Não sabia que era casado com uma prostituta

O conto é na verdade o relato de uma situação real vivida por mim recentemente. Sou casado há muitos anos com e sempre mantivemos uma relação quase formal….

Não praticávamos sexo com regularidade, mas sim de vez em quando, de uma forma protocolar…. Não tinha nenhuma novidade. Era o típico feijão com arroz ou papai com mamãe, como queiram….

Tentei uma vez que ela fizesse sexo oral, mas ela refugou. Não quis fazer e não permitiu que eu fizesse. Se eu falasse em anal, era confusão na certa. Sempre pudica, nossa relação era uma comida sem sal, apesar de ser muito respeitosa….

Até que um dia…cheguei em casa bem antes antes da hora usual e pretendendo fazer uma surpresa, entrei sem fazer barulho, girando a chave bem devagar….

Minha casa tem dois andares, ficando os três quartos, distribuídos por um corredor forrado com tapete, no qual caminhei silenciosamente….

Quando me dirigi na direção do meu quarto ouvi gemidos vindo da porta entreaberta…. Minha mulher não imaginou que eu fosse chegar bem antes da hora e se descuidou deixando a porta aberta com um vão de mais ou menos 20 cm….

Aproximei-me devagar e a cena que vi gelou a minha alma. Um negro, forte e alto, sentado numa poltrona que temos no quarto, com o imenso pau duríssimo e minha recatada esposa, trajando apenas uma tanguinha vermelha, com o fio dental todo enterrado no rego e mamando o gigantesco pau do homem….

Ele, com a cabeça jogada para trás no encosto da poltrona não me viu e ela de costas também não. Só via a cabeça dela subir e descer naquele mastro e ouvia os gemidos dos dois. Pela posição da cabeça dela eu puder perceber que ela lambia os ovos dele enquanto punhetava aquela vara gigantesca.

Quando percebi que iam mudar de posição, afastei-me da porta e fiquei assustado, embora estivesse bastante excitado.

Aguardei alguns segundos e voltei a observar. Agora ela estava sentada com as pernas abertas e ele com a cara enterrada na boceta dela.

Ela gemia e tive a impressão que enquanto ele a chupava, mantinha os dedos enterrados no cuzinho dela, pois ela rebolava muito. Ele a mamou por quase quinze minutos e quando parou, começou a beijar o corpo dela, detendo-se nos seios onde chupou e beijou com vontade.

Minha mulher gemia e dava gritinhos. Depois ele se pôs de pé e deu a sua vara para ser lambida e chupada. Apesar do “calibre da arma” dele, minha mulher engolia com prazer e vontade. Eu estava com o pau quase furando a cueca e a calça. Logo depois, ele a colocou de quatro e por baixo, atolou a pica inteira na boceta dela….

Começou a foder com força, dando palmadas nas nádegas dela. Depois de muito meter ele se afastou um pouco e pude ver a vermelhidão nas nádegas da vagabunda.

Mais uma vez ele a colocou de frente e deu-lhe a mamadeira negra e imensa.

Ela mamou por algum tempo e repentinamente ficou de pé na frente do homem (tive que me esconder rapidamente para não ser visto), mas percebi depois que se beijavam loucamente na boca.

Aí veio o ápice: Ele a recolocou de quatro, cuspiu na mão e passou na cabeça do pau. Depois enfiou dois dedos no cuzinho dele e ficou fazendo o movimento como se estivesse fodendo. Ela rebolava e gemia. Com ela ainda de quatro ele se abaixou um pouco para lamber o cuzinho dela. Ela gritava e gemia.

Então ele mirou o cuzinho dela e encostou a imensa cabeça na direção do cuzinho dela e começou a pressionar devagar. Ela ajudava rebolando e empurrando a bunda para trás. Ele a segurou pela cintura e puxou-a na direção dele enquanto ela rebolava. Percebi que o pau gigantesco conquistava território no cu da minha mulher penetrando até os ovos.

Depois de ter invadido o rabo da prostituta ele começou a meter com vigor. Minha mulher parecia estar gostando, porque pedia mais. Pedia a ele que a chamasse de puta, vadia, vagabunda, etc.

Ele a puxava pelos cabelos e atolava a vara no cu esgarçado dela, num vai e vem frenético. Até que ele se contraiu e gozou dentro do cu da minha recatada esposa. Então ele aconchegou o corpo nas costas dela e ficou dando pequenas estocadas no cuzinho dela. Assim, ele saiu de cima dela e ela passou a lamber o seu pau bem delicadamente.

Quando percebi que tinham acabado, desci silenciosamente e voltei para o meu carro, estacionado na garagem, onde bati uma punheta. Fiquei no carro mais ou menos uma hora, para dar tempo do homem sair e ela se recompor, mas não adiantou.

 

Quando cheguei em casa, o macho que havia comido Minha esposa, estava sentado na sala conversando com ela. Ai vim a saber que ele tinha sido amigo de faculdade dela e que depois de terem se reencontrado, ela marcou com ele para colocar a conversa em dia.

Colocaram mesmo!!!

Naquela noite procurei a minha mulher, mas ela, recatadíssima e possivelmente muito satisfeita, me afastou mais uma vez.

Leia mais contos interracial

Compartilhe com seus amigos:

5 comentários em “Não sabia que era casado com uma prostituta”

  1. Que exitante conto em
    Eu adoro fuder uma mulher casada na frente do seu marido corno manso olhando.
    E aí da gozo dentro da buceta dela p corno limpar tudinho.
    Se alguém tiver interesse me chama no whatsapp DDD onze.nove sete um nove sete oitenta trinta.
    Moreno 21 centímetros de rola.
    Sigilo absoluto

  2. no de verdade ja fui uma ves mas nao tive certeza quero ve um dotadao regassa u cu dela sem piedade na minha frentesou casado a 21 anos minha mulher tem 49 anos eu 51 quero se cor

Deixe uma resposta