Sendo Puta de Ocasião

“Respondi que lembrava sim, de tudo, e depois de algumas risadas veio um silêncio, que acabou quebrado por mim, pedindo licença para ir ao banheiro. Levantei, minhas coxas estavam meladas, coladas de tanto tesão, cheguei a ficar com medo que meu vestido estivesse molhado, mas não, e fui ao banheiro, com aquela sensação de esta encharcada e meladinha, ainda olhei para trás e Ele estava com a cabeça virada para onde eu caminhava e nitidamente secava minha bunda, já quase bêbada rebolei mais que o normal”


Bem, sou Luiza, uma quarentona de seus 1,67 de altura, era gordinha, mas hoje estou com meus 60 bem distribuídos, malho bastante, tenho seios grandes e minha bunda também é grande e tenho várias tatoos, sendo que duas são bem grandes, e uma inclusive tapa as minhas costas. Casada, mãe de 3 filhos, a maior tem 12 anos e meu marido e Propagandista Vendedor. Sempre gostei de sexo, embora não me achasse nenhuma mundana ou devassa, mas tudo pode mudar.

Estava em um domingo quente de fevereiro chegando a Porto Alegre, para ministrar um curso de 5 dias para uma equipe de vendas, sou coach, e havia sido contratada para “tentar” melhorar a performance da força de vendas de uma empresa. Estou fazendo check in no hotel quando escuto uma voz conhecida a me chamar, era um velho amigo, um ficante antigo, de mais de 15 anos, e que não via a muito tempo, abri um sorriso, bom encontrar uma pessoa conhecida quando estamos distantes, e devia ser conhecido do hotel, pois os recepcionistas o chamavam pelo nome, e ele também os chamava pelos nomes. Perguntou o que eu estava fazendo, por Porto Alegre, falei do treinamento, e ele disse que isso o interessava muito, perguntou se eu não jantava com ele no hotel, pois estava assumindo a gerencia regional de uma multi e gostaria de trabalhar a equipe. Não vi problemas, ele sempre fora um ótimo cara, engraçado, parceiro e um fodão, opa eu não tinha que pensar neste detalhe, mas sim que seria uma ótima oportunidade de rever um amigo e ter uma proposta de um novo curso. Ele perguntou que quarto estavam me dando, e os recepcionistas disseram, ele falou que não, que poderiam fazer um desconto e me colocar em um melhor, falo que me colocasse em um igual ao dele. Deveria ser um ótimo cliente, pois pelo mesmo preço me deram outra chave, isso que a empresa havia reservado hotel e quarto p mim.

Pegamos juntos o elevador, e por coincidência ou não, o quarto era no mesmo andar que o dele, e mais precisamente era o meu e o próximo o dele, mas achei que era pelo quarto naquele andar ser mais interessante. Quando chegamos ele abriu o elevador, esperou eu abrir o meu quarto, entrei e ele entrou com a minha mala em seguida, perguntou o que eu havia achado, respondi que havia adorado, me disse que ninguém merece ficar em um quarto por uma semana, o que haviam me oferecido era um apart, com uma sala e uma pequena cozinha. Se despediu e marcamos bebericar e jantar pelas 20 horas.

Liguei para casa, falei que estava tudo bem, mas não mencionei ter encontrado o Meu Amigo, pois sabia que meu marido não gostava dele, na real tinha ciúmes, e não sei por que, pois eu era uma esposa fiel. Desliguei o telefone, desfiz minha mala, e fui ao banho. Comecei a tomar banho e a pensar de como estava Meu Amigo bonito, a idade havia lhe caído bem, grisalho e com os cabelos desalinhados, em forma, e o mesmo cara de sempre. Ouvi o chuveiro do quarto dele abrir, e comecei a pensar nele peladinho, tomando banho, confesso que me excitei, e quando fui pensar bobagens, ou seja quando comecei a lembrar nossas fodas gostosas, vi que era ora de sair do chuveiro. Me sequei, passei um creme bem cheiroso, meu perfume, sequei meus cabelos curtos, Chanel, e loiros, não sei por que, mas na hora escolher a calcinha lembrei que ele adorava branco, e coloquei um tanguinha branca, sutiã da mesma cor, e um vestido cinza curto de moletom. Na hora combinada, me olhei no espelho e achei que a calcinha marcava o vestido, tirei a calcinha e como o vestido não era muito decotado, tirei também o sutiã e confesso que jantar com um Ex sem calcinha me excitou e tive que tomar uma cervejinha que tinha no frigobar.

