Fui viajar a trabalho, quando voltei era corno de negão

Eu me chamo Carlos e minha esposa Jessica, eu tenho 29 anos 1,82 e 90 kg cabelos lisos castanhos claros e um corpo normal, já minha esposa tem 23 anos 1,65 e 62 kg cabelos longos lisos pretos escuros e pele branquinha como faz academia tem uma bunda bem durinha e tem peitos até um pouco avantajados.
Certo eu trabalho o durante o dia meu horário se estende das 07:00 até as 20:00, já minha esposa não trabalha, quando casamos recebi uma proposta para mudar de cidade e como meu salário era maior ela saiu do trabalho pra me acompanhar.

Jessica sempre foi muito dedicada com a casa desde o nosso casamento faz anos que estamos junto, ela se acostou já com a rotina da casa e com meu salário conseguimos ter uma vida razoavelmente confortável então nunca cobrei também para ela arrumar um emprego.

Bom desde o tempo de namoro sempre tivemos uma vida sexual bem agitada, apesar do meu horário sempre quando chego nos entendemos muito bem na cama.
Quando fizemos 2 anos de casado consegui sair de férias, combinamos com uma casal (Fernando e Julia) de amigos (uma mulher loira muito bonita e um rapaz negro com seus 1,75 de altura) para irmos juntos para a praia e alugamos um apartamento para ficarmos 15 dia lá.

Em um final de semana eles nos convidaram para ir em uma casa de Swing, até ficamos com um pé atrás pq nunca tínhamos ido, eles insistiram e acabamos aceitando mas fomos somente para conhecer.

Chegando lá entramos havia um ambiente bem confortável com mesas, musica boa e um espaço para dança algo bem parecido com uma balada normal, porém havia outras salas separadas e de lá dava para se ouvir barulhos de sexo.
Esse casal de amigos saíram depois de um tempo eles não voltaram resolvemos andar para conhecer, já havíamos bebido um pouco então já estamos mais soltos. Fomos passando em alguns ambientes e como prevíamos muita gente transando abertamente, até que chegamos em uma sala e damos de cara com nossos amigos e mais um homem negro, quando vimos ficamos parados e apenas olhando, era uma cena muito louca a loira chupando seu marido que tinha um pau muito grande devia ter uns 25cm enquanto outro homem a comia por trás igualmente grande. Eles nos viram e ainda perguntaram se queríamos participar, acenamos que não mais ainda ficamos apreciando aquela foda por uns 10 minutos, até que eu já de pau muito duro pego pelo braço da Jessica e começamos a transar do outro lado da sala enquanto olhávamos para eles, gozamos muito ali. Depois nos arrumamos e voltamos para o primeiro ambiente, logo em seguida eles voltam e na conversa eles falam que é costume eles irem a Swing e que adoravam uma boa suruba. Logo desconversamos e seguimos a noite sem muitas surpresas.

Chegando em nosso quarto no AP começamos a conversar sobre a noite e como havia sido excitante, lembramos da cena que vimos e a Jessica comentou sobre o tamanho do pau do nosso amigo e ficou admirada como nossa amiga agüentava ainda mais dois. Perguntei se ela ficou com vontade ela deu uma risada e desconversou, porém ficamos excitados e transamos intensamente novamente. No outro dia levantamos e eles agiram normalmente como se nada demais havia acontecido e nossas férias seguiram assim até o final.
Depois de uns 2 meses das férias esse casal de amigos acabou se separando e a Julia foi embora, então acabamos nos afastando do Fernando também.

Passou uns 15 dias reparei que a Jessica estava mais solta ela já tinha o costume de andar com roupas curtas e nunca me importei com isso, mas agora ela usava algumas roupas que eram exageradas e chegavam a serem vulgares só que não me importei pois ela tinha um corpo lindo e adorava ver o quanto ela ficava safada com aquelas roupas e quando transavamos hora ou outra ela tocava naquela noite de Swing e ficava ainda mais fogosa.
Depois de uma semana precisei viajar por uma semana para um treinamento e retornaria somente no sábado, fui então porém o treinamento se antecipou na sexta e durou só até a hora do almoço e para fazer uma surpresa para Jessica resolvi voltar um dia antes.

