Prima advogada Safada

Irei relatar para vocês o breve caso que tive com uma prima. Tinha 20 anos quando isto ocorreu, 1,80 e altura, pelemorena, mais ou menos malhado, estudante de Direito.

Vamos chama-la de Ana (até porquê não pedi autorização para relatar o caso). Na época a Ana tinha 24 aninhos com 1,60 de altura, mineira, pele bronzeada, piercing nas orelhas e alguma tatuagens pelo corpo, magra e sensual com pernas lindas e um olhar de deixar qualquer pessoa excitada (deve ser de família) e sem contar que era formada em Direito.

Bom, era abril de 2019 e a Ana viria de Minas para morar em Manaus por conta de trabalho e outras situações que não vem ao caso.

E eu sempre tive uma tesão quando a via, mas como um homem inteligente sempre me contive, em maio percebique ela começou a dar sinais de que poderia rolar algo mas não dava muita moral até porquê sempre fui bem desenrolado com a mulherada, sem necessidade de correr atrás, mas passou um mês e eu comecei a conversar mais com a Ana no escritório de advocacia que trabalhávamos e percebi que ela começou a me olhar com uma cara de tarada, fiquei esperando o momento oportuno para chegar nela

Até que um dia só estava eu e ela no escritório e Ana foi pegar um pacote de açúcar que estava em uma prateleira em minha frente, e como ela é baixinha em relação a mim não perderia a oportunidade de vê-la de ponta de pé em minha frente, e como foi maravilhosa aquela cena meu pau ficou apertado na calça na hora e eu não me controlei e passei a mão na sua cintura e desci em direção a sua bunda, logo percebi que ela gostou e encostei ela na parede em que estava e comecei a beijá-la, segurei seus braços na parede e fui descendo pelo seu pescoço (ela foi bem receptível por sinal), neste dia nós apenas ficamos nisso e eu apesar de não ser de me apaixonar passei

O resto do dia pensando no ocorrido e quando poderia fazer o que estava passando na minha cabeça com ela. Não demorou nem dois dias porque no dia seguinte ela veio com um vestido que tinha um laço e novamente ficamos a sós no escritório, já que os advogados estavam para audiências, cheguei até sua mesa puxei ela pelos braços e ela veio de bom grado, comecei beijando aquela boca maravilhosa e descendo a mão até sua cintura, logo em seguida fomos para o banheiro

E eu falei que estava louco para chupar aquela bucetinha e ela disse ‘’ é só um vestido’’ puxei o laço e a gravidade fez o resto e como fiquei feliz com o que vi, ela estava usando uma lingerie azul, buceta lisinha e lábios vermelhinhos como sua boca, caralho meti a boca naquela lingerie, comecei a masturbá-la com minha mão e ela começou a se contorcer e soltar suaves gemidos enquanto nos beijávamos, mas ouvimos o barulho da porta do escritório e fomos cautelosos, um atrapalha foda veio deixar um recardo referente a algum produto que não deiimportância já que estava puto por ele ter esfriado o momento, depois que ele foi embora a Ana me olha e diz se eu fosse homem não parava não (captei a mensagem) e tirei aquele vestido de novo, coloquei sua lingerie de lado e (obrigado testosterona) me afundei dentro dela – Caralho !!!

Isso foi bom demais – acho que rolou uma química entre nossos corpos, abaixei ela de frente para pia da cozinha ecomecei a meter naquela buceta que estava toda molhada e quentinha, adorei ver sua tatuagem mais secreta, como ela estava de costa agarrei seu cabelo e metemos alguns minutos até que ela começou a gozar no meu pau e paramos já que a qualquer momento poderia entrar alguém e estaríamos numa enrascada, mas falei para ela que estava me devendo um orgasmo e ela respondeu – Pensei que você fosse ‘’viado’’ – ah sua filha da puta você não viu nada ainda. Passei a noite pensando naquela foda e como queria terminar aquilo.
Passamos a semana com troca de olhares e aquele jogo de sedução que eu simpatizo bastante. Alguns dias depois ela disse que precisava que eu descesse para ajudá-la a organizar algumas pastas e neste dia estava todo mundo no escritório então não pensei em nada, desci após uns minutos e a sala de reunião estava uma zorra, ela estava usando uma saia colada e salto alto (padrão advogada) no momento em que ela abaixou apenas o tronco para pegar um papel que caiu eu me aproximei e fui subindo com a mão até seu pé e fui subindo até sentir sua bucetinha quentinha

E ela disse que se arrepiou todinha, fui por trás dela e a encostei na mesa de reunião, naquele ponto já tinha tacado o foda-se e queria mesmo era foder ela com força naquela posição, deitei a Ana com a barriga na mesa abri suas pernas, coloquei um dedo na sal buceta e comecei a fazer meu jogo com ela e ela foi ficando bem molhada, abri o zíper da minha calça e meti com força nela e pedi para que não fizesse barulho já que estava todomundo no escritório (imagino como deve ser difícil se conter sendo ela)

A buceta dela se encaixava perfeito no meu pau e olha que o ‘’rapaz’’ não é dos menores (21 cm de prazer) levantei a perna de Ana na mesa e comecei a meter mais fundo e ela soltando uns gemidos que me preocupavam e me deixavam mais excitado, quando estava –para gozar ouvimos barulho na escada saí de dentro dela e levantei rapidamente sua calcinha, mas seu cabelo estava todo arrepiado e aquele rosto de safada todo corado, não sei se ela conseguiria disfarçar como eu faria, mas a situação foi bem inusitada e engraçada.

A partir daquele dia Ana entendeu que eu não era só um rostinho bonito e nem um novinho sem experiência.

Espero que quando olhar esse publicação tenha feito muitas outras histórias com a Ana.

Deixe uma resposta