Ivana, minha delícia de amiga – Conto Erótico Privê

Me chamo Sara e durante muito tempo fui em busca de um relacionamento perfeito, nunca imaginei que poderia existir tal coisa, nos homens havia perdido minha fé talvez poderia estar errada em achar que todos os homens queriam somente sexo comigo, me fechei pro mundo do sexo ou melhor me fechei pro mundo confessional do sexo, havia encontrado outras formas de me satisfazer mas ainda faltava algo por mais que eu mesma me leva-se a orgasmos profundos eu sentia falta de algo, não estava feliz me sentia só na maioria das vezes, não podia permanecer naquela situação ou talvez podia, estou com 40 anos já, sempre me cuidei frequento academia sou uma coroa gostosa como muitos jovens falam, mas do que adianta ser gostosa se eles não dão conta do recado o problema dos homens sempre foi esse nos achar gostosas mas na hora do vamos ver, na hora do rale e rola o bonitão é um coelho no cio rsrsrs.

No meio de 2018 mas precisamente em Agosto tentei voltar ao mundo dos relacionamentos, ah detalhe além de ter 40 aninhos sou mãe de duas lindas meninas Victória de 17 e Sonia de 14 meus tesouros mas vamos lá como Victória sempre dizia “ uma hora a senhora acha mãe” o problema era oque eu ia achar né homens ou moleques, sou micro empresaria dona de uma loja virtual de artigos femininos minhas redes sociais usava somente para o trabalho pois pra mim esse era o intuito dez do começo e não reclamo disso pois trabalhar online é muito bom, trabalhar em casa é ótimo e o melhor de tudo minhas filhas são minhas sócias, num certo dia de Agosto Sonia estava conversando com uma amiga no Messenger ela me contará que sua amiga tinha conhecido um rapaz que ela estava feliz ao lado dele e que poderia estar na hora de eu tentar também algo parecido, rsrsrs cai na risada como eu uma coroa de 40 anos com duas filhas iria tentar algo com alguém somente ela pra me propor algo assim, naquele dia estava sozinha em casa minhas filhas fora se divertir eu tinha confiança nelas, minutos depois uma grande amiga me ligou via chamada de video.

– Mulher faz oque de bom?- tomei um susto ao ver aquela doida me ligar, não pela surpresa mais sim pelo jeito que ela estava.
– Que isso louca? Rsrsrs, não estou vendo isso não.
– Ue estou me depilando e fazendo uma chamada de video com minha melhor amiga- ela estava de pernas abertas passando cera na perseguida dela Rsrsrs.
– Eu ia me depilar com uma profissional, mas da ultima vez não deu muito certo… ela tentou me bolinar a doida é lésbica Rsrsrs.
– Com uma esfirra desse jeito até eu né…

minha fala foi interrompida com o grito de dor que a louca deu ao puxar a cera com tudo, pra variar ela me coloca o celular bem na cara da perseguida dela, toda vermelha porem lisinha ficamos conversando por alguns minutos até que ela saiu, Ivana é dois anos mais velhas que eu e viúva ao contrário de mim ela sai pra se dividir, passei os resto do tempo ali assistindo filmes até que fiz a burrice de ir no meu face havia nele umas 20 solicitações de amizade pra responder só de homens eram 14, sem pensar aceitei todas e fui tomar meu banho esse era sempre meu momento adoro tomar banho ainda mais se é em uma hidro, meus banhos eram sempre acompanhadas só que daquela vez iria sim era tomá-lo sozinha somente eu e talvez minhas mãos deixei meu homem na gaveta aquele negão nunca me decepcionou, pelo contrário ia até o final comigo e só parava quando minhas pernas estavam bambas, entrei no banheiro enquanto a banheira enchia desci até a cozinha peguei uma taça e a enchi de vinho, voltei ao meu quarto antes de me despir liguei a televisão e coloquei uma música suave, a hidro estava ótima minutos depois não sei se por efeitos do vinho meus pensamentos foram até Ivana meu corpo logo responde aquela buceta depilada estava me levando a um lugar maravilhoso, começo a deslizar minhas mãos sobre o meio de meus seios que já estavam com os picos durinhos, começo a descer sobre minha barriga “a Ivana como você poderia estar aqui” estava eu virando lésbica, desejando outra mulher eu já estava de pernas abertas meus dedos encontram minha vagina ela nessa altura já estava molhada e não pela água da hidro, minha menina tem os lábios vaginais discretos é lisinha num tamanho médio, começo a colocar meus dedos dentro dela minha nossa eu estava muito excitada, meu telefone começa a tocar não poderia parar agora não nesse momento eu já estava no ponto de explodir, minha nossa pudi sentir minha vagina vibrar estava gozando pensando em minha amiga, fui até meu quarto peguei meu homem, durante uns 10 minutos fiquei com aquele negão dentro mim até poder ter múltiplos orgasmos, do jeito que estava adormeci nem mesmo vi quem poderia ter ligado pra mim, na manhã seguinte me levantei e fui pra casa de minha mãe.