Por volta das 18:00 cheguei na cidade, decidi passar no shoping comprei uma caixa de chocolate e um buque de flores e fui pra casa, chegando lá já beirava as 19:00, resolvi encostar duas casas antes da minha para chegar silenciosamente e surpreender. Havia um carro estacionado na frente de casa mas não levei em consideração pq duas casas pra frente da minha havia uma festa imaginei que fosse de lá.

Abro o portão sem fazer barulho e tiro os calçados, vou entrando em casa a porta aberta e luz acessa porém sem ninguém, começo ouvir barulhos de gemido vindo do quarto e barulho de corpos se batendo, já sabia o que era mas não queria acreditar que ela estaria fazendo aquilo, me deu um sentimento de raiva e tristeza, mas em um ultimo suspiro em acreditar que seria outra coisa, sai e dei a volta por trás da casa até a janela de nosso quarto, as cortinas estão entreabertas, olho por ela e confirmo minha suspeita e fico surpreso com o que vejo.

Vejo Jessica de quatro tendo seus cabelos puxados e por trás dela o Fernando aquele “amigo” nosso fodendo ela, seus corpos já estamos molhados de suor já deviam estar trepando a algum tempo, na hora me deu uma fúria mas antes de bater na janela ou fazer algo, olhei o tamanho da rola que ele tinha e como entrava na bucetinha da Jessica, realmente era muito grande e com luz e uma visão melhor imagino que tinha até mais que os 25 cm que imaginei quando vi na casa de Swing