Desci e Ele já me esperava em uma mesa em um canto, não havia muitas pessoas no restaurante, e assim que cheguei a mesa levantou, puxou a cadeira para eu sentar, e assim que sentamos perguntou se eu estava com fome, ou se queria beber e petiscar algo antes, falei que não estava com muita fome, mas com sede, pois estava bem quente, rsrs, embora o ar condicionado ligado e a temperatura agradável.

Pedimos cerveja, e começamos a contar sobre o que estávamos fazendo e como estávamos, tipo eu: casada, três filhos, morando em Pelotas e Coach; ele: se separando, um filho e Gerente Regional de uma multinacional, atendia RS,SC e PR, morando em Floripa e avaliando a mudança do escritório de Porto Alegre, para SC. Perguntou do meu trabalho, expliquei o que fazia para pessoas e empresas, dei como exemplo o treinamento que estava prestes a ministrar, também contou que havia assumido a empresa a pouco e que achava que alguns vendedores não tinham potencial e que outros tinham potencial, mas estavam acomodados, a empresa precisava de mudanças, mas não queria ser injusto com a força de vendas, e que achava que eu poderia ajudar, pediu que se eu tivesse tempo e desejasse queria um plano de ação, inclusive com visitas in loco com os vendedores. Óbvio que falei que topava e apertamos as mãos.

Pedimos os jantar, e depois de comermos continuamos conversando, contávamos passagens de nossas vidas, até que chegou em casamento e filhos, contou que estava se separando, mas em processo amigável, que ela queria alguém mais presente, e no momento assumindo três estados haviam decido dar um tempo. Contei que meu casamento havia, meio que entrado em crise, assim que começei a me sobressair no trabalho, viajando bastante, o que o incomodava muito, além do fato de estar ganhando mais, e com certeza mais satisfeita com o meu trabalho. E foi ai que perguntou o por que de o marido ter ciúmes deles, pois se havíamos namorado muito tempo depois que Nós dois havíamos parado de ficar. Se fosse sem bebida talvez eu tivesse inventado qualquer desculpa, mas falei…

> ESTAVAMOOS UMA VEZ FALANDO EM RELACIONAMENTO PASSADOS, E FALEI QUE UMA PESSOA QUE EU ME ARREPENDIA DE TER TERMINADO OU NÃO LEVADO MAIS A SÉRIO ERA TU;
>É QUE TEM MAIS UMA COISINHA, EM OUTRA VEZ ELE ME PERGUNTOU COMO TU ERA NA CAMA, RSRS, E EU BEBADA FALEI QUE NOS DAVAMOS MUITO BEM;

Ficamos alguns minutos em silêncio, eu estava já com tesão, e na minha cabeça passavam flashes de nossas transas gostosas, pedimos mais uma cerveja e eu perguntei se ele lembrava de uma vez que eu insisti para subir no apto e ele não havia deixado, falei para que confessasse que estava com outra.

> FOI AQUELA VEZ QUE TRANSAMOS ATRÁS DO SOFÁ? COMIGO APOIADA COM OS BRAÇOS NO ENCOSTO DO SOFÁ?(PUTZ FALEI)

Respondi que lembrava sim, de tudo, e depois de algumas risadas veio um silêncio, que acabou quebrado por mim, pedindo licença para ir ao banheiro. Levantei, minhas coxas estavam meladas, coladas de tanto tesão, cheguei a ficar com medo que meu vestido estivesse molhado, mas não, e fui ao banheiro, com aquela sensação de esta encharcada e meladinha, ainda olhei para trás e Ele estava com a cabeça virada para onde eu caminhava e nitidamente secava minha bunda, já quase bêbada rebolei mais que o normal. No banheiro quando levantei o vestido vi o estrago, minhas ocas molhadíssimas, e minha bucetinha espumando como a muito não acontecia. Sequei a danadinha que teimava em manter a fonte molhada, e voltei para a mesa.
Pedimos a saideira, e perguntou se poderia me perguntar uma coisa, se eu tinha a mesma lembrança que ele, eu entre receosa e excitada, acabei dizendo que sim.