– Como você está minha filha.
– Estou bem mãe- minha irmã estava lá também.

A manhã foi boa fui pega de surpresa com uma mensagem no Messenger um rapaz me dava oi, Sonia chega por trás.- Bonitinho ele, responde mãe- fiz a burrice de ouvir ela acabei respondendo, Rafael era seu nome 28 anos ele era 12 anos mais novo que, passamos aquele dia todo conversando, não sei o que me deu na cabeça de tantas mensagens obscenas, de tantas “oi gostosa” fui dar moral a um rapaz novo pra minha idade.

Fomos nos conhecendo, ele parecia ser um bom rapaz estava sendo homem e não moleke conversamos um pouco e voltei pra casa, durante mais um dia de trabalho e olha que esse dia foi bem agitado me sentei no sofá minhas filhas haviam saído com uns amigos eram 19h47 da noite, meu celular toca, era o Messenger Rafa estava me ligando e pra variar via chamada de vídeo.
– Hum, ela atendeu- ele estava no seu quarto.

– Mas quase não atendo, não gosto muito de chamadas de vídeo.
– Também não, mas a curiosidade falou mais alto- ele estava curioso pra que.
– Curiosidade de que?
– Sara nos falamos já a um mês, só faltava lhe ver- por um lado ele tinha razão estávamos nos falando já um mês.
– Tá você está certo, mas da próxima vez me avise antes.
– Hum lhe avisar é? Faz oque de bom?
– Estou aqui de boa tomando meu vinho, quer?- poderia estar sendo ousada ou talvez atirada, ficamos conversando por algum tempo mesmo fazendo uma brincadeira ele estava se comportando bem até que quis ficar mais a vontade, ele tirou a blusa e simplesmente começou a mostrar o corpo na mesma hora inventei algo e sai da chamada.

Eram por volta das 20h55 estava uma noite linda e fresca, acabei caindo na risada quando me dei conta que algo em mim estava diferente estava eu dando chance a ser feliz com um homem ” ai Sara não faz isso” fui correndo ao banheiro mas não fui só, sem música alguma comecei a tomar meu banho, diferente de alguns dias atrás estava de baixo do chuveiro, minhas mãos começam a trabalhar….. a campainha toca não liguei estava num clima muito bom comigo mesma, a campainha parou de tocar um ar de alívio tomou conta de mim… porém meu celular começa a tocar era Ivana oque aquela doida queria.

– Sara, pode abrir o portão por favor amiga- sai correndo, me seco rapidamente coloco um roupão e desço em direção a sala.- Já estou indo amiga, calma ai- abri o portão segundos depois estava Ivana na frente da porta, se eu fosse homem com certeza estaria de pau duro no momento que a vi, ela estava com um vestido vermelho que parava um pouco acima de seu joelho, o vestido tinha um belo decote mas era largo, Ivana é uma morena de 1,74 seios médios mas definidos, um par de pernas de dar inveja que junto com uma bunda também média mas definida à deixava um tesão de mulher sem falar daquela pepeka lisinha que ela tinha.

