que sente que entrou tudinho, em seguida os movimentos de vá e vem começam. Lize que antes só sentia dor começa a sentir um prazer incontrolável, Matte se sente no paraíso, ela era tão quente e apertada. Foi ficando cada vez mais rápido, o prazer só aumentava, mudaram de posição algumas vezes, querendo sempre mais e mais sentir aquela sensação maravilhosa e no fim, Matte goza dentro dela.
Acabando o ato os dois dormem abraçadinhos e nus aquela noite. No dia seguinte logo quando Lize vai tomar banho Matte a segue e repetem toda safadeza proibida e incestuosa novamente, ela não a deixava descansar. Passaram o dia todo transanto de todas as formas possíveis e quando Lize pedia para descansar Matte falava:
— Esperei anos para come-lá, não imaginava que acontecia… Não tente pedir para me conter! Só estou começando!! — Ele declara enquanto passa a língua nas cochas nua da irmã a deixando-a envergonhada.
Lize termina com Theu no dia seguinte, e ela e Matte começam a namorar secretamente. Após se formar e ficar Lize e seu irmão se mudam para uma cidade de interior como um casal. Não importava se eram irmãos, ou que o sentimento que tinham um pelo outro era errado, o amor que sentiam valia apena ser vivido.
Fim…

Deixe uma resposta