Putz, agora fudeu, eu pensei, como não lembraria se foi a primeira vez que transei sem camisinha e havia tido um fantástico orgasmo, mas confessar isso, ali? depois de tanto anos? cheia de tesão pelo meu Ex, e casada, me sentindo presa.

>PEDE MAIS UMA CERVEJA QUE EU TE CONTO?

Fez sinal ao garçom e pediu a “saideira”, pediu licença para ir ao banheiro. quando levantou não tinha como disfarçar o volume que se formara em sua calça, era visível e apetitoso demais, até hoje acho que ele pediu para ir ao banheiro só para que eu visse o quanto havia o deixado excitado, eu vendo aquilo melei mais a bucetinha e as coxas, cheguei a me arrumar na cadeira de tão cheia de tesão com aquela levantada, e se dirigiu para o banheiro. A cerveja chegou, aquilo ali estava ficando muito, mas muito perigoso já, eu precisava parar com aquele papo, eu não queria, mas o resto de razão em mim de uma mulher casada mandava que parasse, pensei: vá que ele volte do banheiro e tenha esquecido do que havia perguntado, acabei tomando um copo cheio em um gole só.

>SIM, VOU TE CONTAR, MAS DEPOIS EU VOU SUBIR, PRECISO ESTAR BEM PARA AMANHÃ, OK?
e já fez sinal para o garçom fechar a conta;

>SIM,ÓBVIO QUE LEMBRO, TE CONFESSO QUE FOI A PRIMEIRA VEZ QUE TRANSEI SEM CAMISINHA, E FOI FANTÁSTICO, MELHOR QUE EU IMAGINAVA;

quando foi falar sobre fomos interrompidos pelo Maître com a conta, pedi para dividir, mas falou que pagaria, e quando foi assinar a nota, eu agradeci o jantar e levantei para ir embora, foi quando me disse que esperasse, pois também subiria.

Entramos no elevador, e eu não o encarava, sabia que ele me encarava, que me analisava de cima a baixo, querendo me despir com seu olhar, e eu só pensava se havia câmera no elevador. Não me animava a levantar a cabeça e o encarar. chegamos no nosso andar, e abri a porta e sai caminhando na frente, até que ele disse que adorava me ver caminhar rebolando e caminhando apressado chegou ao meu lado, e paramos na porta do meu quarto, abri a porta, pergunto se não tinha a penúltima cerveja da noite, falei que NÃO, e quando fui beijar seu rosto para me despedir, puxou minha cabeça e minha boca em direção a dele, e me beijou, eu não queria, mas foi mais forte que eu, precisava daquele beijo e logo me abraçou sentindo meu corpo, meus seios de mamilos duros encostados em seu peito querendo furar o vestido, e suas mãos ávidas percorrendo meu corpo, logo ele tocou minha bunda e sentiu que eu estava sem calcinha, e já beijando meu pescoço, eu tentando resistir com as últimas forças que me restavam, pois ele iniciava o movimento de levantar meu vestido e ai já viu…né. Eu pedi para parar, que não poderia, pois era uma mulher casada, fiel, que por mais que eu desejasse não poderíamos continuar.

>ME DEIXA, VAI EMBORA, AMANHÃ TOMAOS UM CAFÉ E CONVERSAMOS MAIS;

Ainda me perguntou se eu tinha certeza, já com a mão passando em minhas coxas nuas e bem bronzeadas,

>SIM,TENHO CERTEZA!

Ele me soltou, beijou meu rosto e saiu.
eu estava com muito tesão, mas tinha que resistir, tirei o vestido e me deitei nua na cama, ouvi de novo quando abriu o chuveiro, e imaginei aquele homem que me queria tanto lá peladinho, louco para me devorar. Deitei de lado e coloquei o travesseiro entre as pernas e começei a tentar dormir, mas logo já me esfregava no travesseiro me masturbando louca por pica, mas AQUELA PICA no quarto ao lado. Passei a mão na bucetinha que fervia, espumava… eu não conseguia me acalmar, e então esfreguei meu grelinho e foi quando ouvi o chuveiro do quarto ao lado desligar, tomada de um tesão extremo, levantei, coloquei a calcinha branca pequena que eu sabia que ele curtia, vesti meu vestidinho de moletom, e insana sai do meu quarto e bati na porta do quarto do Meu Amigo. Sem ao menos perguntar quem era ele abriu a porta só de cuecas box, nossa que tesão da porra.