– Tudo bem com você Sara? Nossa estava no banho e nem me chamou- ela deu um pequeno sorriso enquanto me dava um abraço, um imposso tomou conta de mim, o desejo tomava conta de meu corpo.- Hum ainda da tempo se quiser- onde estava com a cabeça quando respondi a ela.
Ficamos alguns segundos ali na sala até que ela me surpreende.
– É na sua hidro?- ficamos as duas se olhando e sorrindo, além de gata ela tinha uma boca maravilhosa.
– Bem oque manda?
– Tomei um bolo e nem é meu aniversário,rsrsrs.
– Como assim?- estávamos na cozinha, ela se senta em uma cadeira bem a minha frente a sirvo uma taça de vinho.
– A sabe naquele dia que te liguei? Então sai com um carinha que conheci no face- ela dá uma pausa, toma um gole de vinho e continua.- Pois bem nos conhecemos a duas semanas e nossa só fiz burrada.
Ela solta o cabelo, meu Deus eu uma mulher madura de 40 anos sentindo desejos por outra mulher, algo em mim sabia que o resto da conversa ia ser tensa.
– Deixa eu adivinhar, a depilação era pro carinha né?
– Errei em tudo, com uma semana fiz a burrice de trocar fotos com ele, não mandei nuds mas sim fotos de calcinha….- ela se levantou e foi em direção a pia, inves do meu tesão diminuir ele só aumentava.
– Não culpo você, mas já imagino oque rolou- ela se vira pra mim, uma mordida nos lábios acompanhado de uma leve cosada na cabeça.
– Ele soube jogar bem esse jogo.
– Gata você estava frágil, ele sabia que fazia muito tempo que estava sem sexo- me aproximei dela, podia sentir sua respiração ficando rápida com minha aproximação, ela se vira de costas pra mim aquele corpo está me deixando louca.
– Mas agora aprendo, a não cair mais na lábia desses homens.
– Molekes você quer dizer né? É difícil achar homens de verdade, mas tipo faz que nem eu…- ela me interrompe se virando rapidamente.
– Me alto satisfazer é? Pois é oque você faz não?
– Hum duas perguntas, vou ganhar oque em troca?- com uma das mãos no queixo me apoio na mesa, ela se aproxima de mim com um olhar tipo que dizia ” vamos ver onde vai dar isso”.
– Depende, como será sua resposta!
– Primeiro minha linda, sobre os homens vá um passo de cada vez, durante a conversa deixe claro que que não irá aceitar fotos ainda mais nuds…- ela cruza os braços, seus seios quase saltam do vestido.
– Como faço isso Sara?
– Apartir do momento que ele lhe enviar uma foto mas a vontade o adverta não dê elogios a ele, mostre que não gostou só assim terá o controle fotos íntimas não será aceita se o mesmo insistir o bloquei, sobre encontros nunca vá pra cama no primeiro encontro muito menos no segundo- Ivana começa a mexer em seus cabelos, de um certo modo ela estava começando a me provocar.
– Se fosse fácil falar mor.
– Em um relacionamento sempre devemos impor limites, aquele que consegui esse controle pode ter uma grande vantagem, vá pra cama depois de um mês não seja muito fácil de ser levada pra cama, sexo oral e anal não é feito atoa mas sim merecido.
– Ata quer dizer que não posso dar meu ânus?- ela se virou empinando a bunda pra mim, minha vontade foi de levantar aquele vestido e chupar aquela bunda toda.
– Minha amiga o erro de muitas mulheres é esse, fazer esse tipo de sexo fácil, sexo oral e anal pra mim tem que ser merecido, um homem pra ver essa belezinha aqui tem que merecer- abro meu roupão e mostra a ela minha buceta.- E outra prefiro eu mesma me satisfazer, alguns homens só pensam no prazer próprio, nos chupamos eles e os manes tem nojinho de dar um trato em nós.
É inacreditável isso, nós somos obrigadas a chupar o pau deles, mas eles não, eles tem nojo de chupar uma buceta molhada de tesão, muitas de nós cometem o erro de mandar um nuds, de ir pra cama no primeiro encontro- Ivana mais uma vez se aproxima de mim.- Se você fosse um homem como iria me levar pra cama, ou melhor como iri me convencer a ir pra cama com você?- meu coração disparou de uma maneira tão boa.
– Hum então acha que não consigo te levar pra cama?
– Não estou bebendo nada, fui fácil pois estava bêbada rsrsrs.

