Sorte com as virgens

Por ser descendente de orientais não sou avantajado, mais isso foi o que me ajudou a comer várias virgens.
Tudo começou quando eu tinha mais ou menos 12 anos eu estava na casa do meu colega Carlos e ele começou zuar minha cara me chamando de amendoim, eu bravo comecei a discutir com ele e sua irmã mais nova veio ver porque nós estávamos discutindo e ele esplicou para ela porque do apelido. Fiquei mais bravo ainda e fui embora para minha casa.
Chegando em casa liguei o meu vídeo game e para meu espanto ouço Silvinha (irmã de Cláudio)me chamando.
Como era comum Silvinha vim em casa para brincar comigo ou com minha irmã falei para ela entrar para jogarmos juntos.
Ela perguntou se eu estava sozinho, mesmo porque a casa não era grande e dava para perceber. Falei que minha mãe tinha saído com minha irmã e voltava só a noite.
Jogamos um pouco e ela ganhou duas primeiras partidas, Eu para apimentar o jogo propus que quem perdesse a próxima partida teria que pagar castigo e ela concordou. Deixei ela ganhar só para ver o que ela iria propôr, para.minha surpresa ela falou que queria me ver de cueca. Como eu estava na minha casa não tinha problema, tirei a camiseta e o short, meu pensamento foi as alturas e fiquei excitado e ela percebeu.
Na próxima partida eu ganhei e eu pedi um beijo na boca. Como não sabíamos beijar foi um selinho demorado mais ela proveitou para por a mão sobre meu pintinho. Aproveitando a ousadia dela também toquei sua xaninha por cima da sua saia e ela deu um suspiro forte. Pedi para ela deixar eu ver sua xaninha e ela disse que tinha vergonha.
Incisti e ela falou que também queria ver meu pinto, concordei e fui logo tirando a cueca já ecitado e ela ficou olhando quase que ipinotisada, sentei no sofá e falei para ela segurar, ela fez e ficou puxando e escondendo a cabecinha.
Ela perguntou se doia quando fazia aquilo, eu falei que era gostoso mais não sabia descrever o tesão. Falei para ela beijar meu pinto e ela falou que tinha nojo.
Como ela não ia beijar eu falei que era a vez dela me mostrar a sua xaninha, ela tirou sua saia de chita mostrando seu peitinho que era do tamanho de dois Moranguinhos lindos, mais ficou de calcinha e pondo a mão por cima da xaninha, vi que ela estava com vergonha, coloquei minha mão por cima da mão dela e dei outro beijo nela, sentei ela no sofá e vi que sua xaninha estava molhadinha, continuei beijando e mexendo na seu xaninha, ela se derreteu e ficou mais calma, coloquei meu dedo pela lateral da calcinha tocando seu clitóris, como ela deu um pulinho eu perguntei se doeu.
Ela falou que não, mais não sabia dizer o que era que estava sentindo mais tava gostoso.
Puxei sua calcinha e tive a melhor visão do mundo, aquela raxinha rosada sem pelos, abri suas pernas e fiquei entre elas , cheirei mais o cheirinho de mijo me deu nojo, , peguei minha cueca corri na cozinha molhei e fui limpar para poder beijar aquela coisinha linda, quando estava limpando percebi um líquido escorrendo, beijei, logo o líquido molhou toda minha boca, passei a língua e Silvinha quase dançou minha orelha com seus pernas de tanto tesão. Perguntei se podia continuar e ela só acenou com a cabeça que sim. Fiquei chupando ela por uns 10 minutos e ouvimos sua mãe chamando ela no portão de casa. Ela assustada colocou a calcinha o vestido todo torto e ia sair correndo quando eu parei ela para arrumar. Falei para não ir correndo senão sua mãe ia perceber que estávamos fazendo algo de errado. Quando ela perguntasse o que estávamos fazendo era para falar que estávamos jogando vídeo game. Sua mãe chamou denovo e ela foi na janela da sala dizendo que tava jogando. Mais a mãe dela chamou para tomar banho.
Na próxima vez conto quando comi Silvinha e sua amiguinha de classe.

Compartilhe com seus amigos:

Deixe um comentário