>TEM AINDA AQUELA SAIDEIRA PARA BRINDARMOS NOSSO JANTAR E OS NEGÓCIOS?

Fez sinal para que eu entrasse, perguntei se não ia colocar uma bermuda, perguntou se eu queria que colocasse, e já foi me oferecendo a cerveja. Brindamos e tomei a long neck em um só gole, e devassamente puta…puta e cheia de tesão tirei meu vestido ficando só de calcinha. Ele se dirigiu calmamente em direção a mim, iniciamos um beijo cheio de tesão e saudade, não trocamos uma palavra, sabíamos o que queríamos, e o beijo da boca passou para o pescoço, fazia carinhos na minha bunda, sempre adorou meu rabão, e senti meu seio ser lambido com carinho em minha grandes e rosadas auréolas, logo já me chupada os seios grandes até que eu querendo pica, me ajoelhei na sua frente, tirei a cueca e aquele caralho duro apareceu na minha frente, peguei com a mão, a cabeça toda babada, e lambi da base até chegar na cabeça a qual me dediquei, chupei com vontade, lambi gostoso, enfiei a língua no buraquinho da uretra enquanto segurava as bolas bem gostoso, ele, acredito que pensando que assim ia acabar, me pegou pela mão fazendo eu levantar, me virou de costas, e fez eu ficar de joelhos no sofá e apoiada no encosto, colocou minha calcinha para o lado e quando achei que ele iria me chupar, senti o caralho se aproximando da minha entradinha gulosa e espumante, e a cabeça entrou, dei um suspiro, e ficou brincando de enfiar SÓ A CABEÇINHA e tirar, enfiar e tirar, eu querendo pica e ele me judiando, até que pedi, melhor implorei:

>SOCA ESSA PICA EM MIM, ME FAZ DE TUA PUTA, QUERO ESSE PAU … DENTRO DA MINHA BUCETA SEDENTA…

e ele me ouviu, socou todo o grosso caralho dentro de mim e bombeou forte, empurrou forte pica dentro de mim, eu pedia para que parasse que eu queria mexer na pica, mas ao invés disso ele tirou tudo, me puxou pela mão e me levou até o quarto, fez com que eu deitasse na cama, e iniciou um delicioso “banho de gato”:

beijou minha boca, mandou a “putinha dele ficar quietinha, e passou a chupar forte meus seios enquanto metia os dedos na minha buceta, esfregava meu grelinho forte e aliviava a pressão sobre eles, até que foi descendo a língua percorrendo todo meu corpo, escancarou minhas pernas, colocou um travesseiro embaixo da minha bunda, se deitou com a boca próxima a minha buceta e lambeu meus grande lábios, enfiou a língua lá no fundo e chupou, chupou meu grelo me fazendo ver não só estrelas, mas a constelação toda, o safado enfiou a ponta do dedo todo lambuzado do meu mel no meu cú, falei sussurrando que não, e ele mordeu meu grelo e enfiou todo o dedo no meu cú, iniciando um movimento de vai e vem, eu pronta para gozar, comecei a gemer e soluçar de tesão, e não me contive, iniciei um orgasmo incrível e ele sentindo meu gozo, ficou de quatro em cima de mim e ligeiro fez o grosso do caralho sumir dentro da minha buceta, eu gozei e ele começou a bombear, eu pedia para ir devagar, mas ele só aumentava o ritmo e para a minha surpresa senti que iria orgasmar de novo, que iria ter meu segundo gozo um logo depois do outro e foi….gozei gostoso de novo, e pedi leite, eu queria leite dentro de mim e o safado colocou um dedo no meu cú, urrei no gozo e o “meu amigo”gozou dentro da minha buceta ensopada, gozou e caiu sobre mim e nos beijamos enlouquecidamente com tesão. ele saiu de cima de mim, do meu ladinho me abraçou gostoso, beijou com carinho minha boca, foi até a sala e buscou mais duas cervejas, eu não falava nada, só curtia aquele momento único. Trouxe, me ofereceu e nos beijamos com carinho, diria que quase com amor, e quando ele foi falar algo eu pedi silêncio, que queria curtir o momento, e assim fomos sorvendo aquela cervejinha gelada,