Me levantei e fui até ela, comecei a tocar nela pelo pescoço ela iria se fazer de difícil mas se eu conhecia meu corpo poderia conhecer o dela também, fui devagar sem pressa alguma cada parte de seu corpo era novo pra mim e por mais difícil que ela estive se fazendo aquela buceta iria ser minha, fui acariciando cada vez mais teu corpo uma pequena mordida em uma das orelhas foi o sinal que queria um gemido tímido ela deu, a viro de costas pra mim comecei a trilhar um novo caminho por seu corpo cada centímetro de suas costas era sentindo por minhas mãos, eu precisava da permissão dela, deixar ela me pedir pra arrancar seu vestido, passo a passo vou trilhando o caminho das pétalas, Ivana empina tua bunda aquele era um sinal de que ela estava gostando as barreiras estavam caindo vou soltando as alças de seu vestido, suas costas ficam a mostra o cheiro de sua pele é incrível ela estava com uma calcinha fil dental branca, a debruço na mesa a deixando de 4 pra mim, volto a chupar ela só que dessa vez começo pelo pescoço pequenos suspiros de tesão posso ouvir ela dar, que delícia por mais difícil que ela poderia ser se eu fosse um homem pra cama seria fácil a levar, me aproximo de seu ouvido.

Chega de ser boazinha com você- a pego pelo cabelo dou uma pequena puxada posso notar sua excitação indo ao topo, com minha outra mão aberto sua bunda hum que bunda gostosa, solto teu e vou descendo passando as unhas pelas suas costas até chegar em sua calcinha, uma pequena mordida seria data em sua bundinha.- Isso cachorra, morde minha bunda- retiro sua calcinha com a boca aproveitando que já estava próxima daqueles bunda a abro nossa que vista, seu cuzinho estava piscando e sua bucetinha já estava mais que molhada.

Vamos subir, vou mostrar a você que podemos sim ter prazer e muitos- subimos as escadas em direção ao meu quarto, Ivana já estava nua ver aquela bunda na minha frente era a melhor vista ela abre a porta do quarto minha cama estava pronta pra pegar fogo.

Companhia ou não?- Ivana recusa.- Por mais tentador que ele seja hoje quero só você- meu negão de 20cm iria ficar fora da brincadeira Ivana queria só nós duas, pra mim iria ser meu primeiro sexo com uma mulher, tiro meu roupão, estava nua pronta pra dar prazer a Ivana, nós duas estávamos nuas pela primeira vez ela se deixa levar pelo clima.- Vêm minha cachorra, me faz sua- ela pega em minha cintura, eu vou a empurrando delicadamente na cama a deixando de pernas abertas eu começo a chupar seus pés acariciando ele todo, venho subindo devargazinho dando pequenas mordidas em suas pernas, chego em suas coxas dou mordidas leves.- Minha nossa que sensação maravilhosa, nossa Sara como….

Ai delícia- com minha boca em suas coxas vou subindo dou uma lambida em sua bucetinha ela estava meladinha mas não fico por ali vou subindo dando novamente pequenas mordidas naquela barriguinha, o máximo de delicadeza minha intenção era fazer ela sentir tesão e não cócegas e por vias das dúvidas ela já estava no ponto de erupção, com uma das mãos vou acariciando seus seios naquela altura do clímax Ivana com umas das mãos aberta meu cabelo.

Minha nossa, que loucuraaaaaa- vou subindo chego em seus seios, dou leves mordidas em seus mamilos logo em seguida a beijo dando mordidas em seus lábios, volto depois a dar atenção para sua bucetinha, a chupo loucamente mas não fico somente na bucetinha dela dou uma atenção maravilhosa em seus lábios vaginais e na sua virilha com um dos dedos começo a penetrar em seu ânus, Ivana não demora muito a gozar, em uma explosão de orgasmo ela trava minha cabeça com as pernas, um grito de tesão pudi ouvir meu corpo responde de uma maneira intensa transformo minha boca em um sugador potente chupo intensamente teu néctar.

Ai caralho que gozada, uiiii tô acabada, chupa todo meu leitinho chupa gatinha- minha cabeça estava presa, meus cabelos enrolados em seus dedos ela me solta me coloco sobre ela que imediatamente começa a enviar seus dedos em minha bucetinha, minutos depois eu gozo ela me acompanha gozando novamente, cansadas acabamos pegando no sono, na manhã seguinte sou surpreendida com Ivana me dando aquele trato.
Durante dois dias nos encontramos as escondidas na casa dela, uma dando prazer a outra, o pobre Rafael ah esse pobre homem talvez poderia pegar tudo isso depois de algum tempo, eu e Ivana nos tornamos mais que amigas……….

Leia mais contos de amigas lesbicas

Compartilhe com seus amigos:

2 comentários em “Ivana, minha delícia de amiga – Conto Erótico Privê”

Deixe um comentário