Sarah, a lourinha do Tinder – Parte I – Conto Erotico Prive

Sou coroa, 52 anos, separado, cabeleireiro, sou boa pinta, ainda tenho um charme. Moro no Rio. Inscrevi-me no Tinder, ando dando curtidas para ver se alguma “desesperada” cai na minha “rede”. Neste app só tem loucas, metidas e putas. Apareceu Sarah, Promouter e cursando faculdade, 21 anos, lourinha, branquinha, gordinha olhos claros e boca carnuda e rosada, fez o meu tipo.

Ela deixava seu end. No Instagram, copiei, curti e fui para a Rede encontrar esta menina, encontrei e comecei a segui-la. Mandei uma msm no privado. Elogiei e perguntei se era modelo para puxar assunto, rapidamente me respondeu.

Elogiou os cabelos louros que eu faço. Perguntou-me o preço, ela achou um pouco caro, falei que poderíamos fazer uma parceria, uma permuta. Perguntei se gostava de vinho, disse-me que prefere cerveja, a convidei para tomarmos uma. Já tínhamos troca do o whatsapp. A conversa já começava no Wpp. E ficava apimentada.

Prontamente aceitou. Falei se ela tinha preferência de barzinhos, disse-me que confiava no meu bom gosto.
Eu falei – um lugar aconchegante.
Ela – depende, aí vou querer um mimo, o cabelo.
Eu- claro combinado!
Ela – tá bom, você vai cuidar bem de mim e do meu cabelo?
Eu – Claro, seu cabelo ficará de diva, e você terá o melhor dos cuidados, com a certeza que não irá se arrepender.

Diariamente trocávamos mensagens, o cabelo iria fazer no mês de novembro, sendo que antes queria sair com ela, para um motel, só depois faria seu cabelo.

Numa dessas mensagens ela me disse que estaria indo para região dos lagos, São Pedro D”aldeia, e retornaria na terça á noite dia 29 de outubro.
Me enviou um áudio me dizendo que estava curtindo a praia.

Eu respondi dizendo – nossa que maravilha, pegando aquele bronze para ficar com aquela marquinha.

Em menos de cinco minutos me enviou 3 fotos:

Selfie dela na praia, fazendo questão de mostrar seu biquíni vermelho e sua pele rosada.

Me perece que os seios são naturais e durinhos.
A segunda foto mostrando detalhe da marca junto aos seios.
Enviei a mensagem falando
– Hummm, mostra mais vai, rsrs.
– Amo essa marca.

Em 2 minutos me enviou uma foto. (Tive que me masturbar a noite).
Mostrando a marca do bronze, quase junto ao mamilo, com a alça do sutiã propositalmente aberta. Ampliei a foto, pude ver parte do mamilo.

Respondi – lindaaaa, amo, adoro, adoro marquinhas adoro rosadinhos.
Ela – Você irá ver ao vivo e a cores, se merecer será todo seu!

Desta forma nosso primeiro encontro ficou marcado para dia 31 de outubro. Iria para o salão fazer uma hidratação e escova. Depois um chopinho e motel, este já escolhido.

Hora combinada chegou, a recepcionista a levou até minha bancada, ao conhece-la pessoalmente levei um susto, de tão linda, meiga, doce, toda rolicinha, tesuda, olhos claros, boca parecendo um morango e lábios carnudos, imaginei o beijo e o boquete, boca pequena para uma pica grossa. Na hora o radar do meu pau deu sinal de vida. A recebi com um beijo e abraço como faço com todas, até então é uma cliente normal.

No abraço senti seu calor, seu perfume, senti a textura de seus seios, tipo pera, durinhos, bicos durinhos.

Finalizei a cliente que atendia, comecei a cuidar do seu cabelo, pude prestar atenção melhor nos detalhes, usava shortinho todo desfiado, deixando as coxas bem amostra.

Sandalinha rasteirinha estilo Dalila.

Uma blusinha cinza, com um decote em V bem acentuado, sutiã fininho que mostrava o contorno dos seios, estes durinhos, tipo pera. Uma jaquetinha fina, criava um este look bacana.

Disse que tinha acabado um namoro de 2 anos, fazia 6 meses, neste tempo conheceu 2 carinhas, só rolou beijos, eram bonitos, sarados, más o conteúdo, o “que” não existiam.

De cara ela gostou do meu perfil no Tinder, percebeu que além de maduro tinha cara de safado, e óbvio, teria pegada.

Confessou – adoro homens de barba, grandões, gaúchos e de sangue italiano, acho que é mistura explosiva. Teu olhar é marcante.
Eu apenas elogiei as observações e falei – espero que goste
Do produto.

Na hora falou – estou aqui para isso, tenho a noite toda para degustar cada centímetro.

Apenas sorri olhando para ela calado, meu pau dava sinal de vida. Precisava me controlar.