>ADOREI, FOI INCRÍVEL, MAS EU QUERO MAIS, QUERO APROVEITAR TUDO O QUE POSSO;

sem que ele dissesse nenhuma palavra levantei e fui tomar uma ducha, e quando estou ali perdida em pensamentos, confesso que impuros e pervertidos, olho através do vidro do box e ali esta ele, encostado ao marco da porta só me admirando,

>QUE TU FAZ AI PARADO, VOLTA PARA CAMA E ME ESPERA;

virou as costas e saiu, eu terminei de me lavar e fui até o quarto, onde ele estava sentado pelado na cama tomando outra cerveja, apenas pedi que deitasse e fechasse os olhos, e foi quando insaciável naquele momento parti para cima, fiquei de quatro em cima da cama, passei meus seios de leva no peito dele, depois desci e passei o mamilo teso no caralho duro, levei minha boca até a base do pau, e subi linguando todo, até que cheguei na cabeçinha vermelha e lambi antes de abocanhar, ele pediu que eu fosse para o lado, que chupasse onde ele pudesse me ver todinha, e eu fui, só que enquanto tô chupando ele começa a passar a mão em mim, enfia os dedos na minha buceta e chupa-os, depois volta a enfiar e esfregar meu grelinho, avisei que assim eu não conseguiria me concentrar, mas não me ouviu e enviou dois dedos no fundo da minha buceta e depois molhou o entorno do meu cú, suspirei fundo, mas ele não meteu os dedos, eu estava com vergonha de dizer que era virgem por trás, e foi quando me puxou para cima dele, e iniciamos um delicioso 69, quando ele enfiava a língua dentro de mim eu me desconcentrava, parara de mamar e curtia aquela língua pecadora dentro de mim, e assim que ele tirou da minha fenda e lambeu fantasticamente meu cuzinho virgem, cuspiu e lambeu meu cuzinho, colocou a pontinha da língua lá dentro e eu já não mamava mais, só curti aquela sensação nova para a quarentona aqui, mas voltou a buceta agora mordiscando de leve meu grelinho, e um dedo entrou no fundo e depois foi parar na entradinha do meu rabo, e forçou fazendo meio dedo me penetrar, fui argumentar, e mandou eu voltar a mamar, e chupei, e socou todo dedo no meu cú me dando uma mordida mais forte no grelo, e agora sim avisei que se continuasse eu iria gozar, pediu que gozasse na boca, e me acabei com o dedo fundo no meu cú, soltei meu mel todo na boca do safado que lambia e chupava esfaimado, e antes que ele pudesse pensar em gozar na minha boca, não que eu não goste, e ele sabe que eu gosto, eu saí de cima e me acavalei nele, queria sentir mais e mais o caralho dentro de mim, e deixei meu corpo cair , e minha buceta ser enterrada pelo pau guloso, e logo que entrou tudo eu rebolei, rebolei muito e pedi dedo no cuzinho, o que ele mais que depressa colocou me fazendo gemer, urrar de tesão, eu deitava meu corpo sobre o dele, o beijava na boca, mas não tirara o pau, não deixava que saísse e meu gozo veio vindo, as pernas começaram a tremer e sem avisar soltei um grito e GOZZEIIII muito puta, assim que terminei, sai fora e de quatro voltei a mamar caralho pedindo porra na minha boca, pediu uma espanhola e eu fiz e logo os jatos de porra me inundaram os seios e bebi o que pude, deixei o pau sem uma gotinha de porra. Me levantei ainda trêmula e com medo que perguntasse qualquer coisa, o beijei na boca coloquei apenas meus vestido e …

> NOS ENCONTRAMOS AMANHÃ NO CAFÉ, AS 7:00

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta