Despertando a putinha interior

Descobri que minha aparência abriria as portas pra mim quando virei mocinha.

Carinha de anjo com um corpo gostoso, percebi o meu poder quando aos 14 anos meu namorado ficou doido com a atenção que um dos professores mais severos do colégio me dava. “Ele tá é afim de vc!” ele esbravejava quando eu ganhava uma nota não merecida.

Comecei a perceber que ele tinha razão e que eu, mesmo sem fazer nada, tinha conseguido conquistar o professor. Aquilo me atiçou. O que mais eu poderia conseguir? Perdi a virgindade aos 16 com outro namorado, estava apaixonada mas ele não me valorizava, mas gostava de exibir como namorada. Quando soube que ele tinha ficado com uma colega minha eu já nem estava mais afim dele, mas não o dispensei de cara por um motivo: o pai dele era um tesão. E então eu pensei: pq não? Sabia que o papai me queria pois ele sempre me comia com os olhos. Eu seria uma tentação grande o suficiente para o pai trair o filho? Durante 2 semanas eu preparei o terreno: sorrisos mais sedutores, alguns toques ocasionais e num belo dia em que ia com o filho dele ao cinema eu cheguei com uma blusa de zíper larga e longa e quando ficamos sozinhos eu abri a blusa e a tirei revelando um top sutiã preto que não cobria meus peitos.

O cara quase infartou quando eu dei uma voltinha mostrando a bunda empinada espremida na calça jeans colada e perguntei no tom mais inocente do mundo: será que está bom? Dois dias depois meu namorado tinha ido para a praia junto com a mãe e eu apareci no apartamento com um shortinho e regata branca sem sutiã dizendo que precisava de um livro para as provas. “É um livro de biologia” eu disse “estou com dificuldade em entender a anatomia masculina”, completei toda safada Foi o que bastou. Ele me agarrou com uma força que quase quebrou minhas costelas e me beijou. Rasgou minha regata e descobriu que eu estava sem sutiã. “Putinha…vou te dar o que vc quer”.

E como eu queria! Achei que um homem mais velho seria mais calmo pra trancar mas ele enfiou o pau todo em mim de uma vez. Eu gritei de dor e prazer e ele me fodeu no carpete da sala sem dó e nem piedade. Depois que a gente gozou eu me levantei mas ele me derrubou de novo chão. “Onde vc pensa que vai putinha? Eu mal comecei com vc.”. Eu tremi de medo mas tbm de tesão! Mesmo com a viver a melada de porra eu já estava querendo mais. Então ele continuou: “Vc vai ligar pra casa e dizer que vai dormir na casa de uma amiga. Invente uma desculpa qualquer, pq vou te comer a noite inteira e se vc conseguir andar amanhã pode voltar pra casa”. E ele cumpriu a promessa, me levou para o quarto que dividia com a esposa e fez o que quis comigo.

O cara tinha muito tesão acumulado e tinha muito fôlego. Fui chupada pela primeira vez, tbm foi a primeira vez que recebi uns tapas…adorei tudo. Ele revelou que me queria desde do dia em que o filho apresentou a namoradinho e tinha até procurado na internet uma garota de programa parecida comigo. “Se eu soubesse que esse rostinho de boneca escondia uma puta nata, teria te comido faz tempo!

Mas agora eu vou cuidar de vc, sera minha putinha”. Essas palavras me fizeram pensar que podia ser muito bom pra mim que aquilo fosse nais do que uma noite só, mas para isso ele precisava passar por cima do fato de estar colocando chifre na cabeça do filho amado. Joguei minhas cartas ao dizer que queria perder a virgindade do meu cuzinho… mas tinha que ser na cana do filho dele.Ele hesitou. “Por que?” Fiz meu melhor beicinho de menininha e respondi: “Vc é tão bom em me foder…seu filho é um cara legal mas eu preciso de um macho de verdade…

Eu queria que vc tivesse tirado meu selinho…como eu ñ posso corrigir o passado, quero começar de novo dando o meu cuzinho pela primeira vez no mesmo lugar que perdi a virgindade…só que dessa vez com o homem certo”. Homens e seus egos frágeis…Ele esqueceu qq escrúpulo e me fodeu gostoso na cama do filho.

Ok, eu menti pra conseguir o queria, era o meu primeiro anal sim mas eu ñ tinha perdido a virgindade ali. Eu queria passar aquela barreira do filho pq para continuar sendo a putinha do pai ia continuar namorando o filho.

Foi o que eu fiz por 2 anos. O papai me ensinou tanta coisa que eu acabei deixando o filho dele louco por mim…mal sabia o coitado que quando ele resolveu ser fiel a mim eu o traia da pior foma possível. Ele me dava jóias, me deu um emprego na firma dele-e adorava me comer no escritório– até conseguiu um tempo só pra nós inventando uma viagem de trabalho para o Rio na mesma época em que eu resolvi visitar uma amiga imaginária no litoral de SP.

Ninguém nunca desconfiou, ficou amigo do meu pai que adorava o meu namorado e dizia que dali ia sair casamento…lembro até hoje da cara do safado ao ouvir isso. Na primeira vez que ele me fodeu depois disso ele me disse que se eu casasse com o filho dele ele iria me comer antes do filho, vestida de noiva! Na cabeça dele eu mal fazia sexo com o filho dele, por mais contraditória que fosse meu “sogro” era possessivo por isso eu mantive em segredo durante todo o nosso caso que a putinha que ele despertou precisava de mais do que a pica dele…ou a pica do filho dele…mas essas são outras histórias

Compartilhe com seus amigos:

1 comentário em “Despertando a putinha interior”

Deixe uma resposta