Conversamos sem mostrar para outros, que havia uma intimidade maior, foi profissional, obvio que no momento da escova, quase 19 horas e salão ficando vazio, eu fui fazendo elogios e atiçando aquela menina.
Me falou que eu era mais bonito que na foto, tinha adorado meu jeito, adora homens mais velhos, tendo a certeza que iriamos nos dar bem.
Elogiei sua beleza e seu bronze levemente rosa.

Disse – imagino sua marca no bumbum e nos seios.
Ela sem nada falar suavemente afastou a blusinha e sutiã de lado mostrando a marca, pude ver o mamilo rosa e duro, com cara de safada me olhou nos olhos e encarou minha boca.
Meu pau começou a pulsar e ficar duro, disfarcei
Falando – Sarah assim você me tortura.
Com um sorriso sacada fez a pergunta – você gostou? É isso que você gosta?
Falei – no uber irei te responder.
Com um suspiro longo, falou – quero a resposta tá!

Finalizei. Pediu onde era o toalette, mostrei, demorou um pouco. Voltou maquiada estava mais bonita, tinha colocado batom rosinha, delineado seu olho, percebo que tirou o sutiã, agora seus pequenos seios eram moldados no tecido fino, seus mamilos marcavam e estavam durinhos, tinha tirado a jaqueta e colocado sobre seus ombros, para disfarçar seu decote frontal, as costas quase nuas, usava um body.
Pedi um uber, endereço motel no Rio Comprido, saímos do salão, 10 minutos o carro chegou, abri a porta, me olhou e disse – assim eu gamo, muito cavalheirismo. Brinquei com ela, fazendo o gesto com a mão para entrar.

Dei boa noite para o motorista, pedi para nos deixar no endereço já escolhido.

Eu e Sarah nos olhamos, ela sentou mais perto, minha mão direita sobre seus ombros, nossos olhares intensos, nossas bocas se tocaram calmas e descobrindo o estilo do beijo de cada um. Aos poucos nossos lábios já eram sugados, as línguas se tocavam, Sarah se jogou sobre mim, seus seios eram roçados em meu peito, minha mão esquerda…

(Meu pau está duro escrevendo isso e lembrando)
levemente tocou seu mamilo direito, ela se contorceu e sugou minha língua com força, devagar meu polegar como uma pinça afastou o body, o seio saltou, deixei de beijá-la para ver, o mamilo duro e rosa, seio estilo pera, o mamilo apontado na minha direção, olhava aquela coisa divina da natureza, devagar fui ao encontro dele…

(Neste momento tive que parar de escrever para bater uma punheta, meus ovos já estavam doendo e cheios)

… Sarah facilitou, empinando-se para colocá-lo em minha boca
Suas mãos abrirão o Body, dando-me os dois para sugá-los.

Em meu ouvido dizia – isso safado, beija, mama, lambe, morde, suga eles com força. Fiz isso por mais de 5 minutos, ela suspirava em meu ouvido, falava coisas lindas de ouvir

Sua boca beijava meu pescoço.

Sua mão direita foi no meu pau, apertava sobre a calça justa, facilitei para o serviço, abri o cinto e zíper, peguei ele colocando-o para fora, ao pegá-lo e sentir o calor e tamanho ela suspirou dizendo – oque é isso porra!
(antes de sair fui no banheiro e lavei minha pica, sabia que a sacanagem iria começar no uber)

Afastou o quadril de mim, indo para trás, tirou minhas mãos do seu corpo, ajeitou seus seios na blusa e caiu de boca, beijou a cabeça e lambeu, num lance rápido para a frente o engoliu, parou por frações de segundos, subiu, sugou a cabeça e desceu novamente, fazia isso com rapidez e maestria, sugava com força, apertava meus testículos, a baba escorria pelo saco, o mel transparente já brotava, lambia e engolia, parou na metade dele e começou a sugar, como um sacolé, sentia que iria explodir, peguei-a pelos cabelos e a puxei ao meu encontro, me olhou com olhos vermelhos de quem está pegando fogo. Disse-me eu quero você logo, estou louca de tesão me come gostoso, quero gozar nesse pau.

A beijei, senti o gosto da baba, me beijava com amor, e paixão,

Nossas línguas adentravam a boca, ela segurava meu rosto, minhas mãos nos dois seios, mamilos duros como um caroço de azeitona. Os apertava, acariciava os mamilos com os dedos ao fazer isso ela se empinava e gemia.
Chegamos no local, guardei o pau ainda duro, paguei o uber, deixei o troco e descemos do carro, a moça do motel percebeu nossa excitação.
Continua…
.
busco parceiras para viver aventuras [email protected]

Compartilhe com seus amigos:

1 comentário em “Sarah, a lourinha do Tinder – Parte I – Conto Erotico Prive”

Deixe uma resposta