E quando olhei aquela cena da minha esposinha sendo fodida daquele jeito por um pau negro daquele tamanho comecei a ficar sem reação, vendo a cara dela e como sorria e gemia alto aquela raiva foi deixando meu corpo e comecei a ter uma ereção. Então fiquei ali parado de uma forma que eles não pudessem me ver e comecei a apreciar aquele negão fodendo minha esposa daquela forma. Ele estava montado nela com suas mãos enroladas em seu cabelos enquanto ela apoiada sobre seus cotovelos de quatro sentia aquele negão entrando e saindo de sua buceta, ela gritava cada vez mais alto e eu podia ouvir ela dizendo “Fode Fernando, fode forte, que rola gostosa” e ele respondendo “toma sua vadia, seu marido viaja e você trepa com o negão a semana toda sua putinha” ela de novo “isso vai, isso negão essa putinha quer esse pau gostoso”
Meu pau já estava duro e acabei iniciando uma punheta, eles ficaram naquela posição por uns 10 minutos até que ele sai de cima, ela com as pernas tremulas senta no canto da cama e começa a chupar aquele pau, com fluidos da sua bucetinha ainda, suas duas mão mal conseguem segurar, mas sua boca engolia uma parte daquela rola como se ela já fizesse isso a tempos, quando eu não poderia mais me surpreender, ele se deita na cama e ela vem por cima para cavalgar, senta de uma vez e rebola um pouco aquele pau para lubrificar, quando levanta um pouco tira ele de sua buceta e cospe na sua mão, passa em seu cuzinho e posiciona aquele pau lá, não acredito no que vejo pois ela não deixava eu comer aquele cuzinho pois tinha medo de doer e então vejo a tora daquele negro que começa a entrar naquela bunda maravilhosa, logo entra a cabeça ela para um pouco como pra se acostumar e logo senta de uma vez, como se aquele cuzinho já estivesse acostumado, começa a subir e descer lentamente e vai aumentando a velocidade. Entao o Fernando a puxa para si e lhe da um beijo, aquela tora se quer sai de seu cuzinho, então ele a abraça e começa a foder com fora seu cuzinho, eu não acreditava naquilo aquele cuzinho que eu tanto desejava tirar o cabaço e o Fernando com aquela tora detonando ele, fodendo com força ela gemendo alto e pedindo para ele foder cada vez mais seu cuzinho, então ela diz “Fode meu cuzinho fode, esse cuzinho é só seu o corninho nunca experimentou” ele diz “então quero que continue sendo só meu” ela ria e concordava com ele. Ficaram ali mais 5 minutos, até que ela senta de uma vez e aquele cacete some entre suas nadegas mal posso acreditar que ela fez sumir tamanho instrumento, geme alto anunciando que estava gozando e rebola mais um pouco sobre aquele pau, ela se deita de lado ele a abraça por trás e ficam de frente pra mim, poderia ter me visto mas ela estava com tanto tesão que duvido que me veria, ele encaixa novamente seu pau em sua buceta ergue uma de suas pernas e volta a foder ela intensamente, fico de frente vendo aquela tora arrombar a buceta da minha esposa e olhava para o rosto dela e via minha esposinha sorrindo e gemendo como uma vadia como nunca havia visto antes, ele fode ela com fora enquanto ela geme e anuncia que vai gozar novamente, ele então ali deitado da um beijo nela, ela totalmente entregue aquele negro retribui, ele anuncia que quer gozar também e sai de trás dela, ela agindo como a destreza de que sabia o que tinha de fazer, se posiciona de quatro com sua bucetinha virada para a janela, antes que ele subisse novamente nela vejo sua bucetinha e seu cuzinho todos arrombados já e vermelhos de tanto serem fodidos, ele então coloca seu pau em sua bucetinha agora já arrombada e começa a bombar com força dois minutos fodendo com muita força até que ele para e grita alto gozando dentro dela, fica por uns 15 segundos e sai tirando seu pau lentamente vejo a quantidade de porra que começa a sair e vejo o quanto sua bucetinha estava arrombada, ela se ajoelha em nossa cama e posso ver aquela porra saindo dela e caindo sobre nossos lençóis, ele vai até a frente dela onde ela começa a chupar seu pau e lamber a porra que estava em volta dele e apertando como quem queria mais para engolir.
Ela então se levanta da cama e da um beijo nele, ele da dois tapinhas na bunda dela e sorri dizendo “que pena que essa semana acabou, foi muito bom trepar com vocês todos esses dias” ela diz “sim que pena hoje você não pode dormir aqui pois amanha meu marido chega”.
Ouvindo isso com um misto de lagrimas e gozo saio lentamente sem fazer barulho, levando minhas flores e chocolate e indo para um hotel para pensar sobre tudo que tinha visto.
Durmo e quando acordo decido continuar o casamento e tentar abordar ela sobre o que vi. Pois apesar da decepção meu tesão foi muito grande vendo ela sendo fodida daquele jeito e assim como havia acontecido nas férias foi muito excitante ver um negão arrombando uma mulher e ainda mais dessa vez sendo a minha mulher, quem diria que ela iria virar uma putinha de negão.
No outro dia chego em nossa casa perto do almoço abrindo o portão me anunciando para que se por um acaso ele estive lá poderia arrumar um jeito de se esconder.
Então aparece minha esposinha, com uma camisola sexy com cara de rescem acordada e surpresa porém despreocupada com minha chegada. Me da um beijo intenso e mostra felicidade em me ver, entrego as flores e chocolate, ela me leva até o quarto vejo que está tudo limpo apenas a cama desarrumada, ela sem falar me empurra sobre a cama e comea a me fazer um boquete delicioso, era surpreendente como ela havia melhorado nesse quesito.
Ela então tira sua camisola já sem calcinha, e sobe sobre mim, bem sobre mim e meu pau entra todo rapidamente em sua bucetinha sem nenhuma resistência, consegui perceber que ela estava arrombadinha, mais ela rebolava tão intensamente sobre mim que já não me importava mais, com seus olhos fechados gemia intensamente e eu com a certeza que deveria estar pensando em sua noite anterior, ela me da um belo beijo o e começa um sobe e desce maravilhoso eu a dias sem uma trepada logo anuncio que vou gozar, ela então sai de cima e abocanha minha rola novamente olha pra mim com cara de safada e diz “goza na minha boquinha que estou com saudade.” Então eu gozo forte e vejo ela engolir cada gota da minha porra e aquele gozo que teimava em escapar pelo canto de sua boca ela passava sua língua. Depois disso ainda tomamos um banho e transando novamente no chuveiro até mais intenso, nessa hora ela também gozou. Então vamos ao quarto e deitamos cansados acabamos por adormecer e ali tive a certeza que não iria impedir ela de realizar seus desejos pois eu era muito beneficiado com aquilo também.

Compartilhe com seus amigos:

3 comentários em “Fui viajar a trabalho, quando voltei era corno de negão”

Deixe um comentário